Mutirão do Emprego em SP abre 10 mil vagas; veja como se inscrever

Em razão da pandemia, a quinta edição do Mutirão do Emprego em São Paulo está acontecendo pelo site da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Confira!

Mutirão do Emprego em SP abre 10 mil vagas: enquadramento em mãos apontando para a tela de um notebook

Na edição de 2019, pelo menos 65% das 10 mil vagas foram preenchidas. - Foto: Unsplash

A quinta edição do Mutirão do Emprego em São Paulo teve início na última segunda-feira (28/09) e se estende provavelmente até o dia 02 de outubro de 2020. Estão sendo ofertadas 10 mil vagas de trabalho em mais de 20 empresas diferentes. Na versão de 2020, devido à pandemia ocasionada pela COVID-19, a logística será diferente.

O mutirão de emprego vai ser promovido apenas em ambiente virtual. Não haverá filas ou aglomerações no Vale do Anhangabaú, que está localizado no centro da capital paulista. Além das vagas de emprego, as empresas participantes também deverão disponibilizar cursos de qualificação profissional aos interessados.

Quer saber mais detalhes sobre o mutirão do emprego online? Acompanhe a matéria completa logo abaixo. Não se esqueça de conferir outros conteúdos de nosso site, como simulados e artigos. Temos certeza de que existe um material feito especialmente para você!

Como se inscrever às vagas do Mutirão do Emprego em São Paulo?

As inscrições poderão ser feitas entre os dias 28 de setembro e 02 de outubro de 2020. Basta acessar o site da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, em página destinada para o mutirão do emprego online, e seguir os passos indicados ao clicar em “cadastre seu currículo”.

Feito isso, os candidatos vão ter que ficar atentos às eventuais ligações que os recrutadores possam fazer. As contratações somente serão efetuadas após o contato por meio do número de telefone.

Sobre o Mutirão do Emprego em São Paulo

No “Mutirão do Emprego 2019”, pelo menos 65% das 10 mil vagas foram devidamente preenchidas. A ausência de qualificação, por outro lado, foi apontada como razão principal para que as empresas não suprissem todas as ofertas de oportunidades.

Idealizado pela União Geral dos Trabalhadores (UGT), o Mutirão do Emprego recebe apoio do Sindicato dos Comerciários de São Paulo. O projeto também possui parceria com o próprio governo paulista e o Instituto Paula Souza.

Crise econômica e impacto na renda dos paulistas

A crise ocasionada pelo novo coronavírus afetou diversos setores econômicos do país. Em São Paulo, mais da metade da população acabou perdendo a renda mensal (52%). O levantamento do Datafolha, realizado na capital de SP entre 21 e 22 de setembro de 2020, também destacou que o aumento de rendimentos ocorreu somente para 7% dos 1.092 entrevistados.

A perda de renda durante a pandemia, ainda conforme análises do Datafolha, foi mais intensa para as famílias que recebem até dois salários mínimos por mês. Entre os que se consideram autônomos, 66% alegaram perdas de rendimentos. No entanto, para quem ganha mais de dez salários mínimos, o cenário se modifica: apenas 33% passaram a receber menos dinheiro.

Em São Paulo, o auxílio emergencial foi solicitado por:

  • 69% dos atuais desempregados;
  • 67% dos autônomos;
  • 59% dos assalariados sem registro formal;
  • 46% das donas de casa;
  • 69% dos que buscam uma oportunidade de trabalho.
Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »