Senado analisa abono extra de R$ 2 MIL para aposentados e pensionistas

A ideia legislativa sobre o abono extra recebeu mais de 20 mil apoios e, por isso, será analisada pelo Senado Federal. Confira mais detalhes em nossa matéria.

Senado analisa abono extra de R$ 2 MIL para aposentados e pensionistas: panorama de uma das agências do INSS

Proposta assegura abono extra de R$ 2.000 para aposentados e pensionistas do INSS. - Foto: Wikimedia Commons

O baiano Jefferson Brandão Leone elaborou uma ideia legislativa para assegurar abono extra de R$ 2.000 para aposentados e pensionistas do INSS. Sua proposta, registrada no dia 19 de junho de 2020, já alcançou mais de 26 mil apoiadores e será analisada pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal.

“Em virtude da crise que o país enfrenta, cria-se um abono extra de R$ 2.000 a ser pago até o final deste ano de 2020 aos aposentados, BPC e pensionistas do INSS. Terão direito ao dinheiro extra os beneficiários do INSS que ganham até três salários mínimos”, escreveu Brandão em sua ideia legislativa.

Acompanhe a matéria completa e fique por dentro de mais detalhes sobre o assunto. Não se esqueça de conferir outros conteúdos de nosso site, como simulados e artigos. Temos certeza de que existe um material feito especialmente para você!

Abono extra para aposentados e pensionista será analisado pelo Senado Federal

Como a ideia legislativa recebeu mais de 20 mil apoiadores na plataforma e-Cidadania, ela acabou sendo transformada em sugestão de nº 15/2020. A proposta popular deverá ser analisada pelo próprio senador Paulo Paim, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal.

De acordo com Jefferson Brandão Leone, o objetivo é de auxiliar aposentados e pensionistas a enfrentar o cenário de calamidade pública. A proposta será destinada para aqueles que recebem até três salários mínimos e, por sua vez, deverá ser efetuada até o final do ano de 2020.

“Tal medida, além de extremamente importante para os beneficiários do INSS, é relevante para a economia do país. Na minha avaliação, é importante exigir um esforço do governo e do INSS para garantir acesso a direitos e garantias fundamentais aos segurados e seus familiares nesse momento de crise. O dinheiro será essencial para prover gastos com saúde e alimentação”, argumento o autor da ideia legislativa, Jefferson Brandão Leone.

INSS começou a encaminhar cartas aos que possuem alguma irregularidade

No início de setembro de 2020, o INSS passou a notificar os beneficiários que foram identificados com algum tipo de irregularidade no sistema. As análises dos cadastros aconteceram em caráter administrativo, como uma espécie de “pente-fino”. Foi verificada a necessidade de reavaliar os documentos de aproximadamente 1,7 milhão de beneficiários.

As notificações estão sendo liberadas por meio de cartas de cumprimento de exigências. Por conseguinte, os segurados atingidos deverão apresentar os seus documentos no prazo máximo de 60 dias. Será necessário encaminhar os arquivos digitalizados pelo site ou aplicativo “Meu INSS”. Caso isso não aconteça, é possível que os benefícios sejam suspensos por tempo indeterminado.

Bruno Destéfano
Redator
Nasceu no interior de Goiás e se mudou para a capital, Goiânia, no início de 2015. Seu objetivo era o de cursar Jornalismo na UFG. Desde o fim de sua graduação, já atuou como roteirista, gestor de mídias digitais, assessor de imprensa na Câmara Municipal de Goiânia, redator web, editor de textos e locutor de rádio. Escreveu dois livros, sendo um de ficção e outro de não-ficção. Também recebeu prêmios pela produção de um podcast sobre temas raciais e por seu livro-reportagem "Insurgência - Crônicas de Repressão". Atualmente, trabalha como redator web no site "Concursos no Brasil" e está participando de uma nova empresa no ramo de marketing digital.

Compartilhe

Comentários