Pazuello afirma que resolverá irregularidades em seletivo na Saúde

Ministro da Saúde se reuniu com parlamentares e sindicalistas para ouvir sobre as irregularidades do certame e prometeu uma solução.

Pazuello afirma que resolverá irregularidades em seletivo na Saúde, Eduardo Pazuello

Ministério da Saúde realizou certame no Rio de Janeiro. - Foto: Ministério da Saúde/ Divulgação

Na semana passada, o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que irá resolver irregularidades no processo seletivo do Ministério, realizado no Rio de Janeiro. A declaração ocorreu após uma reunião com parlamentares e sindicalistas da área que apontaram problemas durante o certame.

De acordo com o ministro, ninguém dos 40 mil candidatos do processo seletivo Ministério da Saúde está eliminado, ele aproveitou para reforçar que sua função é “proteger a rede de forma que se mantenha o serviço à população usuária”.

Segundo a dirigente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência Social no Rio de Janeiro (Sindsprev/RJ), Cristiane Gerardo, que estava na reunião, o debate foi produtivo e a mensagem foi repassada ao ministro com sucesso.

“A audiência foi bastante positiva porque confirmou a existência de inúmeros problemas do atual certame. Os mesmos problemas que estamos denunciando há mais de um mês. Esperamos que a solução adotada restitua o pleno direito dos candidatos que foram prejudicados durante e após se inscreverem no processo seletivo”, comentou.

Quais foram as irregularidades

De acordo com as denúncias realizadas pelos profissionais de saúde, o processo seletivo não observou critérios previstos no edital. A primeira reclamação envolve o ponto adicional para cada ano de experiência comprovada pelos candidatos na nota final.

Também foi apontado que não houve um redirecionamento automático para quem disputava vagas para Pessoas com Deficiência (PcD) e ainda teve uma exclusão de profissionais que atuam em unidades de saúde da União.

Por conta de todos os pontos citados, muitos se sentiram prejudicados e recorreram à Justiça para poder obter seus direitos. Um parecer do Ministério da Saúde chegou a recomendar que o seletivo fosse cancelado.

Pazuello disse que espera encontrar uma outra solução para o ocorrido. Porém, caso o desfecho seja realmente o cancelamento, tudo será feito de uma maneira na qual os serviços não serão prejudicados, assim como deverá haver uma segurança jurídica.

Sobre o seletivo

O processo seletivo do Ministério da Saúde ofertou 4.117 vagas imediatas para cargos de níveis intermediário e superior, incluindo 208 postos reservados aos inscritos com deficiência (PcD).

As remunerações iam de R$ 1.700,00 a R$ 11.000,00, dependendo do cargo. A jornada de trabalho variava entre 24 e 40 horas semanais. Todas as vagas eram para o Estado do Rio de Janeiro, em unidades de saúde federais.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »