Auxílio emergencial: como saber se seu CPF foi usado em fraudes

É possível fazer consulta do CPF no site do Dataprev. Mais de 7 milhões de pessoas já caíram em golpes.

Auxílio emergencial: como saber se seu CPF foi usado em fraudes, cartão de CPF

Saiba como consultar se seu CPF foi usado para pedir o auxílio emergencial. - Foto: Wikimedia Commons

Os R$ 600,00 das parcelas do auxílio emergencial foram uma das formas encontradas pelo governo para mitigar os efeitos econômicos provocados pela pandemia do novo coronavírus. Apesar de 55 milhões de pessoas terem sido beneficiadas, muitos brasileiros estão sofrendo com golpes. Entre os crimes mais comuns estão os roubos de dados e o uso do CPF de quem não solicitou o auxílio emergencial.

Por isso, é sempre importante consultar se seu número foi ou não usado por alguém para pedir o auxílio emergencial.

Como saber se seu CPF foi usado no auxílio emergencial

Para saber se o seu CPF foi utilizado, basta acessar o site do Dataprev criado para a Consulta do Auxílio. Ao abrir a página, coloque os seguintes dados: número de CPF, nome completo, data de nascimento e nome da mãe.

Em seguida, clique em “não sou um robô” e depois em “Enviar”. Se tudo der certo, uma nova página abrirá automaticamente e indicará se o auxílio foi ou não pedido para aquele número de CPF.

O que fazer se usaram meu CPF?

O CPF é um dos documentos mais importantes para uma pessoa. Ele é considerado como chave para obtenção de diversos tipos de serviços públicos. Sendo assim, é um dos mais visados em fraudes.

Então, caso o seu CPF tenha sido usado irregularmente para pedir o auxílio emergencial, não fique parado. Denuncie! Afinal, além de não contar com os R$ 600,00, é possível que a pessoa que teve os dados roubados ainda sofra ações judiciais se não fizer nada.

Se algo ocorreu com você, ligue para o número do Ministério da Cidadania (121). Também é possível entrar em contato com o Dataprev, a Caixa ou, se achar necessário, até fazer um Boletim de Ocorrência na Polícia.

Golpes do auxílio emergencial

Segundo a Caixa, já foram pagos mais de R$ 60 bilhões para quem recebe o auxílio emergencial. Como a quantidade de dinheiro é muito grande, diversos criminosos passaram a investir seu tempo para aplicar golpes em quem não esteja bem informado.

Conforme levantamentos como o da PSafe, mais de 7 milhões de pessoas sofreram algum tipo de golpe relacionado ao benefício. Por isso, é sempre bom reforçar que a Caixa não manda mensagem via Whatsapp ou Facebook. Sempre procure informações ou entre em contato via canais oficiais como o site do banco, o aplicativo Caixa Tem ou utilize o telefone 111.

Compartilhe

Comentários