Renda Brasil: Paulo Guedes diz que o pagamento será de R$ 250 a R$ 300

Guedes afirmou que "o nível vai subir". O Renda Brasil será um programa que substituirá o Bolsa Família e ainda irá estimular a inserção no mercado de trabalho.

Renda Brasil: notas de 50, 20, 10 e 5 reais formando um leque

Guedes também está estudando medidas para um Imposto de Renda negativo para estimular trabalhadores. - Foto: Concursos no Brasil

O governo Bolsonaro está criando um novo programa de assistência social, Renda Brasil, para substituir o Bolsa Família. De acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, "o nível vai subir para R$ 250 ou para quase talvez R$ 300". O atual benefício para apenas R$ 187. A ideia é unificar programas já existentes formando uma política única de renda básica.

A ideia do projeto é atender as famílias de baixa renda que já estão inscritas no Bolsa Família e acrescentar os trabalhadores atendidos pelo auxílio emergencial. No entanto, não serão todos que receberão o benefício, apenas aqueles que, mesmo fora da pandemia, não conseguem renda suficiente para seu sustento.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, nesta quarta-feira (15), Paulo Guedes destacou que "o auxílio vai começar a descer e vai aterrissar no renda básica. Vai juntar o abono salarial, o Bolsa Família, mais dois ou três programas focalizados e vai criar o Renda Brasil. E vai ser acima do Bolsa Família. Amplia a base, são os 26 milhões do Bolsa Família mais os 10 milhões de brasileiros que eram invisíveis. E vamos ampliar também a cobertura".

No entanto, as outras milhões de pessoas amparadas pelos R$ 600, que não se encaixam nos critérios do Renda Brasil, serão atendidas pela Carteira Verde e Amarela. Esse programa tem por objetivo incentivar as pessoas a retomar o trabalho e elevar sua renda para não ficar dependente do auxílio emergencial.

"Quando cair, o brasileiro vai para o Renda Brasil. Mas queremos estimular ele a trabalhar de novo e sair do programa assistencial. O medo das pessoas de sair para começar a trabalhar era perder o Bolsa Família. Mas nós vamos fazer a conversão instantânea. Se não conseguir levantar e cair de novo, garante o Bolsa Família. Se conseguir, quer estimular", afirmou Guedes.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ainda sugeriu um sistema de premiação para os beneficiários que matricularem os filhos na escola e/ou terminarem os estudos. Uma vez que a ideia principal é dar oportunidade para as famílias de baixa renda subirem na escala social. Atualmente o ministro da Economia também está estudando medidas para um Imposto de Renda negativo para estimular os trabalhadores a retornarem ao trabalho e se formalizarem.

Veja também:

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »