Pandemia: QuintoAndar cobriu R$ 50 mi em aluguéis atrasados; entenda

Desde 2015, a imobiliária digital já cobriu R$ 200 milhões para os proprietários dos imóveis. Um quarto desse valor foi repassado entre março e junho de 2020.

QuintoAndar cobriu R$ 50 mi em aluguéis atrasados: enquadramento fechado em parte externa de prédio

Os inquilinos tiveram os seus rendimentos reduzidos e não estão conseguindo pagar os aluguéis. - Foto: Pxhere

Devido aos efeitos da crise ocasionada pelo novo coronavírus, a imobiliária QuintoAndar desembolsou o total de R$ 50 milhões para cobrir os aluguéis dos inquilinos que não realizaram o pagamento durante o período de pandemia.

A empresa digital criou o mecanismo de garantia no ano de 2015. Desde então, ela teve que arcar com R$ 200 milhões para quase 20 mil proprietários dos imóveis. Um quarto do valor foi repassado pelo QuintoAndar somente entre os meses de março e junho de 2020.

Acompanhe a matéria completa e fique por dentro de mais detalhes. Não se esqueça de conferir outros conteúdos de nosso site, como simulados e artigos. Temos certeza de que existe um material feito especialmente para você!

Crise em razão da pandemia: QuintoAndar garante valores dos aluguéis atrasados para os proprietários

A situação verificada pela empresa QuintoAndar abre margem para entender os efeitos da crise econômica no país. Afinal, os inquilinos tiveram os seus rendimentos reduzidos e não estão conseguindo realizar o pagamento dos aluguéis. Isso influencia diretamente na própria receita dos proprietários dos imóveis.

Com o mecanismo de garantia, os valores em atraso são cobrados diretamente dos inquilinos. A negociação das parcelas pendentes geralmente funciona por meio de análise em relação ao histórico de pagamento. Dessa maneira, o QuintoAndar oferece opções viáveis para quitar as dívidas.

“Esse foi um dos diferenciais que pensamos desde o começo do QuintoAndar e, agora mais do que nunca, fica claro que foi uma aposta acertada”, afirmou Gabriel Braga, co-fundador e CEO da imobiliária digital. “No modelo de fiador, o proprietário do imóvel pode demorar para obter a garantia, às vezes, o fiador não é encontrado, a cobrança pode demorar a ser feita, tanto por via judicial como extrajudicial”.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »