Oportunidades na área de Tecnologia da Informação

Na iniciativa privada ou no serviço público, o mercado continua favorável para os profissionais de TI.

A sigla TI já não é tão nova. Com certeza, você já deve ter ouvido falar em Tecnologia da Informação em algumas das suas leituras sobre carreiras em ascensão, ou quando pesquisou sobre qual profissão seguir. Fato é que o mercado de trabalho, tanto na iniciativa privada quanto no funcionalismo público, nunca esteve tão interessado em profissionais de TI como agora.

Isso porque estão nas atribuições destes profissionais o uso de todas as formas de tecnologia para criar, armazenar e trocar informações em suas formas variadas, que podem ser concebidas em dados comerciais, conversas, imagens, filmes, apresentações em multimídia, entre outras funções.

A falta de profissionais que dominem habilidades como essas - diferencial que rendeu reajuste salarial de 15% para a categoria no ano passado - além da relativa escassez gente bem formada no mercado tem favorecido a contratação a peso de outro por empresas interessadas em bons profissionais. Isso sem dúvida irá se refletir na realização de cada vez mais concursos públicos na área. Para se ter uma ideia, na visão da Virgínia Duarte, gerente do Observatório Softex (Centro de Tecnologia de Software de Brasília), o Brasil vai amargar uma perda de R$ 115 bilhões em lucros, se não contar com uma boa quantidade e qualidade de profissionais de TI realmente preparados.

Concursos públicos

No funcionalismo público a urgência é a mesma, já que a proposta de usar a tecnologia a favor de um eficiente serviço público também precisa do suporte destes profissionais. A empresa Cobra Tecnologia AS, que presta serviço para o Banco do Brasil, está com as inscrições abertas para concurso que pretende contratar TI em regime imediato. As inscrições dever ser feitas até o dia 5 de dezembro de 2012, com oferta salarial inicial de R$ 1.460,67, para técnico em TI, e R$ 3.213,46, para os analistas.

Este ano também foram realizados concursos para contratação de TI pela Agência Nacional de Petróleo, Tribunal de Contas do Espírito Santo, Companhia Energética de Minas Gerais, Controladoria Geral da União, e alguns outros órgãos. A expectativa é de que esses profissionais também sejam requisitados em 2013.

Existem casos de TI´s começarem no serviço público com salário inicial de R$ 10.000,00 somando-se a isso benefícios, algo melhor do que muitas vagas na carreira privada. No entanto, segundo a própria gerente da Softex, o futuro  - tanto em desafios de trabalho, quanto em ascensão e questão salarial -  só tende a crescer para estes profissionais. "Perfil do profissional, carreira, condições de contratação, modelo de negócio, nível de escolaridade e remuneração são pontos que tendem a melhorar para o TI".

Confira alguns concursos abertos para profissionais de TI:

Analistas de sistemas

Analistas em tecnologia da informação

Programadores

Técnico em informática

Técnico de tecnologia da informação

Para saber mais sobre outros concursos abertos por cargo específico, clique aqui.

***

Leia também: Setor de TI encerra 2012 com déficit de 115 mil especialistas

O setor de TIC, que faturou 197 bilhões de dólares (em 2011), segundo a IDC, emprega 1,2 milhão de profissionais atualmente. Apesar dos números vultuosos, esse exército ainda não é suficiente para atender a demanda brasileira. Estudos da Brasscom apontam que o País deverá fechar 2012 com um déficit de 115 mil especialistas em TI, ante 92 mil no ano passado.

Levantamentos da Brasscom estimam que o setor continuará aquecido e com taxas de crescimento anual em torno de 10% até 2015, aumentando mais ainda a demanda por talentos de TI. O mercado brasileiro de TI cresce acima de 10% ao ano e mesmo assim as empresas não conseguem achar especialistas no mercado de acordo com suas necessidades. Esse problema vem obrigando muitas a investir em programas de treinamento internos para formar seus talentos. Porém, algumas vezes é necessária a contratação de mão de obra mais cara e sofisticada por atividades que poderiam ser executadas por profissionais.

Para combater o apagão de talentos o governo federal criou o programa Brasil Mais TI que tem como meta qualificar pelo menos 10 mil profissionais ao ano.

Edição com informações do Cepromat (texto de Viviane Moura)


Compartilhe

Comentários