Guedes comenta sobre valor de R$ 600 para Bolsa Família; confira

Em resposta aos parlamentares, Guedes disse que o Bolsa Família precisa ter financiamento estável por não ser um programa temporário. Confira mais detalhes.

Valor de R$ 600 para Bolsa Família: logo do Bolsa Família em fundo amarelado

Bolsonaro já havia informado que existem estudos para elevar as parcelas do Bolsa Família. - Foto: Divulgação / Montagem Concursos no Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participou de uma audiência pública na Câmara dos Deputados. Durante a ocasião, os parlamentares levantaram a possibilidade de estabelecer mais auxílios às pessoas de baixa renda. O gestor da pasta, em resposta, disse que o Bolsa Família não pode ter parcelas mensais de R$ 600. Isso porque o programa tem uma “natureza diferente”. Ou seja, não é temporário.

“O auxílio emergencial, em uma situação de emergência, a gente consegue de repente durante um ano dar os 600, agora, ele é de natureza diferente. Uma coisa é o Bolsa Família, outra coisa é o auxílio emergencial, o Bolsa Família é para sempre, então ele tem que ter um financiamento estável”, justificou durante a audiência pública, que foi realizada na última terça-feira (04/05).

Novo valor do Bolsa Família ainda em 2021

No final de abril, o presidente Jair Bolsonaro informou que existem estudos em andamento para elevar as parcelas médias do Bolsa Família. A mudança deverá ser implementada a partir do mês de agosto, ou seja, após o fim do auxílio emergencial 2021. Em conversa com seus apoiadores, Bolsonaro sinalizou que o valor poderá ser arredondado para R$ 250.

"Hoje, a média é R$ 192. O auxílio emergencial tá R$ 250, é pouco, mas é muito maior que a média do Bolsa Família, que a gente pretende passar para R$ 250 agora em agosto, setembro", afirmou o presidente no dia 28 de abril de 2021. Vale lembrar que as mudanças no Bolsa Família já haviam sido cogitadas pelo ministro da Cidadania, João Roma.

A ideia seria de fazer com que o programa se torne um “caminho intermediário” após o fim do auxílio emergencial. "Estamos, sim, estudando uma reestruturação do programa para que, já no mês de agosto, após a última parcela do auxílio, beneficiários do Bolsa Família possam encontrar um programa mais robusto", informou João Roma em pronunciamentos anteriores.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »