“Concurseiro mais novo do Brasil” tem 11 anos e quer ser Promotor

Otavio Ferreira ganhou apreço pela área jurídica quando o seu pai começou a levá-lo para as aulas de Direito Penal. Foi amor à primeira vista.

O concurseiro mais novo do Brasil: montagem com duas fotografias. Na primeira, é possível ver o jovem Otavio Ferreira. Na segunda, ele está acompanhando de seu pai Miqueias.

Antes de mais nada, o jovem Otavio é um grande sonhador. - Foto: Instagram / @otavionapromotoria

Você já sabe qual cargo pretende se dedicar para o ingresso na carreira pública? Porque o pequeno Otavio Ferreira, de apenas 11 anos de idade, já firmou na cabeça que deseja ser Promotor de Justiça! O "concurseiro mais novo do Brasil” mora na região de Águas Claras/DF e ganhou apreço pelos estudos na área jurídica. Tudo teve início quando ele passou a acompanhar as aulas de Direito Penal de seu pai Miqueias, que é graduando na área e soldado militar do DF (PMDF).

“Às vezes, eu levava o Otavio nas sextas-feiras para passar um tempo comigo, né? Passear um pouquinho. E, aí, ele gostou muito dos professores dando aula de Direito Penal, explicando o papel do juiz, do promotor e de todo o sistema do judiciário. Gostou tanto que começou a me perguntar sobre o papel específico do Promotor de Justiça e eu expliquei pra ele”, o soldado Miqueias explicou para a equipe do Concursos no Brasil.

Entretanto, o futuro concurseiro não se contentou apenas com os estudos realizados por conta própria. Otavio queria compartilhar todos os conhecimentos apreendidos ao longo das aulas de Direito Penal.

Inspirado no Instagram de Sophia Cunha, filha do promotor Rogério Sanches, ele passou a mostrar um pouco dos seus estudos em seu perfil da rede social, além de promover lives com profissionais da área jurídica.

O resultado? A sua conta @otavionapromotoria já alcançou mais de 6 mil seguidores completamente cativados pela dedicação de Otavio em alcançar o sonho de ser Promotor de Justiça. “Ele disse para mim: 'pai, eu quero ser Promotor! Muito fera, quero ajudar o Brasil, acabar com a corrupção e participar do tribunal do júri!'”, Miqueias comentou sobre as ambições do filho.

Sonhos anteriores e um novo hobby

O jovem Otavio é um grande sonhador. Antes de interessar pelo universo jurídico, ele já era bastante fã de futebol e teve vontade de ser médico ou cantor. Miqueias queria se aproximar de seu filho ao levá-lo para as aulas de Direito Penal, mas não sabia que isso se transformaria em um novo hobby de Otavio.

“Ele brinca com o direito nas horas vagas. Está curtindo a fase dele, né? Meu filho usa a hashtag #oConcurseiroMaisNovodoBrasil, mas é claro que ele não se inscreve em concursos públicos [risos]", Miqueias explicou.

"A primeira obrigação dele é com a escola, seus afazeres domésticos, cuidar do quarto dele, arrumar as coisas dele, né? E aí, quando ele tá com tempo livre, ele faz as suas lives. Com essa quarentena, ele ficou com mais tempo ocioso. Por isso, resolveu montar mais conteúdo. A gente foi procurar alguns professores famosos por aí, delegados, que se propuseram a fazer os vídeos com ele. E aí foi deslanchando".

Primeiro desafio do “concurseiro mais novo do Brasil”

Apesar de ter apenas 11 anos de idade, Otavio já passou por sua primeira grande barreira em relação aos concursos públicos. Isso porque o jovem conseguiu a aprovação no Colégio Militar Tiradentes, no Distrito Federal.

De acordo com Miqueias, o seu filho passou pelos rituais que todos os concurseiros já conhecem de cor e salteado: fez cursinho preparatório, ficou na expectativa de ser aprovado, esperou impacientemente pela nota e sentiu todos os nervosismos do processo.

Hoje, Otavio já está no sexto ano do ensino fundamental. “Ele ficou muito feliz em ver o seu nome no diário oficial, quando foi aprovado no colégio militar", disse o soldado Miqueias.

Inspiração

Miqueias sente muito orgulho das escolhas do filho e está disposto a incentivá-lo a alcançar os seus objetivos, mesmo que Otavio não queira mais ser Promotor de Justiça. O importante é mantê-lo inspirado a continuar na direção do que faz sentido para si mesmo.

“O meu conselho é de sempre apoiar o filho nas escolhas que tragam bons frutos. Hoje, o sonho dele é em ser promotor de Justiça, um sonho muito bonito. Mas amanhã, se ele quiser mudar de sonho, quiser outra coisa, a gente vai estar apoiando sim, claro”, disse.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »