Senadora defende criação do CadÚnico digital

Segundo parlamentar, a criação do CadÚnico digital melhoraria a vida de quem depende de programas sociais do governo.

Senadora defende criação do CadÚnico digital, Congresso Nacional

CadÚnico digital beneficiaria milhões de brasileiros. - Foto: Agência Senado

A Senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) defendeu, durante uma sessão da Comissão da COVID-19 no Senado, a criação do CadÚnico digital. Para ela, a ferramenta facilitaria não só a situação das famílias como também a organização de dados do governo.

A parlamentar justificou sua ideia ao falar sobre a pandemia provocada pelo novo coronavírus e como ela afetou o país, principalmente os mais pobres. Segundo ela, um cadastro digital evitaria o alto número de fraudes constatado durante os pedidos do auxílio emergencial e ajudariam em uma possível sistematização de programas sociais.

“Caso tivéssemos um cadastro único nacional, em momentos de calamidade pública como o que vivemos, agilizaria a localização do público exato dos auxílios, evitando-se fraudes”, disse a Senadora durante a sessão.

Criação do CadÚnico digital precisa de apoio de outras autoridades

Para seguir com sua ideia, ela chegou a propor uma audiência com autoridades como o Secretário Especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto e Ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

Por fim, ela reforçou que a implantação do registro na forma digital é um tema urgente e que afeta milhões de brasileiros. A mesma citou que quase um quarto da população era de brasileiros em situação vulnerável.

O que é o CadÚnico

O Cadastro Único, conhecido também como CadÚnico, foi criado pelo Governo Federal para fornecer dados sobre as famílias brasileiras de baixa renda. Entre as informações do registro estão a sua forma de moradia, constituição familiar, programas sociais que elas fazem parte ou que precisam ser incluídas, entre outros dados.

Por conta disso, o CadÚnico é usado também como a principal ferramenta de acesso aos programas do governo como o Bolsa Família, Tarifa Social de Energia Elétrica e o Minha Casa, Minha Vida. O Cadastro ainda serve como referência para se solicitar isenções em concursos públicos.

Recentemente, o registro foi usado também como critério para que o beneficiário pudesse ou não receber o auxílio emergencial. Se a pessoa fizesse parte do registro, ela automaticamente estava inclusa no benefício já que era considerada como pessoa socioeconomicamente vulnerável.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »