Governo quer pagar auxílio emergencial para quem foi negado em 2020

Ao que tudo indica, o governo poderá pagar o auxílio emergencial para cinco milhões de brasileiros que tiveram o benefício negado em 2020. Saiba os detalhes.

Auxílio emergencial para quem foi negado em 2020: celular disposto em mesa. Na tela, é possível ver a página do auxílio emergencial

A nova rodada de pagamentos conta com valores variáveis. - Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Como haverá sobra de recursos destinados ao auxílio emergencial de 2021, o governo poderá incluir até cinco milhões de pessoas que tiveram o benefício negado no ano passado. A estimativa é de realizar os novos pagamentos a partir deste mês de maio ou em junho. Assim como já vinha acontecendo, a nova lista de aprovados deverá ser liberada pela página de consultas da Dataprev.

Na época em que as novas parcelas do auxílio emergencial foram aprovadas, o Executivo abriu crédito de R$ 42,6 bilhões para financiar a prorrogação. A equipe do governo, conforme apurações do jornal O Globo, avaliou que nem todo o dinheiro será usado até o fim dos quatro pagamentos previstos. Assim, a ideia será de contemplar os cidadãos que tiveram o benefício negado em 2020 e passaram a ter direito ao programa.

Por exemplo: os trabalhadores que foram considerados como inelegíveis no auxílio emergencial do ano passado, mas perderam o emprego em 2021. Vale lembrar que a nova rodada de pagamentos conta com valores variáveis. As mães chefes de família têm direito às parcelas de R$ 375, enquanto os que moram sozinhos recebem R$ 150. Os demais beneficiários fazem jus às cotas médias de R$ 250.

Regras do auxílio emergencial em 2021

A medida provisória de nº 1.039 trouxe as principais regras sobre o auxílio emergencial de 2021. Conforme o documento, as parcelas apenas vão ser transferidas para as famílias com renda per capita de até meio salário mínimo e total de até três salários mínimos. Para os beneficiários do Bolsa Família, a regra do valor mais alto continuou mantida (auxílio emergencial 2021 ou do próprio Bolsa Família).

A nova rodada de pagamentos, de início, será destinada apenas para quem recebeu o auxílio emergencial no ano passado. No entanto, os cidadãos que passaram a ter direito às parcelas, como os que perderam o emprego em 2021, poderão ser atendidos neste mês de maio ou em junho. Novas informações devem ser liberadas ao longo das próximas semanas.

Até o momento, o governo está organizando os pagamentos de maneira automática, tendo em vista o calendário do auxílio emergencial 2021. Veja, abaixo, quem atualmente tem direito ao auxílio emergencial de 2021:

  • 28.624.776 beneficiários não inscritos no CadÚnico e já cadastrados nas plataformas digitais da Caixa;
  • 6.301.073 integrantes do CadÚnico;
  • 10.697.777 atendidos pelo programa Bolsa Família.
Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »