Nota de R$ 200 terá "carreira curta", afirma Paulo Guedes

O ministro da Economia disse que as notas de R$ 200 e de R$ 100 vão cair em desuso, especialmente com a difusão do Pix. Saiba mais!

Com a chegada do serviço Pix, a nota de R$ 200 poderá ter “carreira curta”. O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a nova cédula foi criada para suprir um problema de logística, já que as pessoas “mais simples” não tinham acesso às ferramentas digitais.

"Esse lobo-guará, essa nota grande, foi inventada porque nós tínhamos um problema logístico de pagar as pessoas. As pessoas mais simples não tinham as ferramentas digitais. Tinha que dar o dinheiro físico. E quando dava o dinheiro ele ficava entesourado, ficava em uma comunidade e não saia de lá. Nós tivemos que criar uma nota alta na contramão do mundo", Guedes afirmou na última quinta-feira (29/10).

"No futuro, vai acabar o lobo-guará, a nota de R$ 200, a nota de R$ 100”, disse Guedes

De acordo com o ministro da Economia, os países mais ricos do mundo estão se esforçando para diminuir o valor das cédulas. A estratégia de limitar a circulação do dinheiro em espécie estaria relacionada com o combate à corrupção.

Por isso, Guedes ressaltou que as notas de R$ 200 e de R$ 100 devem cair em desuso, especialmente com a difusão do Pix. "No futuro, vai acabar a lobo-guará, a nota de R$ 200, a nota de R$ 100. Isso vai diminuir brutalmente. Da mesma forma que tivemos o auxílio emergencial, tivemos que pedir ajuda para o lobo-guará para o dinheiro circular", explicou.

Sobre o Pix

O Banco Central já aprovou as normas para o novo serviço de transferências e pagamentos (Pix). Essa plataforma havia sido anunciada em fevereiro de 2020. Na sua apresentação, o sistema foi alcunhado como uma opção para substituir TED, DOC, boletos e cheques.

Usando apenas aplicativos de celular, as transações do Pix acontecem em menos de 10 segundos. O novo recurso assegura que os procedimentos sejam feitos de maneira instantânea e em qualquer dia da semana. Veja, abaixo, outros benefícios elencados pelo Banco Central:

  • As operações podem ser feitas em qualquer dia e horário da semana;
  • A experiência do usuário deverá ser mais simples e rápida;
  • Segurança na usabilidade, já que as transações têm base na Rede do Sistema Financeiro Nacional (RSFN);
  • O PIX ficará disponível para bancos, instituições financeiras, fintechs e similares;
  • Os usuários podem realizar transferências de qualquer valor, bem como pagamentos em estabelecimentos físicos ou virtuais.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »