SAIU calendário da primeira parcela do auxílio emergencial 2021; veja

O calendário da primeira parcela do auxílio emergencial 2021, referente a abril, foi divulgado pelo Ministério da Cidadania. Saiba todas as datas de pagamento.

Calendário da primeira parcela do auxílio emergencial 2021: montagem com mãos segurando notas de cinquenta reais. Do lado, é possível ver um celular com a página aberta do auxílio emergencial

Todas as movimentações do benefício poderão ser feitas pelo aplicativo Caixa Tem. - Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Nesta quarta-feira (31/03), o Ministério da Cidadania divulgou o calendário da primeira parcela do auxílio emergencial 2021. Os pagamentos serão transferidos a partir do dia 06 de abril, com parcelas calculadas entre R$ 150 e R$ 375. Para evitar aglomerações, os beneficiários vão receber os repasses, de início, em suas contas digitais.

Vale lembrar que todas as movimentações do benefício poderão ser feitas pelo aplicativo Caixa Tem. Ele está disponível para celulares com sistemas Android e iOS. Por meio da plataforma, vai ser possível consultar saldos, emitir extratos, realizar pagamentos online e efetuar transferências bancárias para outras contas.

Calendário da primeira parcela do auxílio emergencial 2021; veja as datas

Devido à crise ocasionada pelo contexto de pandemia, a renovação do auxílio emergencial foi considerada como indispensável. O novo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, já havia comentado que uma nova rodada de pagamentos deveria ser aprovada para o primeiro semestre de 2021.

Abaixo, você confere o calendário da primeira parcela do auxílio emergencial (mês de abril):

Para integrantes no CadÚnico, além dos inscritos no site e aplicativo

Mês de aniversárioData de depósitoData para saque
Janeiro06/0404/05
Fevereiro09/0406/05
Março11/0410/05
Abril13/0412/05
Maio15/0414/05
Junho18/0418/05
Julho20/0420/05
Agosto22/0421/05
Setembro25/0425/05
Outubro27/0427/05
Novembro29/0401/06
Dezembro30/0404/06

Primeira parcela do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família

Número final do NISDatas de pagamento
NIS 116 de abril de 2021
NIS 219 de abril de 2021
NIS 320 de abril de 2021
NIS 422 de abril de 2021
NIS 523 de abril de 2021
NIS 626 de abril de 2021
NIS 727 de abril de 2021
NIS 828 de abril de 2021
NIS 929 de abril de 2021
NIS 030 de abril de 2021

Principais dúvidas sobre o auxílio emergencial em 2021

  • Auxílio emergencial já foi confirmado para o ano de 2021? Sim, as casas legislativas já promulgaram a PEC com o orçamento das novas parcelas. O governo também liberou a medida provisória com as regras e o calendário com as datas de pagamento;
  • Quantas parcelas vão ser pagas para os beneficiários? Ao todo, serão depositados quatro pagamentos do auxílio emergencial durante os meses de abril e agosto de 2021. A primeira parcela do auxílio emergencial será paga a partir do mês de abril;
  • Qual é o valor do auxílio emergencial? As parcelas vão variar entre R$ 150 e R$ 375. Conforme antecipado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, tudo vai depender da composição familiar dos beneficiários;
  • Quanto as mães chefes de família vão receber? Quatro parcelas de R$ 375;
  • E quem mora sozinho, vai receber quanto? Quatro parcelas de R$ 150;
  • E os demais beneficiários? Vão receber qual valor do auxílio em 2021? As unidades familiares com mais de um membro devem ter direito às parcelas médias de R$ 250;
  • Quando o auxílio emergencial vai ser pago? Entre os meses de abril de agosto de 2021. Conforme anunciado pelo governo brasileiro, a primeira parcela do auxílio emergencial será paga a partir de 16 de abril para Bolsa Família e 06 de abril aos demais beneficiários (integrantes do CadÚnico e inscritos nas plataformas digitais da Caixa);
  • Qual é o calendário da primeira parcela do auxílio emergencial? Para Bolsa Família, do dia 16 ao dia 30 de abril. Para os demais beneficiários, do dia 06 ao dia 30 de abril;
  • Vai ser o mesmo calendário para todos os beneficiários? Não. Os beneficiários do Bolsa Família vão receber as parcelas de acordo com as datas habituais do programa. O primeiro pagamento será depositado a partir do dia 16 de abril de 2021;
  • Quem vai receber o auxílio emergencial? 8.624.776 beneficiários não inscritos no CadÚnico e já inscritos em plataformas digitais da Caixa; 6.301.073 integrantes do CadÚnico; e 10.697.777 inscritos no programa Bolsa Família;
  • Haverá abertura de novas inscrições para o auxílio emergencial? Não. A Dataprev analisará a lista dos cadastros antigos, no sentido de verificar se os beneficiários vão continuar tendo direito às parcelas;
  • Quais são os principais requisitos para receber o auxílio emergencial? Renda familiar per capita de até meio salário mínimo e renda total de até três salários mínimos, além de ter recebido a parcela do auxílio emergencial de dezembro de 2020;
  • Meu auxílio emergencial de 2020 foi cancelado. Vou receber as parcelas de 2021? Não. Conforme a medida provisória, os pagamentos só serão depositados para os beneficiários que continuam elegíveis ao benefício e receberam, no mínimo, a parcela de dezembro de 2020;
  • Posso sacar o auxílio emergencial sem cartão? Sim, é possível. Existe uma opção específica no aplicativo Caixa Tem. Basta gerar o código pelo app e usá-lo no caixa eletrônico.

