Guedes sugere novo programa de renda após fim do auxílio emergencial

“Vamos aterrissar em uma ferramenta diferente, um programa de renda básica familiar sustentável”, disse o ministro Paulo Guedes. Saiba detalhes sobre o assunto.

Novo programa após fim do auxílio emergencial: Paulo Guedes em pronunciamento

Em 2020, a equipe econômica do governo pretendia colocar o Renda Brasil no lugar do Bolsa Família. - Foto: Washington Costa/ME (Wikimedia Commons)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a mencionar a sua intenção de estabelecer um novo programa de renda, especificamente após o fim do auxílio emergencial. Durante evento promovido pelo Itaú, o chefe da pasta admitiu que o Renda Brasil não foi bem-aceito no ano passado em razão das circunstâncias orçamentárias. Guedes, por outro lado, levantou a possibilidade de resgatar o projeto que havia recebido o “cartão vermelho” do presidente Jair Bolsonaro.

“Vamos aterrissar em uma ferramenta diferente, um programa de renda básica familiar sustentável”, sinalizou o ministro da Economia na última terça-feira, dia 06 de abril de 2021. Vale lembrar que, no ano passado, a equipe econômica do governo pretendia colocar o Renda Brasil no lugar do Bolsa Família. Para que isso acontecesse, outros benefícios seriam cortados, como o abono salarial e a Farmácia Popular. As mudanças, no entanto, foram rejeitadas inúmeras vezes por Bolsonaro.

Novo programa de renda ou reformulação do Bolsa Família?

Paulo Guedes sugeriu a implementação de um novo programa de renda após o fim do auxílio emergencial. No entanto, o ministro da Cidadania, João Roma, já havia mencionado que existem estudos internos para reformular o próprio Bolsa Família. A ideia seria de ampliar as “estruturas políticas” que já existem, bem como simplificar as regras para as unidades familiares que possuem direito ao benefício.

Durante audiência realizada na Câmara dos Deputados, João Roma destacou que a reformulação do Bolsa Família já está sendo debatida pela Frente Parlamentar Mista de Renda Básica. “Há um estudo no Ministério [da Cidadania] buscando o fortalecimento do programa Bolsa Família. Tenho conversado com diversos colegas parlamentares, de diversas correntes, sobre o tema”, explicou o ministro da Cidadania.

Se houver consenso após o fim dos debates, as mudanças poderão ser anunciadas a partir do mês de agosto de 2021. Confira o que pode ser incluído no programa Bolsa Família:

  • Microcrédito digital produtivo para pequenos empreendedores;
  • Aumento no valor médio das parcelas (de R$ 192 para R$ 200);
  • Inclusão de mais 300 mil cadastros no programa. Atualmente, existem mais de um milhão de famílias na lista de espera;
  • Auxílio-creche de até R$ 200 por mês. Esse benefício seria destinado para as mães inscritas no Bolsa Família;
  • Prêmio anual de R$ 200 para os alunos em destaque;
  • Bolsa mensal de R$ 100, além de prêmio anual de R$ 1.000, para alunos com bom desempenho na área de ciência e tecnologia;
  • Bolsa mensal de R$ 100, além de prêmio anual de R$ 1.000, para alunos que se destacarem em esportes.
Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Comentários

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »