NOVA fase do auxílio emergencial em 2021 pode ser uma realidade; veja

Caso a proposta seja levada adiante, a nova fase do auxílio emergencial em 2021 será destinada para os trabalhadores informais mais necessitados.

Nova fase do auxílio emergencial em 2021: duas notas de cem reais por cima de notas de cinquenta reais

O novo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM - MG), enfatizou seu apoio à nova fase do auxílio. - Foto: Pixabay

O governo brasileiro está pensando na possibilidade de aprovar uma nova fase do auxílio emergencial ainda em 2021. De acordo com o jornal “Valor Econômico”, a proposta é de efetuar três pagamentos no valor de R$ 200 para os trabalhadores informais que estiverem economicamente desassistidos.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já destacou que a equipe do governo deverá buscar ferramentas para amenizar a crise durante a segunda onda da pandemia (COVID-19). Dessa maneira, uma nova fase do auxílio emergencial tende a se tornar realidade, especialmente se o número de contágios continuar aumentando.

Nova fase do auxílio emergencial em 2021

Em março de 2020, o programa do auxílio emergencial foi instituído para amenizar as crises econômicas ocasionadas pela COVID-19. Os beneficiários receberam parcelas de R$ 600 e, após a prorrogação ainda em 2020, as cotas passaram a ser transferidas no valor reduzido de R$ 300.

Agora, com uma possível nova fase do auxílio emergencial em 2021, os trabalhadores informais poderão contar com três parcelas de R$ 200. Para que isso aconteça, a equipe do presidente Jair Bolsonaro tenderá a congelar despesas tanto no âmbito dos estados quanto no contexto do próprio governo federal. Uma das possíveis mudanças diz respeito ao corte automático no reajuste dos servidores públicos.

“Se a pandemia tiver uma segunda onda, com mais de 1,3 mil, 1,5 mil, 1,6 mil mortes [diárias], saberemos agir com o mesmo tom decisivo, mas temos que observar se é o caso ou não… Se a doença volta, temos um protocolo de crise, que foi aperfeiçoado”, afirmou Paulo Guedes ao longo de evento virtual realizado pelo Credit Suisse.

Novo presidente do Senado apoia a continuidade do benefício

O novo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM - MG), enfatizou seu apoio à nova fase do auxílio emergencial neste ano de 2021. De acordo com suas próprias palavras, será preservada a discussão sobre os repasses para os trabalhadores informais, desde que a proposta não ultrapasse a regra do teto de gastos públicos.

Pacheco, em entrevista concedida para a CNN, reconheceu a importância de instaurar medidas emergenciais para as camadas vulneráveis. "O que eu busco é uma conciliação matemática, com fundamentos econômicos e fundamentos sociais, juntamente com a equipe de governo do Ministério da Economia, para que possamos encontrar um caminho de assistir essas pessoas realmente necessitadas", destacou.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »