Governo vai retirar pessoas da lista de pagamentos do Bolsa Família

Doações durante as campanhas eleitorais em 2020 levantaram suspeitas de uso irregular do Bolsa Família.

Governo vai retirar pessoas da lista de pagamentos do Bolsa Família, cédulas de reais

Confira quem pode ficar sem o programa. - Foto: Pixabay

O governo federal divulgou nesta segunda-feira (04/01), que vai retirar pessoas da lista de pagamento do Bolsa Família 2021. Estará de fora quem se envolveu em campanhas eleitorais em 2020 e não seguiu as regras do programa.

A série de cancelamentos ocorrerá por suspeita de uso irregular do dinheiro do programa. Segundo um levantamento feito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em parceria com Tribunal de Contas da União (TCU) e dados do Cadastro Único, 91,5 mil beneficiários do Bolsa Família fizeram doações durantes as eleições de 2020.

Ainda conforme as informações do TSE, o total de dinheiro repassado pelos beneficiários gira em torno de R$ 77,5 milhões.

Por fim, foi informado que a retirada do benefício será feita de maneira gradual seguindo uma lógica de cenários. Além do bloqueio permanente, haverá o temporário. Confira logo abaixo:

Cancelamentos em janeiro

Em janeiro de 2021, famílias que tiveram beneficiários em uma das situações abaixo, não receberão os valores:

  • Membro eleito nas eleições de 2020;
  • Integrante que informou que à Justiça Eleitoral ter patrimônio superior a R$ 300 mil.

Cancelamentos em fevereiro

Já no mês de fevereiro, o governo pretende retirar o direito das seguintes pessoas ou famílias que tiverem:

  • Membro que realizou doação para campanha eleitoral com valores iguais ou superiores a dois salários mínimos por pessoa;
  • Integrante da família que prestou serviço para campanha eleitoral e recebeu valores mensais, por pessoa, igual ou maior a dois salários mínimos.

Bloqueios temporários do Bolsa Família

Alguns beneficiários terão o Bolsa Família cancelado temporariamente. Confira os casos:

  • Doações feitas por um membro da família com valor mensal que fique entre meio salário e dois salários mínimos;
  • Membro da família que prestou serviço para campanha eleitoral e recebeu valores mensais, por pessoa, entre meio e dois salários mínimos.

Existe a opção de a pessoa recorrer ao cancelamento temporário, atualizando o cadastro. A regularização vai até o mês de junho. Em caso de cancelamento será necessário fazer uma justificativa formal ao governo federal nas prefeituras municipais.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »