Novo golpe envolvendo auxílio emergencial está sendo feito por e-mail

Atenção! Em mensagem de e-mail, os hackers pedem para que os beneficiários do auxílio emergencial realizem um falso procedimento de segurança. Saiba mais.

Novo golpe envolvendo auxílio emergencial está sendo feito por e-mail: em ambiente escuro, somente é possível ver a tela de um computador com linhas de código

Com o novo golpe envolvendo o auxílio emergencial, os hackers capturam dados bancários, senhas, fotos e vídeos. - Foto: Unsplash

É bastante comum identificar golpes quando uma determinada pauta está em evidência na mídia. Esse foi o caso do auxílio emergencial, ainda mais em razão do anúncio sobre a prorrogação do benefício. De acordo com notificação emitida pela Polícia Federal nesta sexta-feira (11/09), alguns hackers estão enviando uma falsa mensagem por e-mail.

Tudo isso com o objetivo de roubar dados pessoais pelos sistemas da Caixa Econômica Federal. A mensagem maliciosa pede para que os beneficiários realizem um falso procedimento de segurança, no sentido de não perder o acesso ao auxílio emergencial.

Acompanhe a matéria completa e entenda como o novo golpe está sendo aplicado. Não se esqueça de conferir outros conteúdos de nosso site, como simulados e artigos. Temos certeza de que existe um material feito especialmente para você!

Como o novo golpe envolvendo auxílio emergencial está sendo aplicado?

No final da mensagem encaminhada, os hackers solicitam que os beneficiários do auxílio apertem em um botão para seguir as instruções indicadas na tela. Feito isso, o aparelho (computador ou celular) acaba sendo infectado com programas maliciosos. Eles capturam informações pessoais, como dados bancários, senhas, fotos e vídeos.

Por essa razão, recomenda-se não clicar em nenhum dos links encaminhados por e-mail, SMS ou número de WhatsApp. Também é importante evitar ao máximo o fornecimento de dados pessoais/bancários em links ou aplicativos suspeitos.

Os beneficiários do auxílio, caso possuam alguma dúvida, devem entrar em contato com a própria Caixa para verificar se existem pendências nos cadastros. Até porque as instituições bancárias geralmente não enviam e-mails sobre questões de segurança.

A comunicação com os beneficiários é realizada diretamente pelo aplicativo Caixa Tem (disponível para sistemas Android e iOS). Por conseguinte, se você for vítima de um golpe envolvendo o auxílio emergencial, é importante fazer um registro de ocorrência em alguma delegacia policial.

Golpe envolvendo o auxílio emergencial: milhões de tentativas já foram realizadas desde então

Até o final de maio de 2020, aproximadamente 11 milhões de tentativas de golpe do auxílio emergencial foram aplicadas por meio de WhatsApp e das redes sociais. O Laboratório Especializado em Segurança Digital da PSafe (dfndr lab) informou que já surgiram 250 aplicativos falsos, além de 125 páginas relacionadas ao coronavírus.

Emílio Simoni, diretor do dfndr lab, destacou que os criminosos aproveitam temporadas específicas para realizar os golpes, como feriados, grandes eventos e épocas festivas. De acordo com Simoni, a intenção dos hackers é de “roubar dados pessoais e financeiros ou levar as vítimas em páginas falsas para visualizar publicidades excessivas. É possível afirmar que todos estão mais suscetíveis a golpes e fake news nesse período”.

Entre os golpes envolvendo o auxílio emergencial, os hackers pedem para que as vítimas respondam questionários ou forneçam dados pessoais. Um deles, por exemplo, abrange perguntas como “Você é beneficiário do Bolsa Família?”. Após as respostas, os usuários são incentivados a compartilhar um link que dá acesso às parcelas do benefício. Dessa maneira, a pessoa enganada também se transforma em um vetor de propagação do mesmo golpe.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »