Projeto quer auxílio de R$ 600 até junho e de R$ 300 até dezembro

Deputado federal enviou à Câmara um projeto de prorrogação do auxílio emergencial. Valores seriam pagos até dezembro de 2021.

Projeto quer auxílio de R$ 600 até junho e de R$ 300 até dezembro; cédulas de reais

PL está em tramitação. - Foto: Concursos no Brasil

O Projeto de Lei (PL) 130/2021 quer auxílio de R$ 600 até junho e de R$ 300 até dezembro. No caso, a ideia da proposta é que o auxílio emergencial, pago ao longo de 2020, seja prorrogado em 2021 por causa da pandemia de COVID-19 que ainda não foi controlada.

A autoria do Projeto, que quer auxílio de R$ 600 até junho e de R$ 300 até dezembro de 2021, é do deputado federal Altineu Côrtes (PL - RJ). Segundo ele, a pandemia ainda está longe de acabar, tornando os repasses fundamentais.

“De acordo com especialistas, o país ainda não atingiu o pico da pandemia, sendo certo que a realidade que levou ao isolamento social deverá prevalecer nos próximos meses”, apontou o parlamentar.

Sobre a origem dos recursos, foi sugerido o adiamento de pagamento de dívidas com os bancos e outras instituições financeiras. “Esses recursos poderiam ajudar a minimizar o impacto financeiro causado pelo pagamento do auxílio emergencial, já que estão previstos como despesas no orçamento federal”, disse o deputado.

No momento, a proposta está em tramitação na Câmara dos Deputados e precisa ser apreciada para depois ser colocada em votação. Para entrar em vigor, o PL deve ser aprovado na Câmara e no Senado, além de ter sanção do presidente da república.

Novo auxílio emergencial deverá se chamar BIP

O governo federal já estuda a liberação de novas parcelas do auxílio emergencial em 2021. No entanto, o benefício terá uma roupagem nova e até um nome de diferente: Bônus de Inclusão Produtiva (BIP).

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, serão três parcelas de R$ 200, sendo que será exigido que o trabalhador informal faça cursos profissionalizantes gratuitos enquanto estiver recebendo o dinheiro.

O Ministério da Economia quer que os valores sejam retirados da conta do teto de gastos para evitar problemas judiciais no futuro. Para isso, seria necessária a aprovação de uma lei.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »