Novo Bolsa Família pode ser definido antes de julho de 2021, diz Lira

Lira disse que a proposta do novo Bolsa Família deve partir do governo, mas ele pretende trabalhar para que as mudanças sejam votadas ainda em 2021. Saiba mais.

novo Bolsa Família em 2021: Arthur Lira em pronunciamento

"Vamos trabalhar para que ele [novo Bolsa Família] seja votado em 2021", afirmou Lira. - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), vê margem para que a reformulação do Bolsa Família seja deliberada antes de julho de 2021. Até porque a rodada de pagamentos do auxílio emergencial será finalizada no mesmo mês. Isso, na visão de Lira, indica a necessidade de pensar em estratégias assistenciais, incluindo o lançamento do novo Bolsa Família ainda em 2021.

"(...) Vamos trabalhar para que ele seja votado em 2021. A expectativa é de um programa mais inclusivo que o [atual] Bolsa Família, com um valor nominal maior, com regras que facilitem a entra e a saída do beneficiário do programa. Se a pessoa conseguir um emprego formal, ótimo, mas se ela não tiver sucesso que possa voltar rapidamente ao programa”, informou em entrevista para a Revista Exame.

Vale ressaltar que o ministro da Economia, Paulo Guedes, também comentou sobre a reformulação do Bolsa Família. Durante o “BTG Pactual Brasil CEO Conference 2021”, ele disse que uma nova prorrogação do auxílio emergencial depende da evolução da pandemia. Caso os números de contágios e mortes diminuam, Guedes vê a possibilidade de voltar os esforços para o programa Bolsa Família.

"Isso [nova prorrogação do auxílio emergencial em 2021] é uma outra conversa, depende da pandemia. Se a pandemia continuar conosco, nós temos que ir renovando as camadas de proteção. Se a pandemia recua, nós podemos já passar para o Bolsa Família", argumentou Guedes na última terça-feira, dia 25 de maio de 2021.

Mudanças previstas para o “novo Bolsa Família”

O presidente Jair Bolsonaro, em pronunciamentos anteriores, já havia sinalizado a possibilidade de aumentar o valor das parcelas do Bolsa Família. Conforme o chefe do Executivo, a ideia seria de estabelecer a quantia média de R$ 250 para os beneficiários do programa. Os inscritos no Bolsa Família, atualmente, recebem cerca de R$ 192.

"Hoje a média é R$ 192. O auxílio emergencial tá R$ 250, é pouco, mas é muito maior que a média do Bolsa Família, que a gente pretende passar para R$ 250 agora em agosto, setembro", afirmou Bolsonaro. Em março de 2021, o ministro da Cidadania, João Roma, comentou que existem estudos para reformular o programa Bolsa Família. A ideia seria de lançar o novo programa a partir do mês de agosto.

"Estamos, sim, estudando uma reestruturação do programa para que, já no mês de agosto, após a última parcela do auxílio, beneficiários do Bolsa Família possam encontrar um programa mais robusto. Que possa, de fato, servir como um caminho intermediário na saída do auxílio para retomada, inclusive, do crescimento econômico brasileiro e avançar com essa rede de proteção", afirmou o ministro João Roma.

Confira, abaixo, algumas mudanças que poderão ser estabelecidas com o novo Bolsa Família:

  • Novo valor para as parcelas médias do Bolsa Família (de R$ 192 para R$ 250);
  • Inclusão de mais cadastros no programa Bolsa Família. Atualmente, cerca de um milhão de unidades familiares estão na lista de espera e aguardam parecer do governo federal;
  • Auxílio-creche mensal de R$ 52 por criança;
  • Incentivo para as pessoas que se inscrevam em cursos profissionalizantes;
  • Prêmio anual de R$ 200 para estudantes com os melhores desempenhos escolares;
  • Bolsa mensal de R$ 100, além de prêmio anual de R$ 1.000, para os estudantes que se destacarem nas áreas esportivas e de C&T (Ciência e Tecnologia);
  • Auxílio-creche mensal de R$ 200 para as mães que recebem as parcelas do Bolsa Família.
Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »