Governo pode impedir novo cadastro para auxílio emergencial 2021

A ideia é de filtrar a lista de beneficiários com base nos cadastros antigos do auxílio emergencial. Pelo visto, o governo não vê espaço para novas inscrições.

O governo brasileiro pretende renovar as parcelas do auxílio emergencial ao longo das próximas semanas. No entanto, os novos pagamentos devem contemplar somente aqueles que já estavam recebendo o benefício em dezembro do ano passado. Isso quer dizer que, pelo visto, não serão aceitos novos cadastros de brasileiros que perderam a renda a partir de janeiro de 2021.

A inscrição para o novo auxílio emergencial deverá ser feita com base nos registros antigos do programa. Dessa maneira, a lista de beneficiários será filtrada pelos dados já cadastrados junto ao Ministério da Cidadania, tendo em vista as condições de hipossuficiência financeira. Conforme apurações feitas pelo Estadão, o governo quer “aproveitar o que já existe” e não vê brecha para novos cadastros.

Governo quer barrar novo cadastro para auxílio emergencial 2021

Segundo o Jornal Folha de S. Paulo, a equipe do governo defende a necessidade de realizar o cadastramento de maneira automática. O objetivo é de que as parcelas do auxílio emergencial 2021 sejam garantidas apenas para os mais pobres, no sentido de manter o controle nos custos do benefício. Então, a nova lista de beneficiários será definida com base no cruzamento de dados já registrados.

A avaliação é de que a quantidade de cadastros antigos já está em um patamar elevado: cerca de 56 milhões recebiam o auxílio emergencial em dezembro de 2020. Por isso, o governo federal sentiu a necessidade de criar novos critérios para garantir que os pagamentos sejam repassados por um menor número de pessoas. Até porque a pretensão é de 45 milhões de brasileiros consigam receber as parcelas (11 milhões a menos).

Parcelas do novo auxílio terão valor médio de R$ 250

Paulo Guedes, na última segunda-feira (08/03), afirmou que as novas parcelas do auxílio emergencial terão valor médio de R$ 250 para os cidadãos atendidos pelo programa. Entretanto, os pagamentos poderão ser maiores para as mulheres chefes de família (R$ 375) e ou menores para quem more sozinha (R$ 175). As quantias do auxílio emergencial 2021, então, devem variar conforme as composições familiares.

"Esse é um valor médio [R$ 250], porque, se for uma família monoparental, dirigida por uma mulher, aí já é R$ 375. Se tiver um homem sozinho, já é R$ 175. Se for o casal, os dois, ai já são R$ 250. Isso é o Ministério da Cidadania, nós só fornecemos os parâmetros básicos, mas a decisão da amplitude é com o Ministério da Cidadania", explicou Guedes em pronunciamento feito no Palácio do Planalto.

A PEC Emergencial, que incluiu a renovação do benefício, já foi aprovada pelos parlamentares do Senado. Por outro lado, a proposta ainda deverá passar pela Câmara dos Deputados. Tanto o governo quanto o Congresso querem que a prorrogação contemple quatro pagamentos entre os meses de março e junho de 2021.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »