Novo programa pode substituir auxílio emergencial e Bolsa Família

Ainda em estudos iniciais, o novo programa poderá ser lançado após a concessão do auxílio emergencial em 2021, ou seja, a partir do mês de agosto. Saiba mais.

Novo programa após auxílio emergencial 2021: Fernando Bezerra em pronunciamento

De acordo com o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra, o novo programa pode substituir o Bolsa Família. - Foto: Roque de Sá/Agência Senado

De acordo com líder do governo no Senado, Fernando Bezerra MDB-PE), existem estudos em andamento para implementar um programa social “mais robusto”. Esse projeto poderá ser lançado após a concessão das quatro parcelas do auxílio emergencial em 2021, ou seja, a partir do mês de agosto.

Em entrevista para a GloboNews, Bezerra explicou que o novo programa deve substituir o Bolsa Família. O objetivo será de contemplar um maior número de beneficiários no país, bem como ajustar o valor médio das parcelas.

Ainda de acordo com o parlamentar, o Palácio do Planalto deverá entregar o projeto até o mês de julho de 2021. A equipe econômica do governo deverá usar os R$ 35 bilhões que seriam destinados ao Bolsa Família, no sentido de não comprometer os cofres públicos da União.

Previsões após o fim do auxílio emergencial em 2021

Se o governo não aprovar outra prorrogação em 2021, o auxílio emergencial será composto por apenas quatro repasses. A primeira parcela já foi paga para os beneficiários, sendo que a segunda deverá ser depositada a partir do dia 16 de maio.

Durante audiência pública, o ministro Paulo Guedes informou que, após o fim do auxílio emergencial, será necessário implementar um programa social mais “sustentável”. A estratégia seria de aprimorar o Bolsa Família ou implementar o Renda Brasil, que havia sido mencionado por Guedes em ocasiões anteriores.

Em contrapartida, vale lembrar que o presidente Jair Bolsonaro, no ano passado, deu “cartão vermelho” para criação do Renda Brasil. A hipótese mais viável, então, diz respeito às mudanças Bolsa Família, como aumento no valor das parcelas e inclusão de mais cadastros.

Até porque o ministro da Cidadania, João Roma, destacou que existem estudos para aprimorar o programa a partir do segundo semestre de 2021. "Estamos, sim, estudando uma reestruturação do programa para que, já no mês de agosto, após a última parcela do auxílio, beneficiários do Bolsa Família possam encontrar um programa mais robusto”, disse.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »