Teletrabalho gerou economia de R$ 36 milhões para o GDF

Governo do Distrito Federal informou que o teletrabalho gerou economia de R$ 36 milhões. Água e luz foram os maiores responsáveis pela redução de gastos.

O Governo do Distrito Federal (GDF) adotou de forma emergencial o trabalho remoto por conta da pandemia provocada pelo novo coronavírus e vem conseguindo economizar recursos desde então. Conforme divulgado na semana passada, entre abril e julho, o teletrabalho gerou economia de R$ 36 milhões para o GDF.

Ainda de acordo com o governo, do total de despesas que foram reduzidas, as contas relacionadas a energia elétrica e água e esgoto foram as que tiveram o maior impacto. Somadas, elas são responsáveis pela redução de R$ 24 milhões, ou seja, quase dois terços do que se foi economizado.

Além disso, foi registrado quedas com combustível e lubrificantes de automóveis do governo, materiais de informática e de expediente. Por fim, pelo fato de muitas repartições estarem fechadas, houve a redução de serviço técnico de pessoa física e pessoa jurídica.

PL direciona parte dos recursos para vacina

A economia gerada pelo teletrabalho tem como um dos destinos a futura vacina contra o coronavírus. De acordo com o Projeto de Lei n° 4.006/2020 da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), 7,5% do total economizado irá para o custeio da vacinação. Além disso, o texto afirma que o teletrabalho será obrigatório enquanto não houver uma disponibilização nacional da vacina.

O home office foi instituído pelo Decreto n° 40.546. Nele, foi definido que quem trabalhasse em secretarias de Estado, empresas públicas, autarquias, administrações regionais e fundações, exercendo atividades que não fossem consideradas essenciais e tendo infraestrutura adequada para que a comunicação e o serviço fossem feitos de casa, iriam para o regime de teletrabalho.

Pesquisa indica que servidores aprovam teletrabalho

De acordo com uma pesquisa feita pela UnB, denominada de Trabalho Remoto no GDF - Enfrentamento à Pandemia COVID-19 e que contou com 7.421 servidores, a maioria deles aprovaram o teletrabalho durante a pandemia. Isso fez com que o governo decidisse adotar o home office como padrão para diversos servidores mesmo depois da pandemia.

Para justificar a ideia o governo utilizou como base a produtividade dos servidores públicos. Os dados da plataforma digital do GDF indicam que os acessos e serviços prestados continuaram estáveis mesmo com a pandemia.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »