Prorrogação do auxílio emergencial: gastos podem chegar a R$ 200 bi

De acordo com o secretário da Fazenda, a prorrogação do auxílio emergencial pode elevar os gastos com o programa a R$ 200 bilhões, mesmo em parcelas menores.

Prorrogação do auxílio emergencial: notas de cinquenta reais

As novas parcelas serão menores do que R$ 600. - Foto: Concursos no Brasil

Com o estado de calamidade instalado no Brasil por causa da pandemia de coronavírus, não existe uma previsão de quando o isolamento social vai acabar. Tendo isso em vista, o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou que haverá a prorrogação do auxílio emergencial por mais dois meses. No entanto, segundo o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, o pagamento adicional irá elevar o custo do programa para mais de R$ 200 bilhões.

"Se tivermos, por exemplo, a prorrogação em duas parcelas com valores menores, mas que somem aproximadamente R$ 600, estaremos falando de mais R$ 51 bilhões, e, portanto, a soma do programa como um todo ficaria em torno de R$ 203 bilhões, R$ 202 bilhões", explicou Waldery em coletiva virtual. Ele também acrescentou que o valor das novas parcelas ainda está em discussão.

Senadores e deputados defendem que a prorrogação do auxílio emergencial mantenha os R$ 600 e parlamentares estão estudando como ampliar o benefício. Contudo, Rodrigo Maia, presidente da Câmara, acredita que a decisão precisa vir do governo. Em anúncio, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou ter acertado as novas parcelas em quantias menores.

De acordo com Waldery, até agora o gasto total dessa ajuda do governo foi de R$ 151,5 bilhões. Com o auxílio emergencial sendo prorrogado, caso o novo custo ultrapasse os R$ 200 bilhões, o Orçamento Público atenderá a essa soma. Além disso, o secretário comentou que, em portaria assinada na terça-feira (2), cerca de 84 milhões de reais do Bolsa Família foram transferidos para a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), visando atender necessidades setoriais do poder público.

Calendário de saque da 2ª parcela

Confira o calendário de saques da segunda leva dos R$ 600 que foi liberada na semana passada:

  • 30 de maio: nascidos em janeiro;
  • 01 de junho: nascidos em fevereiro;
  • 02 de junho: nascidos em março;
  • 03 de junho: nascidos em abril;
  • 04 de junho: nascidos em maio;
  • 05 de junho: nascidos em junho;
  • 06 de junho: nascidos em julho;
  • 08 de junho: nascidos em agosto;
  • 09 de junho: nascidos em setembro;
  • 10 de junho: nascidos em outubro;
  • 12 de junho: nascidos em novembro;
  • 13 de junho: nascidos em dezembro.

Enquanto isso, os beneficiários aguardam o cronograma da 3ª parcela do auxílio emergencial, que deve ser divulgado nos próximos dias.

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »