Privatização dos Correios: Lira quer votar até julho de 2021

Presidente da Câmara acredita que votação deve ocorrer ainda no meio do ano. Tramitação em urgência já foi aprovada na Câmara.

Privatização dos Correios: Lira quer votar até julho de 2021, unidade dos Correios

Aprovação da privatização pode ocorrer ainda em 2021 - Foto: Agência Senado

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP - AL), afirmou que deseja iniciar a votação da privatização dos Correios entre os meses de junho e julho de 2021.

Segundo ele, no momento, o governo teria a quantidade de votos necessária para poder conseguir passar a proposta. Para o deputado, o Congresso deve ter um papel "reformista" e, como presidente, é sua função abrir espaço para conversas.

“É meu dever que os debates ocorram, e com muita firmeza e diálogo fazer com que eles andem", disse em uma entrevista concedida à TV Bandeirantes.

Além disso, Lira comentou que o Brasil precisa gerir melhor as verbas arrecadadas, com ou sem aprovação.

“A intensidade do que vai ser aprovado, depende do momento. Mas temos obrigação que o Brasil tenha uma gestão melhor das suas contas públicas”, afirmou o presidente da Câmara.

Privatização dos Correios vai tomando forma

Em abril, a Câmara dos Deputados aprovou o requerimento de urgência para o Projeto de Lei 591/21 do governo federal que viabiliza a privatização dos Correios. A aprovação teve 280 votos a favor e 165 contrários. Portanto, a tramitação do sinal verde para venda deve ser mais veloz.

Vale lembrar que a privatização dos Correios ainda precisa passar pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pelo Congresso.

Conselho do PPI recomendou privatização dos Correios

Recentemente, o Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), responsável por estudos sobre desestatização, recomendou a privatização dos Correios após terminar a primeira fase de estudos.

Segundo o relatório, “estudos mostram que elevar a taxa de investimento por meio da iniciativa privada será fundamental para acompanhar as evoluções e transformações do setor postal”. Sendo assim, para continuar competitivo, é preciso que haja um controle de algum ente privado que possua recursos financeiros.

Enquanto isso, nos último dois anos, os Correios investiram cerca de R$ 1,1 bilhão em infraestrutura. Parte dos gastos miram justamente a privatização e tornar a estatal mais valiosa.

Além dos Correios, o governo tem a intenção de privatizar as seguintes empresas:

  • Eletrobras;
  • Emgea;
  • Ceasaminas;
  • Porto de Vitória (Codesa);
  • Nuclep;
  • Trensurb;
  • Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU);
  • Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF).
Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »