Mães solteiras continuam recebendo cota dupla do auxílio emergencial

Mesmo com a redução no valor do benefício, mães solteiras continuam recebendo o auxílio emergencial dobrado. Sendo assim, contarão com parcelas de R$ 600.

No último dia 03 de setembro, foi aprovada a prorrogação do auxílio emergencial por mais quatro parcelas até dezembro de 2020. O novo valor a ser pago é de R$ 300, porém as mães solteiras continuarão recebendo duas cotas do benefício. Ou seja, mulheres chefes de família terão direito a receber as próximas parcelas no valor de R$ 600.

De acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, a redução no valor é para evitar a criação de uma grande dívida, já que o Brasil não possui recursos para pagar a quantia original. No atual formato, cada beneficiário terá recebido um total de R$ 4,2 mil. Contudo, alguns cadastros serão retirados da lista por não se adequarem aos novos critérios.

Mães solteiras continuam recebendo duas cotas

O auxílio emergencial foi criado em março, no início da pandemia de coronavírus no Brasil, tendo a primeira parcela paga em abril. O valor estipulado para as três primeiras parcelas, e para as duas prorrogadas posteriormente, foi de R$ 600. A única exceção era para mulheres chefes de família que tiveram o direito de receber duas cotas do benefício, somando R$ 1.200.

Com a redução do valor, agora, as mães solteiras passam a receber R$ 600 nas próximas quatro parcelas. A MP 1000/2020 que regula a prorrogação da ajuda governamental manteve a regra para esse grupo. Assim, essas mulheres, que são responsáveis pelo lar, conseguirão  alimentar sua família e lidar com as contas da casa durante a pandemia.

Nem todo mundo irá receber o auxílio

A nova MP listou uma série de critérios que excluem alguns beneficiários da lista do auxílio emergencial. O objetivo é retirar dos cadastros os brasileiros que receberam as parcelas indevidamente. Entre eles estão pessoas que moram fora do país, presos em regime fechado e quem conseguiu emprego formal nesse período.

Dessa forma, o valor dos gastos públicos vai diminuir, o que possibilitou a prorrogação do auxílio emergencial até dezembro. Contudo, não haverá novas inscrições para o recebimento do benefício. Só terão acesso às novas parcelas quem fez o cadastro até 02 de julho e conseguiu a aprovação. O calendário da 6ª parcela para os inscritos no Bolsa Família já foi liberado.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »