Renda Básica Emergencial: VEJA o calendário do auxílio de São Paulo

Renda Básica Emergencial São Paulo: 3ª parcela já está sendo finalizada. Ainda não existe anúncio de prorrogação. Valores variam entre R$ 100 e R$ 200. Confira.

Renda Básica Emergencial de São Paulo: é possível ler "renda básica emergencial 2021". Abaixo, consta a logo da cidade de São Paulo

Confira o calendário completo! - Foto: Reprodução / Prefeitura de São Paulo

A Prefeitura de São Paulo já está finalizando a terceira rodada de pagamentos do Renda Básica Emergencial (RBE). O auxílio emergencial de SP foi criado em 2020, para ajudar as famílias de trabalhadores que sofreram impacto financeiro devido à pandemia da COVID-19.

Neste ano de 2021, o órgão aprovou a renda básica emergencial de São Paulo durante três meses, com valores entre R$ 100 e R$ 200. Os pagamentos do auxílio de SP começaram em março e devem terminar ao longo dos primeiros dias de junho de 2021. 

A Prefeitura Municipal ainda não confirmou se haverá prorrogação do auxílio emergencial de SP, no sentido de conceder mais parcelas para além das três previstas. Lembrando que o benefício da capital paulista foi aprovado para amparar os moradores que estão passando por dificuldades financeiras em 2021.

Inclusive, municípios espalhados pelo país passaram a remanejar os seus saldos financeiros em ações assistenciais. Uma delas diz respeito ao auxílio emergencial das prefeituras, que garante parcelas mensais para famílias de baixa renda.

Segundo comunicado enviado pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), no dia 23 de abril, a Renda Básica Emergencial de SP está sendo gerada automaticamente para as famílias contempladas. Não há necessidade, então, de comparecer aos CRAS ou unidades da Caixa. 

“(...) Não é necessário que os munícipes se dirijam aos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), postos do Descomplica SP ou agências da CAIXA para realizar cadastros ou solicitar a abertura de conta, o benefício será gerado automaticamente para as famílias que atendam aos critérios. Os canais de atendimento ao cidadão para dúvidas sobre o benefício é a Central 156”, comunicou a SMADS de São Paulo. 

Renda Básica Emergencial São Paulo: calendário de pagamentos

A primeira cota da Renda Básica Emergencial de SP foi efetuada entre os dias 25 e 31 de março de 2021, conforme os dígitos finais do Número de Identificação Social (NIS). Mais de 460 mil famílias receberam o benefício.

Já a segunda parcela do Renda Básica Emergencial de São Paulo começou a ser paga no dia 26 de abril, conforme comunicado da Câmara Municipal de São Paulo.

Segundo informações da Prefeitura, a ideia foi de conceder a 2ª parcela do auxílio emergencial de SP para 1.277.733 pessoas, com investimento de mais de R$ 131 milhões em relação aos recursos municipais.

Os depósitos do segundo pagamento terminaram no dia 07 de maio de 2021. Abaixo, confira o calendário da última parcela prevista para o auxílio emergencial de São Paulo.

Renda Básica Emergencial: calendário da 3ª parcela

A terceira rodada do Renda Básica Emergencial de São Paulo começou a ser liberada no dia 24 de maio para as pessoas que se encaixam nos critérios. Não é necessário ir a postos do Descomplica SP, CRAS ou agências da Caixa para receber o benefício, uma vez que o auxílio emergencial de SP é pago automaticamente.

Veja as datas de depósito da terceira cota da Renda Básica Emergencial de São Paulo:

NISData de pagamento
NIS 124 de maio
NIS 225 de maio
NIS 326 de maio
NIS 427 de maio
NIS 528 de maio
NIS 631 de maio
NIS 701 de junho
NIS 802 de junho
NIS 904 de junho
NIS 007 de junho

Quem recebe as parcelas do Renda Básica Emergencial em SP?

A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social informou que o RBE será pago para 1,2 milhão de pessoas, quase 22 mil a mais que em 2020. De acordo com o órgão, o gasto da Prefeitura de São Paulo está previsto em R$ 398 milhões, tendo em vista a prorrogação aprovada pela Lei 17.553, de 26 de fevereiro de 2021.

Já os critérios de quem tem direito ao benefício estão definidos pela Lei 17.504 de 2020, que criou o auxílio emergencial de São Paulo. Sendo assim, vão receber as parcelas do Renda Básica Emergencial famílias de:

  • Inscritos no Programa Bolsa Família até 30 de setembro de 2020 (somando 480.117 pessoas);
  • Trabalhadores ambulantes do comércio informal que atendam aos critérios do Programa Bolsa Família e que possuam Termo de Permissão de Uso (TPU) vigente ou que estejam cadastrados no Sistema Tô Legal para o comércio ou prestação de serviços ambulantes;
  • Pessoas com deficiência (PcDs), independente de idade.

O último grupo contará um benefício no valor máximo de R$ 200 por mês, contudo só será válido para os que não recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). 

Como receber o auxílio emergencial de São Paulo?

Segundo informações da Prefeitura de SP, não é necessário fazer cadastro. Ou seja, quem vive no município não precisa ir aos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), postos do Descomplica SP ou agências da Caixa para pedir o benefício. O Renda Básica Emergencial será gerado automaticamente para as famílias que cumprem todos os requisitos.

Os pagamentos estão sendo feitos feitos de acordo com o número final do NIS. Os beneficiários receberão um SMS no dia em que o crédito for devidamente liberado em suas poupanças. Vale lembrar que a Prefeitura de São Paulo solicitou a abertura de contas digitais para aqueles que não possuíam. Os responsáveis familiares poderá acessá-las e movimentar o dinheiro por meio do aplicativo Caixa Tem (Android e iOS). 

Detalhe importante: para quem não possui celular com acesso à internet, será possível sacar a Renda Básica Emergencial de SP em agências da Caixa. Os beneficiários devem levar documento de identificação com foto no dia do pagamento, conforme calendário liberado pela Prefeitura de São Paulo.

Qualquer dúvida, entre em contato pelo site da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Central 156 ou pela página de situação do RBE

Não recebi a Renda Básica Emergencial de São Paulo. O que fazer?

A Prefeitura de São Paulo liberou canais de atendimento para os beneficiários da Renda Básica Emergencial. Para registrar reclamações sobre os pagamentos, é necessário entrar em contato com a Ouvidoria Geral do Município (OGM):

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »