INSS adia retorno das agências mais uma vez; saiba previsão de volta

O retorno das agências do INSS estava previsto para acontecer em agosto, mas precisou ser novamente adiado. Saiba mais detalhes!

INSS adia retorno das agências: panorama de uma das agências do INSS

O presidente do INSS explicou que as medidas de distanciamento social estão sendo consideradas. - Foto: Wikimedia Commons

Em comunicado no dia 21/08, o INSS decidiu adiar o retorno das agências para o dia 14 de setembro de 2020. A decisão foi tomada em conjunto com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia.

O adiamento ocorreu mais uma vez em virtude da pandemia do novo coronavírus. Mesmo com a nova data prevista, o presidente do INSS também reiterou que a reabertura das agências poderá ser novamente suspensa. Tudo vai depender das condições sanitárias para o pleno funcionamento das unidades.

Em nota à imprensa, o INSS informou que "a reabertura gradual e segura irá considerar as especificidades de cada uma das agências da Previdência Social no país. Cada unidade deverá avaliar o perfil do quadro de servidores e contratados, o volume de atendimentos realizados, a organização do espaço físico, as medidas de limpeza e os equipamentos de proteção individual e coletiva".

Leonardo Rolim, presidente do INSS, explicou que estão sendo consideradas as condições específicas dos estados sobre as medidas de distanciamento social. “O INSS está comprometido com a segurança e com a saúde dos servidores e dos cidadãos” frisou.

As agências do INSS estão com as portas fechadas desde o mês de março de 2020.

Plano de retorno das agências do INSS

A gestão do INSS elaborou uma espécie de plano para a reabertura das unidades de atendimento, que conta com a adaptação das agências e a compra de itens de proteção/higienização.

Dessa maneira, o retorno só será oficializado quando todos os protocolos sanitários e de segurança forem plenamente atendidos.

O presidente do INSS também prevê outras questões que devem ser levadas em conta, como a contratação de terceirizados e a volta da perícia médica federal.

Ele destacou que não há quaisquer possibilidades de retorno sem profissionais que executem as atividades essenciais, especialmente ligadas à análise de concessão de benefícios.

Atendimentos podem ser feitos pelo “Meu INSS”

Por meio do portal “Meu INSS”, disponível no site ou pelo aplicativo via celular (Android e iOS), é possível consultar processos e status de benefícios atuais. A plataforma do INSS digital registra todas as informações de vida laboral, incluindo contribuições previdenciárias e períodos trabalhados.

Confira os principais serviços fornecidos pelo Meu INSS:

  • Aposentadoria por idade;
  • Revisão de benefícios;
  • Aposentadoria por tempo de contribuição;
  • Extrato previdenciário;
  • Consulta de declaração (nada consta);
  • Pensão por morte rural e urbana;
  • Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas);
  • Certidão de Tempo de Contribuição;
  • Simulação de Tempo de Contribuição;
  • Atualização de dados cadastrais do beneficiário;
  • Seguro Defeso do Pescador Artesanal;
  • Salário-maternidade;
  • Carta de Concessão de Benefício;
  • Solicitação de auxílio doença;
  • Prorrogação de auxílio doença;
  • Agendamento de Perícia Médica;
  • Extrato do imposto de renda;
  • Extrato de consignado;
  • Cálculo de contribuições em atraso;
  • Acordos Internacionais;
  • Excluir desconto de mensalidade associativa do benefício;
  • Possibilidade de recursos;
  • Cópia de processo;
  • Agendamento de perícia;
  • Resultado de perícia médica;
  • Bloqueio do benefício para empréstimo consignado;
  • Acordos Internacionais.

Não está interessado em acessar a plataforma, mas precisa resolver alguma pendência ligada ao INSS? Também existe a opção de solicitar atendimento por meio do número 135. As ligações podem ser feitas de segunda à sábado, das 7h às 22h.

Tópico: INSS

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »