URGENTE: Auxílio emergencial começará a ser pago em abril; entenda

De acordo com o ministro João Roma Neto, a primeira parcela do auxílio emergencial 2021 deve começar a ser paga no dia 05 ou 06 de abril. Saiba mais.

A nova rodada do auxílio emergencialdeve começar a ser paga no mês de abril como indica a medida provisória nº 1.039, publicada no DOU na noite desta quinta-feira (18/03). O texto define as regras de quem recebe o benefício, bem como valor das parcelas. O ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia dado esta informação ao participar de evento online do portal Jota.

Na ocasião, o chefe da pasta disse que a prorrogação não saiu antes devido ao tempo próprio que a política possui para autorizar gastos extras. Inicialmente, a primeira parcela estava prevista para sair no dia 18 de março de 2021, como informou o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. No entanto, as votações da PEC Emergencial sofreram um atraso, o que causou mudanças no cronograma.

Como antecipado pelo ministro da Cidadania, João Roma Neto, o pagamento deverá começar até o dia 06 de abril de 2021. Essa data valerá para os beneficiários que serão atendidos pela nova rodada de parcelas, com exceção dos inscritos no Bolsa Família. Nesse caso, o calendário seguirá as datas habituais do programa.

"O calendário do pagamento nós vamos divulgar até o início da próxima semana, mas já posso antecipar que o pagamento ocorrerá a partir do início do mês de abril. Aproximadamente entre 5 e 6 de abril, nós já buscamos viabilizar o início do pagamento do auxílio emergencial", informou João Roma Neto na última segunda-feira (22/03), durante entrevista para rádio baiana.

A expectativa é que o calendário oficial de pagamentos seja liberado ao longo dos próximos dias, já que o presidente Bolsonaro assinou e encaminhou as MPS ao Congresso Nacional. A Caixa Econômica Federal (CEF), por sua vez, informou que deverá abrir suas agências aos sábados para efetuar os repasses.

Conforme apurações feitas pelo Jornal O Globo, a meta é colocar 700 unidades em funcionamento assim que o auxílio emergencial 2021 for liberado. A instituição, inclusive, anunciou 7,7 mil novas contratações para reforçar a equipe de trabalho.

Quando a primeira parcela do auxílio emergencial vai ser paga?

Para o novo cenário, a ideia é efetuar a primeira parcela do auxílio emergencial 2021 no início de abril e finalizar as demais em julho de 2021. Contudo, os técnicos da equipe econômica ouvidos pela CNN explicaram que o cronograma previsto teve um entrave. O problema se deu pelo atraso nas votações da PEC Emergencial no Senado e na Câmara.

No dia 18 de março de 2021, o presidente Jair Bolsonaro assinou e encaminhou as MPs ao Congresso Nacional, que acabaram sendo publicadas durante a madrugada. Um dos textos define o orçamento total utilizado em R$ 42,5 bilhões, enquanto o outro conta com as regras e critérios para os depósitos do auxílio emergencial.

O primeiro pagamento será transferido, de início, aos trabalhadores inscritos no Cadastro Único (CadÚnico), seguidos dos informais que se cadastraram no aplicativo da Caixa e, por último, aos beneficiários do Bolsa Família, que já contam com o calendário publicado.

Para os inscritos no Bolsa Família, continuará valendo a regra do valor mais vantajoso. Assim, o beneficiário receberá a parcela de maior valor, seja do auxílio emergencial ou do próprio programa de transferência de renda.

Como vai funcionar o auxílio emergencial 2021?

De acordo com a MP 1.039, os critérios serão similares aos definidos em 2020. Entretanto, para este ano, o público atendido será reduzido de 68 milhões para cerca de 45,6 milhões de pessoas. O governo irá desembolsar 42,5 bilhões para realizar os depósitos, a começar pela primeira parcela do auxílio emergencial 2021 já na primeira semana de abril.

Além disso, o valor pago poderá ser menor (média de R$ 250 por beneficiário). De acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, as parcelas serão variáveis levando em consideração a composição de cada família. A informação foi confirmada na MP.

Sendo assim, quem mora sozinho receberá parcelas de R$ 150, enquanto mães chefes de família contarão com cota de R$ 375. Também já se sabe que não será necessário realizar um novo cadastro para receber o dinheiro. Os registros feitos em 2020 valerão para a nova rodada de auxílio emergencial.

Contudo, será necessário fazer a atualização desses perfis no Caixa Tem para evitar perder o benefício. A ideia, segundo a Caixa Econômica Federal, é ofertar mais segurança e evitar possíveis fraudes. Dessa forma, é provável que aqueles que deixarem suas informações desatualizadas seja bloqueado dos pagamentos.

Apesar disso, é possível que muitas pessoas não irão receber o benefício. O governo já listou as regras que devem ser cumpridas e quais beneficiários que ficarão de fora.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »