Pagamento do auxílio emergencial já COMEÇOU? Descubra aqui

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, já promulgou a PEC sobre o auxílio emergencial de 2021. Estão previstos quatro pagamentos iniciais. Veja os detalhes.

Pagamento do auxílio emergencial 2021: mão segurando celular. Na tela do aparelho, é possível ver a página do auxílio emergencial

As novas parcelas do programa somente vão ser transferidas a partir de abril de 2021. - Foto: Reprodução/Senado Federal

Mesmo que a PEC sobre o auxílio emergencial já tenha sido promulgada, o calendário de pagamentos ainda não foi divulgado pelo governo brasileiro. A Caixa ficará responsável por definir todos os prazos para recebimento das parcelas. Conforme informações preliminares, serão fornecidas quatro cotas médias de R$ 250 até junho de 2021.

O primeiro pagamento, de acordo com o ministro da Cidadania, João Roma Neto, deverá ser liberado a partir do dia 05 ou 06 de abril de 2021. Terão prioridade, de início, os trabalhadores inscritos no CadÚnico, seguidos dos informais que se cadastraram no aplicativo da Caixa. No caso dos inscritos no Bolsa Família, o calendário seguirá as datas habituais do programa.

"O calendário do pagamento nós vamos divulgar até o início da próxima semana, mas já posso antecipar que o pagamento ocorrerá a partir do início do mês de abril. Aproximadamente entre 5 e 6 de abril, nós já buscamos viabilizar o início do pagamento do auxílio emergencial", informou o ministro da Cidadania na última segunda-feira (22/03), ao longo de entrevista para uma rádio baiana.

Pagamento do auxílio emergencial de 2021

As novas parcelas do programa somente vão começar a ser transferidas na primeira semana de abril de 2021. Durante evento online do jornal Jota, o ministro Paulo Guedes disse que a primeiro pagamento já está sendo agilizado. A meta inicial era de liberá-lo ainda em março, mas as tramitações da PEC Emergencial não foram concluídas no prazo esperado.

O ministro da Economia enfatizou que a prorrogação do benefício não saiu antes em razão dos trâmites políticos. Ele explicou que a autorização de gastos extraordinários, inclusive quanto às novas parcelas, conta com “tempo próprio” na política. Com a promulgação definitiva da PEC Emergencial, o calendário de pagamentos será publicado ao longo dos próximos dias.

Estão previstos quatro pagamentos com os seguintes valores variáveis:

  • Parcelas de R$ 150: para pessoas economicamente vulneráveis, desde que morem sozinhos e não tenham filhos/dependentes;
  • Parcelas de até R$ 375: para as mulheres chefes de família/provedoras do lar. Em 2020, elas tiveram direito às cotas dobradas do benefício (R$ 1.200 nos primeiros meses e R$ 600 nas parcelas residuais);
  • Parcelas médias de R$ 250: para os demais beneficiários do auxílio emergencial 2021.

Como consultar os pagamentos do auxílio emergencial 2021

O governo brasileiro não pretende liberar prazo para novas inscrições do auxílio emergencial 2021. Até porque a pretensão é usar os dados que já foram cadastrados no ano passado. Dessa maneira, os inscritos no programa somente poderão consultar os saldos de seus pagamentos. A Dataprev, desde o início do programa, conta com uma página específica para efetuar esse procedimento.

Confira como será possível consultar o saldo das novas parcelas de 2021:

  • Acesse a página da Dataprev;
  • Digite os dados solicitados, como CPF, nome completo do beneficiário, data de nascimento e nome da mãe;
  • Após, clique em “Enviar” e espere a página carregar por completo. Por meio dela, será possível conferir o saldo do auxílio emergencial 2021.

Detalhe importante: os beneficiários também poderão realizar o mesmo procedimento pelo aplicativo Caixa Tem (Android e iOS). Seu sistema opera como uma espécie de conversa pelo WhatsApp, com mecanismos intuitivos. Por meio do app, é possível consultar saldos, emitir extratos, realizar pagamentos e efetuar transferências bancárias.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »