UFPE: auxílio emergencial foi fundamental para municípios mais pobres

Estudo da UFPE apontou que o auxílio emergencial foi fundamental para municípios mais pobres do Brasil.

UFPE: auxílio emergencial foi fundamental para municípios mais pobres, mão segurando cédulas de reais

Auxílio emergencial provocou impacto significativo no PIB de municípios e estados. - Foto: Concursos no Brasil

De acordo com um estudo realizado e divulgado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o auxílio emergencial foi fundamental para municípios mais pobres do Brasil. O benefício teve impactos significativos nas cidades onde o Produto Interno Bruto e a renda são menores, além de reduzir um pouco a vulnerabilidade local.

Em uma entrevista para a Agência Brasil, o professor de economia da UFPE, Ecio Costa explicou que as regiões Norte e Nordeste foram as que apresentaram os melhores resultados por causa do auxílio emergencial.

Além disso, ele dimensionou o tamanho do impacto. “Se for olhar o impacto sobre o PIB ou sobre a massa de rendimentos das famílias, tem vários municípios de estados do Norte e do Nordeste que se beneficiam bastante, como o Pará e o Maranhão. No estudo, a gente apresenta uma relação desses estados, onde tem [lugar] que o impacto sobre o PIB do estado chega a ser mais de 8% e, em nível de município, tem alguns que chega a ter impacto de 27%”, afirmou.

Um dado que chama a atenção é que o impacto no estado de São Paulo foi um dos menores registrados mesmo tendo recebido a maior parte do dinheiro. Como a economia da unidade Federativa é a maior do país, a parte afetada do PIB foi uma das menores, ficando em 25° lugar no Brasil. Enquanto isso, o Maranhão foi o estado que viu 5% do seu PIB ser impactado com o auxílio emergencial, o maior do país.

Como o auxílio vem sendo gasto?

Conforme a pesquisa feita pela UFPE, as pessoas que estão recebendo o auxílio emergencial realmente estão gastando boa parte do dinheiro com elementos básicos como pagamento de contas, alimentação, roupas e itens para o lar.

O auxílio emergencial foi criado justamente para que as pessoas tivessem dinheiro para o básico durante a pandemia provocada pelo novo coronavírus. Ao todo, o governo prevê cinco parcelas de R$ 600,00 e já existem conversas e estudos para se estender o benefício até março de 2021, com um valor reduzido.

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Especial Auxílio Emergencial

Veja mais »