Senado adia votação do auxílio emergencial em 2021

Parlamentares não concordam sobre origem das verbas e cortes na saúde e educação. Auxílio emergencial em 2021 é esperado por milhões de brasileiros.

Senado adia votação do auxílio emergencial em 2021, Congresso Nacional

Auxílio emergencial 2021 foi adiado. - Foto: Agência Senado

A votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que libera que o governo gaste recursos fora do teto de gastos foi protelada pelo Senado. Com isso, a decisão sobre o auxílio emergencial em 2021 também foi adiada.

A informação do adiamento partiu do líder da oposição, senador Jean Paul Prates (PT - PR). Segundo ele, a decisão saiu depois que diversas lideranças, inclusive do governo, e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MDB - MG), se reuniram para debater sobre o assunto.

Por se tratar de um assunto vital para o país e que pode provocar diversos impactos no futuro, chegou-se ao consenso de que era melhor ter mais tempo para elaborar os detalhes da proposta e pensar em alternativas fiscais.

Houve impasse por cauda da saúde e da educação

Em entrevista aos jornalistas, em Brasília - DF, Jean Paul comentou que o maior problema enfrentado pelos parlamentares e que vem gerando discussões é o trecho sobre educação e saúde. O governo quer que os pisos para estas áreas não sejam mais obrigatórios.

Na prática, os investimentos em educação e saúde podem ser cortados. Muitos parlamentares são contra a ideia e querem outras alternativas para obter os recursos e pagar o auxílio emergencial em 2021.

“Os senadores manifestaram esse risco de não haver aprovação em função de forçarem a barra para essa gangorra, essa contrapartida direta de aprovar o auxílio emergencial e fazer alterações estruturais de ajuste fiscal na Constituição”, disse o senador.

Auxílio emergencial em 2021

O auxílio emergencial em 2021 vem sendo estudado pelo governo e está quase definido. Ainda falta a aprovação da PEC emergencial de gastos para que os valores sejam definidos pelo ministério da Economia.

No momento, as informações apontam que serão pagas quatro parcelas de R$ 250. Porém, dependendo da situação, o valor poderá ser reajustado e chegar em R$ 300. Cerca de 32 milhões de brasileiros deverão receber os novos pagamentos. Inscritos no Bolsa Família, que já divulgou o calendário em 2021, devem ficar de fora.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »