Governo fará mutirão para renegociar dívidas do Minha Casa, Minha Vida

De acordo com o governo federal, 500 mil famílias estão inadimplentes. Mutirão para renegociar dívidas dará tranquilidade aos proprietários.

mutirão para renegociar dívidas do Minha Casa, Minha Vida; Rogério Marinho

Mutirão deve ocorrer no primeiro trimestre de 2021. - Foto: Palácio do Planalto

Nesta terça-feira (25/08), o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, anunciou que o governo fará um mutirão para renegociar dívidas do Minha Casa, Minha Vida, programa habitacional que facilita a compra de residências para a camada mais pobre da população brasileira.

Segundo o ministro, o mutirão ocorrerá após o fim da pandemia do coronavírus, sendo esperado para o primeiro trimestre do ano de 2021. Marinho afirmou que a renegociação será feita com o auxílio da Caixa Econômica Federal.

Segundo ele, o mutirão dará tranquilidade aos proprietários de que suas casas serão mantidas. "A partir do final da pandemia, vamos fazer um grande mutirão nacional para permitir a essas famílias refazer as suas obrigações para com a Caixa e dar tranquilidade a suas famílias de que não vão ter suas residências tomadas", comentou o ministro.

Ainda de acordo com Marinho, para facilitar que quem esteja inadimplente fique em dia com os pagamentos, o governo alterou uma regra para os beneficiários da Faixa 1 do programa. Agora, é permitido que as renegociações sejam feitas dentro do próprio programa.

O governo aponta que somente dentro da Faixa 1 do Minha Casa, Minha Vida existem 500 mil famílias inadimplentes. A pandemia provocada pelo novo coronavírus pode colaborar para que o número aumente ainda mais. Sendo assim, o mutirão para que o débito pudesse ser discutido novamente foi visto com bons olhos pelo ministro.

Minha Casa, Minha Vida irá mudar

Na mesma terça-feira, antes do anúncio sobre o mutirão de renegociação de dívidas, foi revelado que o Minha Casa, Minha Vida passará por uma mudança estrutural e se chamará Casa Verde Amarela.

A ideia do governo é que as taxas de juros sejam reduzidas e que assim, cerca de um milhão de pessoas possam ser inclusas dentro do programa, sendo permitido que pequenas reformas ou mesmo regularizações possam ser feitas pelos proprietários.

No caso, o pagamento seria diluído junto à Caixa ao longo do financiamento e não de uma vez, por meio do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), como vinha ocorrendo no Minha Casa, Minha Vida. Além disso, está previsto que as regiões Norte e Nordeste terão juros menores.

O Casa Verde Amarela é parte das mudanças que o governo Bolsonaro pretende fazer em relação aos programas sociais. Outra aposta muito grande é o programa de transferência de renda, o Renda Brasil, que ainda não foi anunciado por causa dos valores do pagamento aos beneficiários.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »