Português – Nível Fundamental

Prepare-se com questões de Português

01

(FUNDEP- 2020 - Prefeitura de Catas Altas - MG - Motorista) - 

Por que todo mundo usava peruca na Europa dos séculos 17 e 18?

Não era todo mundo, apenas os aristocratas. A moda começou com Luís 14 (1638-1715), rei da França. Durante seu governo, o monarca adotou a peruca pelo mesmo motivo que muita gente usa o acessório ainda hoje: esconder a calvície. O resto da nobreza gostou da ideia e o costume pegou. A peruca passou a indicar, então, as diferenças sociais entre as classes, tornando-se sinal de status e prestígio.

Também era comum espalhar talco ou farinha de trigo sobre as cabeleiras falsas para imitar o cabelo branco dos idosos. Mas, por mais elegante que parecesse ao pessoal da época, a moda das perucas também era nojenta. “Proliferava todo tipo de bicho, de baratas a camundongos, nesses cabelos postiços”, afirma o estilista João Braga, professor de História da Moda das Faculdades Senac, em São Paulo.

Em 1789, com a Revolução Francesa, veio a guilhotina, que extirpou a maioria das cabeças com perucas. Símbolo de uma nobreza que se desejava exterminar, elas logo caíram em desuso. Sua origem, porém, era muito mais velha do que a monarquia francesa. No Egito antigo, homens e mulheres de todas as classes sociais já exibiam adornos de fibra de papiro – na verdade, disfarce para as cabeças raspadas por causa de uma epidemia de piolhos. Hoje, as perucas de cachos brancos, típicas da nobreza europeia, sobrevivem apenas nos tribunais ingleses, onde compõem a indumentária oficial dos juízes.

Disponível em:<www.super.abril.com.br/mundo-estranho> . Acesso em: 30 nov. 2019.

Com base na situação descrita no texto, é correto afirmar que as escolhas estéticas podem estimular o(a)

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q58665Ca
02

(CETAP - 2019 - Prefeitura de Maracanã) - 

PERSISTÊNCIA

Máxima latina antiga, sábia, “a gota escava a pedra". Se há algo absolutamente frágil rente a uma rocha é uma gota d’água. Não é à toa que circula o ditado 'água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”. A persistência pode estar no campo positivo, isto é, a capacidade de ir adiante, de não desistir, mas também, no negativo: persistir em algo que está equivocado, persistirem algo que seja um desvio de rota.

A noção de persistência, quando colocada gota a gota, traz uma indicação muito séria da forma como a paciência deve entrar na persistência. Paciência não é lerdeza. E a capacidade de admitir a maturação e dar o tempo necessário aos nossos processos de conceber, de fazer, seja na nossa carreira, seja no nosso trabalho, seja na família, seja no atingimento de algum objetivo,

A máxima latina “a gota escava a pedra" é uma orientação da natureza para mostrar o valor da persistência quando ela é positiva, é capaz de ajudar a chegar ao lugar a que se deseja passo a passo.

Não de maneira lerda, não de maneira demorada, mas não desistindo, ou seja, não deixar de lado aquilo que necessita de fôlego, no estudo, na organização da vida, na certeza daquilo que se precisa conseguir.

(CORTELLA, Mário Sérgio. Pensar bem nos faz bem! Vozes p.99)

Analisa, com correção, a colocação do pronome “se" em: “(...) daquilo que se precisa conseguir.”:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q56565Ca
03

( IBADE - 2019 - IBGE - Recenseador) - Considere x e y dois números Inteiros e positivos que são respectivamente numerador e denominador de uma fração f. Ao somar três unidades ao numerador e ao denominador desta fração, f = 2, mas ao somar uma unidade apenas no numerador desta fração, f = 3. Neste caso, o valor de x + y é:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q56395Ca
04

(IDECAN - 2014 - Agente Comunitário de Saúde) - No trecho “O Ministério da Saúde garante que a vacina é segura e incapaz de desencadear uma gripe.”, a palavra destacada apresenta como significado correto

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q57401Ca
05

Clique
aqui e leia o texto relacionado com a questão

Quando o poeta diz: 
O bicho não era um cão,
Não era um gato, 
Não era um rato.

utiliza substantivos para citar o que viu e para afirmar que a palavra homem também
  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q946Ca
06

(Prefeitura de Santo Expedito - SP - Motorista) - Assinale a alternativa em que o verbo está no pretérito perfeito do indicativo

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q56793Ca
07

(REIS & REIS - 2016 - Operador de Máquinas Pesadas) - 

“Como nasceram as estrelas”

Pois é, todo mundo pensa que sempre houve no mundo estrelas pisca-pisca. Mas é erro. Antes os índios olhavam de noite para o céu escuro — e bem escuro estava esse céu. Um negror. Vou contar a história singela do nascimento das estrelas. Era uma vez, no mês de janeiro, muitos índios. E ativos: caçavam, pescavam, guerreavam. Mas nas tabas não faziam coisa alguma: deitavam-se nas redes e dormiam roncando. E a comida? Só as mulheres cuidavam do preparo dela para terem todos o que comer.

Uma vez elas notaram que faltava milho no cesto para moer. Que fizeram as valentes mulheres? O seguinte: sem medo enfurnaram-se nas matas, sob um gostoso sol amarelo. As árvores rebrilhavam verdes e embaixo delas havia sombra e água fresca. Quando saíam de debaixo das copas encontravam o calor, bebiam no reino das águas dos riachos buliçosos. Mas sempre procurando milho porque a fome era daquelas que as faziam comer folhas de árvores. Mas só encontravam espigazinhas murchas e sem graça.

— Vamos voltar e trazer conosco uns curumins. (Assim chamavam os índios as crianças.) Curumim dá sorte.

E deu mesmo. Os garotos pareciam adivinhar as coisas: foram retinho em frente e numa clareira da floresta — eis um milharal viçoso crescendo alto. As índias maravilhadas disseram: toca a colher tanta espiga. Mas os gatinhos também colheram muitas e fugiram das mães voltando à taba e pedindo à avó que lhes fizesse um bolo de milho. A avó assim fez e os curumins se encheram de bolo que logo se acabou. Só então tiveram medo das mães que reclamariam por eles comerem tanto. Podiam esconder numa caverna a avó e o papagaio porque os dois contariam tudo. Mas — e se as mães dessem falta da avó e do papagaio tagarela? Aí então chamaram os colibris para que amarrassem um cipó no topo do céu. Quando as índias voltaram ficaram assustadas vendo os filhos subindo pelo ar. Resolveram, essas mães nervosas, subir atrás dos meninos e cortar o cipó embaixo deles.

Aconteceu uma coisa que só acontece quando a gente acredita: as mães caíram no chão, transformando-se em onças. Quanto aos curumins, como já não podiam voltar para a terra, ficaram no céu até hoje, transformados em gordas estrelas brilhantes.

Mas, quanto a mim, tenho a lhes dizer que as estrelas são mais do que curumins. Estrelas são os olhos de Deus vigiando para que corra tudo bem. Para sempre. E, como se sabe, "sempre" não acaba nunca.

LISPECTOR, Clarice. Como nasceram as estrelas: doze lendas brasileiras. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.
O que vêm a ser Curumins para os índios?

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q57791Ca
08
Acho a maior graça. Tomate previne isso, cebola previne
aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em abundância, mas não exagere...

Qual palavra não é do gênero masculino?
  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q953Ca
09

(FGV - 2014 - Prefeitura de Osasco - SP - Cozinheiro) - TEXTO - O Cavalo e o seu Cuidador

Esopo

Um zeloso empregado de uma cocheira costumava passar horas, e às vezes dias inteiros, limpando e escovando o pelo de um cavalo que estava sob seus cuidados.

Agindo assim, passava para todos a impressão de que era gentil para com o animal, que se preocupava com o seu bem estar.

Entretanto, ao mesmo tempo que o acariciava diante de todos, sem que ninguém suspeitasse, roubava a maior parte dos grãos de aveia destinados a alimentar o pobre animal, e os vendia às escondidas para obter lucro.

Então o cavalo se volta para ele e diz:

"Acho apenas que se o senhor de fato desejasse me ver em boas condições, me acariciava menos e me alimentava mais..."

“Agindo assim...”, nesse segmento, o termo sublinhado indica:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q57130Ca
10

(Máxima - 2016 - Agente de Combate a Endemias) - Leia o texto abaixo para responder a questão

"— Meu Deus, de onde vem tanta mediocridade?
— Tá falando da TV?
— Também!"
O valor semântico da palavra “também” nesse contexto é:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q57591Ca

Especial Concurso BB

Veja mais »