Quem terá direito ao auxílio emergencial de 2021?

De acordo com a medida provisória de nº 1.039, o auxílio emergencial 2021 será concedido para aquele que:

  • Não tenha vínculo de emprego formal ativo;
  • Não esteja recebendo benefícios previdenciário, assistencial, trabalhista ou de programa de transferência de renda federal (menos abono salarial e Bolsa Família);
  • Tenha renda familiar mensal per capita inferior a meio salário mínimo;
  • Seja membro de família que tenha renda mensal total inferior a três salários mínimos;
  • Tenha movimentado os valores relativos ao auxílio emergencial de 2020;
  • Não seja residente no exterior;
  • No ano de 2019, tenha recebido rendimentos tributáveis inferiores ao valor total de R$ 28.559,70;
  • Tinha, em 31 de dezembro de 2019, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive a terra nua, de valor total inferior a R$ 300.000,00;
  • No ano de 2019, tenha recebido rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido inferior a R$ 40.000,00;
  • Não tenha sido declarado, no ano de 2019, como dependente na condição de: cônjuge; companheiro com o qual o contribuinte tenha filho ou com o qual conviva há mais de cinco anos; filho/enteado com menos de 21 anos; ou filho/enteado com menos de 24 anos que esteja matriculado em instituição de nível médio técnico ou superior;
  • Não esteja preso em regime fechado e não tenha seu CPF vinculado, como instituidor, à concessão de auxílio-reclusão;
  • Não tenha menos de 18 anos de idade (menos no caso de mães adolescentes);
  • Não possua indicativo de óbito nas bases de dados do governo e não tenha seu CPF vinculado, como instituidor, à concessão de pensão por morte de qualquer natureza;
  • Não esteja com o auxílio emergencial de 2020 cancelado no momento da avaliação para as novas parcelas;
  • Não seja estagiário, residente médico ou residente multiprofissional;
  • Não seja beneficiário de bolsa de estudo da Capes, do CNPq ou similares.

Como gerar o cartão virtual de débito pelo Caixa Tem

Após a transferência da primeira parcela do auxílio emergencial 2021, conforme calendário previsto, os beneficiários terão o direito usar a quantia para realizar pagamentos. O aplicativo Caixa Tem fornece condições para que todos os usuários possam gerar um cartão virtual de débito, que já é aceito por diversos estabelecimentos comerciais.

Até porque, desde o início do auxílio emergencial, inúmeras lojas permitem usar essa funcionalidade como método de pagamento. Lembrando que o cartão virtual do Caixa Tem somente funciona com transações à vista (débito). Veja como gerá-lo pelo aplicativo:

  • Na tela inicial do aplicativo, toque na alternativa "Cartão Virtual";
  • Em mensagens, vá em "Usar agora meu Cartão de Débito Virtual";
  • Digite a sua senha do Caixa Tem;
  • Clique na imagem para visualizar as informações geradas (validade e código de segurança).

Pronto! Após seguir os passos indicados, você já estará apto a usar o cartão virtual de débito em supermercados e demais estabelecimentos. Bastará informar o método de pagamento para o operador do caixa. Ele ficará responsável por inserir a validade e o código de segurança para confirmar a compra.

Além disso, também será possível efetuar compras diretamente pela internet. Os usuários vão ter que conferir se o site aceita o cartão virtual de débito como forma de pagamento. Em caso afirmativo, bastará inserir os itens da compra no carrinho, selecionar a opção “Débito Caixa” e inserir as informações geradas pelo aplicativo.

Detalhe importante: os dados perdem a validade durante poucos minutos. Por isso, somente será possível realizar uma compra por vez. O aplicativo Caixa Tem também permite pagamentos de faturas por meio do QR Code. Essa opção já consta na própria plataforma; será preciso apenas aproximar a câmera do celular no quadradinho do código de barras.

Saiba consultar saldo do auxílio emergencial pelo Caixa Tem

Para consultar o saldo do auxílio emergencial 2021 pelo aplicativo Caixa Tem, os beneficiários devem seguir alguns procedimentos rápidos. Confira como verificar se a primeira parcela de março já foi transferida:

  • Abra o aplicativo Caixa Tem em seu celular;
  • No canto superior da tela, clique na opção “mostrar saldo”;
  • O saldo atualizado vai aparecer de maneira automática;
  • Caso queira saber mais sobre as movimentações da conta, é só tocar em “extrato”. Essa alternativa também mostra como você já usou o repasse do auxílio emergencial 2021.
Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Comentários

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »