Ano se encerra com crescimento do número de concursados contratados

Neste ano, 16.650 novos servidores ingressaram na carreira pública federal, segundo dados do MPOG.

Dados divulgados recentemente pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) certamente animaram muitos concurseiros pelo Brasil afora. É que em 2012 foi registrado um aumento de 7,44% no número de concursados convocados para assumir seus cargos. Isto significa que 16.650 novos servidores ingressaram no serviço público ante os 15.444 chamados no ano passado (1.206 pessoas a mais).

A educação foi área mais beneficiada como 50% das vagas autorizadas. Saúde e segurança pública também entram no topo das prioridades de contratação do governo. Para 2013, a Lei Orçamentária autorizou 49 mil contratações

Ainda assim, os números indicaram que a quantidade de contratações  ficou abaixo da projetada pelo MPOG para o período, que era de 16.794 novos postos, dos quais 10.317 se destinariam a novos provimentos e 6.477 à substituição de terceirizados.

Quantidade de contratações é "autorizativa"

A quantidade de convocados é bastante inferior aos 54,7 mil novas vagas previstas na Lei Orçamentária Anual (LOA). De acordo com a secretária de Gestão Pública (Segep) do Ministério do Planejamento, Ana Lúcia Amorim, a quantidade prevista é apenas “autorizativa”: “não houve queda (nas contratações). Historicamente, o que é efetivado é sempre inferior, isso acontece todos os anos”, explicou a secretária.

Efetivamente, o Anexo 5 da LOA é apenas autorizativo por considerar todas as possíveis contratações dos três Poderes, com previsões que vão além do próximo exercício.

“Estamos falando de uma peça plurianual, cumulativa”, que abrange vagas para cargos efetivos e comissionados civis, para cargos militares e ainda quantitativos relativos à criação de cargos herdados de orçamentos anteriores que não foram ainda aprovados no Congresso Nacional.  Em 2012, educação foi a área mais beneficiada, com 50% das vagas autorizadas, no total de 8.440. Em 2011, esse percentual havia sido 70%. Saúde e segurança pública também entram no topo das prioridades de governo, com 4.161 e 1.513 novas convocações, respectivamente.

Para 2013, a LOA autorizou 49,3 mil contratações. Segundo a margem orçamentária do Ministério do Planejamento, ao descontar o efetivo militar e os cargos comissionados, o número cai para 37,2 mil novos postos. Ana Lucia disse que o momento de instabilidade financeira mundial e o fraco desempenho econômico brasileiro não alteram a quantidade de contratações. “O ritmo das autorizações está dentro da normalidade, levando-se em conta que a recomposição de quadros por meio de concurso público realizada nos últimos anos já chegou a patamares de estabilidade em relação à composição de pessoal”.

Que em 2013 os números se tornem ainda mais animadores!

Edição com reportagem da Agência Brasil

Compartilhe