Governo SUSPENDE revisão cadastral e bloqueio do Bolsa Família

O bloqueio do Bolsa Família foi suspenso pelo prazo de seis meses, conforme nova decisão do Ministério da Cidadania. Saiba mais detalhes sobre o assunto.

Revisão cadastral e bloqueio do Bolsa Família: mão segurando cartão do Bolsa Família

O Ministério da Cidadania explicou que existem dificuldades de checagem dos dados em razão da pandemia. - Foto: Senado Federal

O governo brasileiro suspendeu, por seis meses, a revisão cadastral do CadÚnico. Dessa maneira, não haverá bloqueio do Bolsa Família para os beneficiários que ainda não tiverem regularizado os seus cadastros. A decisão foi publicada na última quarta-feira (31/03), por meio de edição extra do Diário Oficial da União. Dentre as justificativas, o Ministério da Cidadania explicou que existem dificuldades de checagem dos dados em razão da pandemia.

A pasta também destacou a "necessidade de evitar aglomerações de pessoas e de evitar que os integrantes de famílias beneficiárias, assim como os cidadãos que trabalham em unidades de cadastramento dessas famílias, exponham-se à infecção pela COVID-19". Conforme a medida, também ficarão suspensas, por quatro meses, as ações de administração do Bolsa Família em nível municipal.

Novo Bolsa Família pode ser lançado em agosto de 2021

O ministro da Cidadania, João Roma, disse que existe um estudo em andamento para reformular o Bolsa Família a partir de agosto de 2021. Ao longo de audiência realizada na Câmara dos Deputados, o chefe da pasta explicou que o tema será deliberado entre os integrantes da Frente Parlamentar Mista de Renda Básica. O propósito inicial é de implementar o novo Bolsa Família após os pagamentos do auxílio emergencial.

“Há um estudo no Ministério [da Cidadania] buscando o fortalecimento do programa Bolsa Família. Tenho conversado com diversos colegas parlamentares, de diversas correntes, sobre o tema (...)”, afirmou no dia 24 de março de 2021. Confira, abaixo, algumas mudanças que poderão ser incluídas no novo Bolsa Família:

  • Microcrédito digital produtivo para os beneficiários, desde que eles sejam micro ou pequenos empreendedores;
  • Arredondamento no valor das parcelas médias (de R$ 192 para R$ 200);
  • Inclusão de mais 300 mil cadastros no programa. Atualmente, existem mais de um milhão de unidades familiares na lista de espera;
  • Prêmio anual de R$ 200 para os estudantes que se destacarem;
  • Bolsa mensal de R$ 100, além de prêmio anual de R$ 1.000, para alunos com bom desempenho no setor de ciência e tecnologia;
  • Bolsa mensal de R$ 100, além de prêmio anual de R$ 1.000, para alunos que se destacarem em esportes;
  • Auxílio-creche de até R$ 200 por mês às mães beneficiárias do Bolsa Família.
Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »