Para receber o auxílio emergencial, é necessário ter conta na Caixa?

As parcelas do auxílio emergencial 2021 serão depositadas nas poupanças sociais dos beneficiários, abertas pela Caixa Econômica Federal. Saiba mais.

O governo brasileiro aprovou novas parcelas do auxílio emergencial em 2021, que deverão ser liberadas a partir do início de abril. De acordo com o Ministério da Cidadania, os pagamentos vão ser depositados nas poupanças sociais digitais dos beneficiários. Vale lembrar que elas já foram abertas de maneira automática pela Caixa Econômica Federal (CEF), especificamente ao longo do ano passado.

"O pagamento aos trabalhadores elegíveis ao auxílio emergencial 2021 será feito por meio de conta poupança social digital, aberta automaticamente pela Caixa, de titularidade do trabalhador", informou o Ministério da Cidadania. 

Dessa maneira, as movimentações das parcelas poderão ser efetuadas diretamente pelo aplicativo da instituição bancária (Caixa Tem). Essa plataforma funciona como uma espécie de conversa por WhatsApp, com recursos intuitivos e autoexplicativos. Pelo app, será possível consultar saldos, emitir extratos, realizar pagamentos online e efetuar transferências bancárias.

Como saber se vou receber o auxílio emergencial 2021?

De acordo com a medida provisória de nº 1.039, o auxílio emergencial 2021 só será pago para as famílias com ganho total de até três salários mínimos ao mês, desde que a renda per capita seja menor do que meio salário mínimo. E para os inscritos no Bolsa Família? Nesse caso, continuará valendo a regra do valor mais alto. Ou seja, as unidades familiares vão garantir o benefício que for mais vantajoso (auxílio emergencial 2021 ou Bolsa Família).

As novas parcelas, de início, serão transferidas apenas para aqueles que receberam os repasses de 2020, já estavam cadastrados no programa e continuam fazendo jus ao benefício. Assim sendo, mesmo quem passou a ter direito neste ano de 2021 poderá ficar de fora da lista de contemplados. O governo brasileiro deverá organizar os pagamentos com base nos cadastros do ano passado, tendo como prioridade:

  • 28.624.776 beneficiários não inscritos no CadÚnico e já inscritos em plataformas digitais da Caixa;
  • 6.301.073 integrantes do CadÚnico;
  • 10.697.777 atendidos pelo Bolsa Família;
  • Total: 45,6 milhões de contemplados.

Os cidadãos que passaram a ter direito às parcelas, como informais que perderam o emprego no início de 2021, somente serão atendidos se sobrarem recursos após a concessão dos novos pagamentos. Mais informações sobre o assunto deverão ser divulgadas ao longo das próximas semanas, bem como o calendário oficial de depósitos.

Parcelas serão depositadas pelas contas digitais da Caixa

Para conceder os novos repasses, o governo se baseará nos cadastros que foram registrados no ano de 2020. A ideia é de passar um “pente fino” nos antigos beneficiários que não precisam mais do auxílio emergencial. Assim como aconteceu no ano passado, o calendário de pagamentos será escalonado de acordo com o mês de nascimento dos beneficiários. A exceção residirá aos inscritos no Bolsa Família, já que eles vão contar com as datas habituais do programa.

Todos os beneficiários poderão movimentar suas parcelas pelo aplicativo Caixa Tem. Pela plataforma, será possível gerar um cartão virtual de débito para compras em supermercados e outros estabelecimentos comerciais. Vale lembrar que, desde o início do auxílio emergencial, inúmeras lojas permitem esse tipo de pagamento. Acompanhe, abaixo, como acessar o Caixa Tem pela primeira vez:

  • Instale o Caixa Tem em seu celular. Ele está disponível para dispositivos móveis com sistemas Android e iOS;
  • O primeiro cadastro geralmente é feito por meio do seu CPF e uma senha numérica de seis dígitos;
  • Após informar os dados solicitados, os beneficiários poderão tocar no serviço desejado dentro do sistema do Caixa Tem.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »