Concurso PG - DF: Comissão é constituída

Concurso da Procuradoria Geral do Distrito Federal (PG - DF) será para os cargos de Analista e Técnico Jurídico. Ao todo, devem ser abertas 100 vagas.

Por meio da portaria 76/2019, foi constituída a Comissão Especial para coordenar, acompanhar e promover a realização do concurso PG - DF (Procuradoria Geral do Distrito Federal). O edital será para a carreira de Apoio às Atividades Jurídicas da PG - DF.

A Comissão vai atuar no andamento de todo o processo até a execução completa do concurso, que terá vagas para os cargos de Analista Jurídico e Técnico Jurídico. O próximo passo é realizar os estudos para a contratação de pessoa jurídica (organizadora) a ser responsável pela seleção dos candidatos. As informações estão no DODF de 08 de fevereiro de 2019.

Vagas do concurso PG - DF

A previsão é de que a Procuradoria Geral ofereça em seu novo edital 100 vagas, assim distribuídas: Analista com 57 vagas e Técnico Jurídico com 43 oportunidades. Esses futuros servidores ingressão no funcionalismo do DF com remuneração inicial entre R$ 7 e R$ 9 mil mensais.

Edital PG - DF

Como dissemos, a partir de agora está faltando a definição da organizadora. Logo, o edital deverá ser publicado provavelmente ainda no primeiro semestre de 2019.

Último concurso PG - DF foi em 2010

A PG - DF não recruta novos servidores há quase uma década, e este é um dos grandes motivos para a grande expectativa pelo novo edital. A última seleção foi realizada para as mesmas carreiras (Analista e Técnico Jurídico) e foi conduzida pelo IADES.

As especialidades com oferta de vagas no cargo de Analista foram: Administração, Análise de Sistemas, Arquitetura, Arquivologia, Biblioteconomia, Contabilidade, Direito e Legislação, Engenharia Agronômica e Jornalismo. Já no cargo de Técnico Jurídico, foram oferecidas vagas na área de Apoio Administrativo.

Os candidatos a todos os cargos de 2010 passaram por uma etapa de prova objetiva. Para o cargo de Analista Jurídico ainda foram realizadas prova discursiva e avaliação de títulos.

Dicas para as provas PG - DF: Regimento Interno da Procuradoria-Geral do Distrito Federal

O decreto 22.789 de 2002 aprova a regulamentação do Regimento Interno da Procuradoria-Geral do Distrito Federal. O regimento conta 107 artigos divididos em 9 títulos.

O primeiro título é subdividido em dois capítulos que abordam os quatro primeiros artigos que vão tratar das funções institucionais e competências da Procuradoria-Geral do Distrito Federal (PGDF).

Em relação às funções institucionais, a PGDF é de natureza permanente e essencial para a Justiça e Administração.

Ela possui autonomia financeira, funcional e administrativa e tem como objetivo oferecer assistência jurídica pública, prestando orientação normativa e supervisão técnica ao Sistema Jurídico do Distrito Federal.

No que se refere às competências da Procuradoria-Geral do Distrito Federal, cabe a ela a fiscalização, a cobrança, elaboração e a proposição de leis e normas que regem a administração direta e indireta do Distrito Federal.

O segundo título do regimento traz o artigo cinco que trata da estrutura organizacional da PGDF. De acordo com esse artigo, a Procuradoria-Geral do Distrito Federal é formada pela seguinte estrutura:

  • Órgãos de direção superior;
  • Órgãos de assessoramento superior;
  • Órgãos executivos do Sistema Jurídico do Distrito Federal
  • Órgãos de suporte e apoio técnico;
  • Órgãos de apoio administrativo

O terceiro título é dividido em seis capítulos, que por sua vez são subdivididos em seções e subseções que vão tratar das competências dos órgãos que integram a estrutura organizacional da PGDF.

O primeiro capítulo trata da competência dos Órgãos de Direção Superior e traz onze artigos divididos em três seções.

A primeira seção, no artigo seis, trata da competência do Procurador-Geral do Distrito Federal.

A segunda seção, no artigo sete, trata da composição do Conselho Superior e o artigo oito das competências desse conselho.

A terceira seção trata da competência da Corregedoria no décimo artigo. O décimo primeiro artigo determina que o Procurador-Corregedor será o chefe da Corregedoria, com mandato de dois anos, podendo ser reconduzido por um único período.

O capítulo dois trata das competências dos Órgãos de Assessoramento Superior e é dividido em quatro seções.

Na primeira seção, no artigo doze, é tratada a composição do Conselho de Administração do Fundo da Procuradoria-Geral do Distrito Federal-Pró-Jurídico. O artigo treze trata das competências do conselho.

O artigo quatorze define que a presidência do conselho será exercida pelo Procurador-Geral do Distrito Federal e trata das funções inerentes ao cargo.

O artigo quinze define que ao final de cada exercício financeiro, será feito um relatório com as informações sobre a situação financeira do fundo.

O artigo dezoito traz as atribuições do Conselho de Administração e da Secretaria e Executiva no exercício de suas funções conjuntas.

O artigo dezenove traz as receitas que constituem os recursos financeiros do Pró-Jurídico.

A seção dois, no artigo vinte e um, traz as competências da Assessoria Especial.

A seção três, no artigo vinte e dois, traz as competências do gabinete do Procurador-Geral. Essa seção se subdivide em três subseções.

A primeira subseção traz as competências do chefe de gabinete do Procurador-Geral. A segunda subseção traz as competências da assessoria do gabinete do Procurador-Geral no referente à realização das atividades de assessoramento técnico e operacional necessárias ao funcionamento do gabinete.

A terceira subseção traz as competências da Secretaria Executiva do gabinete do Procurador-Geral, que está diretamente subordinada ao chefe de gabinete.

A seção quatro, traz as competências da Coordenadoria de Matéria Legislativa e Assuntos do Tribunal de Contas do Distrito Federal.

O capítulo três é dividido em quatro seções que tratam das competências dos Órgãos Executivos do Sistema Jurídico do Distrito Federal que são:

  • Procuradoria de Pessoa que se subdivide na Divisão de Registro e Controle de Processos e Serviço de Apoio Administrativo (unidade diretamente subordinada ao Procurador-Chefe);
  • Procuradoria Fiscal que abrange a Divisão de Registro de Controle de Processos; Serviços de Apoio Administrativo, Gerência de Atendimento ao Contribuinte e Gerência de Controle da Dívida Ativa (unidade diretamente subordinada ao Procurador-Chefe da Procuradoria Fiscal).
  • Procuradoria do Meio Ambiente, Patrimônio Urbanístico e Imobiliário que se subdivide na Divisão de Registro e Controle de Processos e Serviço de Apoio Administrativo.
  • Procuradoria Administrativa que se subdivide na Divisão de Registro e Controle de Processos; Serviço de Apoio Administrativo; Gerência de Concessões e Gerência de Cobranças.

O capítulo quatro trata das competências dos Órgãos de Suporte e Apoio Técnico que são:

  • Centro de Apoio Técnico que se subdivide na Gerência de Planejamento e Orçamento, Gerência de Organização e Sistemas, Gerência de Cálculos, Gerência de Perícias Judiciais e Serviço de Apoio Administrativo.
  • Centro de Estudos que se subdivide em Gerencia de Estudos, Pesquisas e Referência Legislativa, Gerência de Desenvolvimento e Capacitação Profissional, Gerência de Documentação e Controle de Publicações Oficiais e Serviço de Apoio Administrativo.

O capítulo cinco trata das competências dos Órgãos de Apoio Administrativo que compreende o Departamento de Administração Geral que se subdivide nas seguintes unidades:

  • Serviço de Apoio Administrativo (competências tratadas no artigo 29 desse Regimento);
  • Serviço de Material;
  • Serviço de Patrimônio;
  • Serviço de Comunicação Administrativa;
  • Serviço de Pessoal;
  • Serviço de Administração de Edifício;
  • Serviços Gerais;
  • Serviço de Execução Orçamentária.

O capítulo seis trata das competências gerais que são atribuídas a todas as unidades.

O título quatro trata das atribuições e competências dos titulares dos cargos de chefia, direção e assessoramento.

O título cinco trata das atribuições e deveres inerentes ao cargo dos Procuradores.

O título seis trata da orientação normativa, instrumentos de coordenação, controle técnico e fiscalização específica, necessárias para regulamentação do Sistema Jurídico do Distrito Federal.

Essa regulamentação é feita pela Procuradoria-Geral do Distrito Federal através de ato próprio do Procurador-Geral.

O título sete trata da regulamentação do Regime Opcional de Trabalho de 40 horas semanais, tratada na lei 2.663 de janeiro de 2001. Esse regime se aplica aos servidores da carreira de Apoio às Atividades Jurídicas e outras carreiras correspondentes.

O título oito traz as disposições gerais e o título nove, as disposições finais do regimento.

Compartilhe

Concursos por E-mail
Assine nosso boletim para receber Concursos Distrito Federal diretamente no seu e-mail