Resultado de seleção para programa de primeiro emprego na Bahia

A lista dos estudantes aptos a compor o Banco de Aprendizes esta disponível no Portal do Servidor.

Foi divulgado nesta quinta-feira (22) o resultado final da seleção pública para formação do Banco de Aprendizes do Governo do Estado da Bahia, que irá atender o programa de primeiro emprego, Mais Futuro. A lista dos estudantes aptos a compor o Banco de Aprendizes esta disponível no Portal do Servidor.

Os jovens serão contratados para integrar a administração pública estadual, de acordo com a demanda de órgãos e entidades ao longo do ano de 2012. A previsão é que os primeiros colocados sejam incorporados à estrutura administrativa de 11 empresas públicas ligadas ao governo estadual nos primeiros dois meses do ano. A validade da seleção é de dois anos e pode ser prorrogada.

Participaram da seleção mais de 26 mil estudantes, entre 14 e 22 anos. Esse foi um dos diferenciais da seleção, que este ano ampliou a faixa etária dos inscritos. Uma análise dos índices de aprovação aponta que houve maior incidência entre os adolescentes na faixa dos 17 aos 18 anos.

Esta foi a segunda seleção pública realizada pela Universidade do Estado da Bahia (Uneb) para composição do Banco de Aprendizes. A primeira edição aconteceu em 2008 e, do total selecionado, mais de mil jovens foram incorporados pelo Estado.

A prova foi aplicada no dia 4 de dezembro, no turno vespertino, em 38 instituições de ensino da rede estadual de educação, além de unidades da Uneb e do Colégio da Polícia Militar, localizadas em 20 bairros de Salvador.

Mantido pela Secretaria da Administração (Saeb), em parceria com as Voluntárias Sociais da Bahia, o Programa Mais Futuro visa abrir as portas do mercado de trabalho para jovens e adolescentes com renda familiar de até três salários mínimos e que estejam na faixa etária entre 14 e 22 anos de idade. As diretrizes do programa são estabelecidas pelo Decreto Estadual nº 11.139/2008, que regulamenta a contratação de jovens conforme as determinações da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e prevê assinatura de convênio entre o Estado e entidades sem fins lucrativos.

Fonte: Agecom

Compartilhe