Parcelas extras do auxílio emergencial 2021 custarão R$ 18 bilhões

Depois de confirmar o pagamento do auxílio emergencial por mais dois meses, Paulo Guedes informou que será preciso abrir crédito para a extensão do benefício.

prorrogação do auxílio emergencial: governo recebeu quase R$ 5 bilhões; pessoa segurando dinheiro e smartphone

Em junho, já será feito o depósito da terceira parcela. - Foto: Agência Brasil

A prorrogação do auxílio emergencial por mais dois meses, realizando pagamentos em agosto e setembro de 2021, foi confirmada nesta terça-feira (08/06). O governo informou que as parcelas excedentes custarão em torno de R$ 18 bilhões. Sendo assim, será necessário abrir crédito extraordinário, uma vez que o orçamento previsto de R$ 44 bilhões não será o suficiente para todos os pagamentos.

"O auxílio emergencial são R$ 9 bilhões por mês. Então, seriam R$ 18 bilhões por dois meses. Só que R$ 7 bilhões já estão lá de remanescente do auxílio emergencial do ano passado. Precisaríamos de R$ 11 bilhões, que viriam por crédito extraordinário", explicou o ministro da Economia, Paulo Guedes. Por causa das novas parcelas, é provável que o governo não aumente o número de beneficiários nem o valor pago.

Guedes fala da possibilidade de terceira parcela extra do auxílio

Além das duas cotas a mais confirmadas, o ministro informou que a extensão do benefício pode ser ainda maior. Segundo Guedes, pode haver pagamentos do auxílio emergencial até outubro, com uma terceira parcela extra, dependendo do andamento da vacinação dos adultos. 

Em conferência virtual da Frente Parlamentar do Setor de Serviços, ele afirmou que "todos os governadores estão dizendo que toda a população adulta estará vacinada no final de setembro. Se isso não acontecer, a gente estende o auxílio emergencial. Nós estamos estendendo para agosto e setembro. Se for necessário, estenderemos mais".

De acordo com Guedes, o benefício é uma arma do governo que pode ser renovada se as mortes por COVID-19 continuarem aumentando e o processo de vacinação não for rápido como o esperado. "O presidente Jair Bolsonaro é quem vai decidir o prazo [de prorrogação do auxílio emergencial]. Primeiro, esses dois ou três meses, e então devemos aterrissar em um novo programa social que vai substituir o Bolsa Família", concluiu.

3ª parcela do auxílio emergencial tem datas para junho

Das quatro parcelas originais do auxílio emergencial 2021, em junho já será iniciado o pagamento da terceira rodada. Veja as datas para o público em geral:

  • Nascidos em Janeiro: 20 de junho;
  • Nascidos em Fevereiro: 23 de junho;
  • Nascidos em Março: 25 de junho;
  • Nascidos em Abril: 27 de junho;
  • Nascidos em Maio: 30 de junho;
  • Nascidos em Junho: 04 de julho;
  • Nascidos em Julho: 06 de julho;
  • Nascidos em Agosto: 09 de julho;
  • Nascidos em Setembro: 11 de julho;
  • Nascidos em Outubro: 14 de julho;
  • Nascidos em Novembro: 18 de julho;
  • Nascidos em Dezembro: 21 de julho.

Os beneficiários do Bolsa Família também receberão o auxílio emergencial e os pagamentos levam em conta o dígito final do Número de Identificação Social (NIS). Veja:

  • NIS 1: 17 de junho;
  • NIS 2: 18 de junho;
  • NIS 3: 21 de junho;
  • NIS 4: 22 de junho;
  • NIS 5: 23 de junho;
  • NIS 6: 24 de junho;
  • NIS 7: 25 de junho;
  • NIS 8: 28 de junho;
  • NIS 9: 29 de junho;
  • NIS 0: 30 de junho.
Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Comentários

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »