Expandir Menu PrincipalPesquisarPor Estado

Instituto-Geral de Perícias - IGP/RS abre concursos

Instituto-Geral de Perícias, Rio Grande do Sul, oferece 106 novas vagas de nível técnico e superior. O salário é de até R$ 9.556,78.

Publicado em Comunicar erro

O Instituto-Geral de Perícias – IGP, no Rio Grande do Sul, anunciou os editais n° 01 e 02/2017 de concursos públicos destinados ao preenchimento de cargos efetivos e cadastro de reserva. O salário é de até R$ 9.556,78, em regime de trabalho de 40 horas semanais.

Vagas

Edital n° 01/2017 – 35 vagas para Perito Criminal, nas áreas de Computação Forense, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia Química, Biomedicina/Farmácia/Biologia e Psicologia.

Edital n° 02/2017 – 71 vagas distribuídas entre os cargos de Técnico em Perícias, para candidatos que possuam nível médio e ensino técnico em Radiologia, e Perito Médico Legista, para graduados em Medicina, com especialização em Patologia e Psiquiatria.

Apostilas IGP/RSPERITO CRIMINAL (COMUM A TODAS AS ÁREAS) - PERITO MÉDICO-LEGISTA (COMUM A TODOS) - PSIQ. E PAT. FORENSE - PERITO MÉDICO-LEGISTATÉCNICO EM PERÍCIAS

Inscrições e provas

As inscrições serão realizas no período de 20 de abril a 11 de maio de 2017, no site da organizadora FUNDATEC (http://www.fundatec.org.br/). A taxa de inscrição varia de R$ 75,06 a R$ 182,41, de acordo o cargo pleiteado.

O candidato será selecionado por meio da aplicação de prova teórico-objetiva, avaliação psicológica, sindicância de vida pregressa e investigação social e funcional. A prova teórico-objetiva será composta de 80 questões e está prevista para ser aplicada no dia 9 de julho a 2017, na cidade de Porto Alegre ou em outra cidade da região metropolitana.

A validade do concurso será de dois anos, contado da publicação da homologação definitiva do resultado final, prorrogável uma vez, por igual período, a critério do IGP-RS.

Edital e eventuais retificações: http://fundatec.org.br/portal/concursos/

***

Dicas de Português para provas IGP/RS

Concordância Verbal

O verbo deve ser flexionado ("modificado") concordando com a pessoa do sujeito (eu, tu, ele/ela, nós, vós/vocês, eles/elas) e o número (singular ou plural):

  • Sujeito simples: o verbo concorda com o sujeito em número e pessoa, estando o sujeito antes ou depois do verbo. Ex: Foram embora, do nada, os meninos ("foram" concorda com "os meninos"). 
  • Sujeito composto: o verbo flexiona para o plural. Ex: Joana e Carlos insistiram em vir (Joana e Carlos são duas pessoas, e não pode-se usar "insistiu", mas sim "insistiram").
  • Sujeito composto de diferentes pessoas: O verbo vai para o plural na pessoa que prevalecer. Ex: Atiramos a pedra você e eu ("atiramos" concorda com "você e eu").
  • Sujeito constituído de pronomes de tratamento: verbo flexiona na 3ª. Ex: Vossa Excelência necessita de algo?
  • Sujeito constituído pelo pronome relativo QUE: verbo concordará em número e pessoa com o antecedente. Ex: Somos nós que precisamos de você.
  • Núcleos do sujeito ligados por OU: O verbo ficará no singular sempre que houver ideia de exclusão. Ex: Rosa ou azul será a cor do quarto.
  • Verbo com o pronome apassivador SE: O verbo concorda com o sujeito. Ex: Analisou-se o plano de reforma.
  • Sujeito formado por expressões: UM E OUTRO – O verbo fica no plural; UM OU OUTRO – O verbo fica no singular; NEM UM NEM OUTRO – O verbo fica no singular.
  • Sujeito formado por número percentual: O verbo concordará com o numeral. Se a indicação de porcentagem se seguir uma expressão com DE + SUBSTANTIVO, a concordância faz-se com esse substantivo. Ex: 50% dos camundongos morreram.
  • Verbos impessoais (haver, fazer, chover, nevar, relampejar...): por não possuírem sujeito, ficam na 3ª pessoa do singular. Ex: Não havia flores mais belas.
  • Verbo SER: se um dos elementos referir-se a pessoa, o verbo concordará com ela. Ex: Minha ambição são os meus sonhos.

Concordância Nominal

É a concordância, em gênero (masculino ou feminino) e número (singular ou plural), entre o substantivo (nomes) e seus determinantes ("partes" que acompanham os nomes): o adjetivo, o pronome adjetivo, o artigo, o numeral.

O candidato talvez sinta dificuldade em assimilar o que sejam essas classes de palavras (adjetivo, pronome adjetivo, numeral, artigo, etc), mas não se preocupe: concentre-se em entender os exemplos, ou seja, concentre-se em entender o uso da língua.

  • Opções de concordância: o adjetivo concorda com o adjetivo mais próximo (Eu dei de presente uma bolsa e um tênis preto) ou o adjetivo refere-se a dois substantivos de gêneros diferentes – prevalece o masculino e fica no plural (Eu dei de presente uma bolsa e um tênis pretos).
  • As palavras BASTANTE, POUCO, MUITO, CARO e BARATO concordam com o substantivo quando têm valor de adjetivo. Quando são advérbios, são invariáveis. Ex: estas revistas são caras (adjetivo) e as revistas custaram caro (advérbio).
  • ANEXO, MESMO, PRÓPRIO, INCLUSO: concordam com o substantivo a que se referem.
  • As expressões “É PROIBIDO”, “É NECESSÁRIO”, “É PRECISO” ficam invariáveis quando acompanhadas apenas de substantivo. Porém, se o substantivo estiver determinado pelo artigo, a concordância é feita normalmente.
  • Lembre-se que a palavra ‘meia’ é um adjetivo, enquanto ‘meio’ é um advérbio, significando ‘um pouco’.
  • Obrigado/obrigada – concordam com o substantivo a que se referem.

Colocação pronominal

É o modo como se dispõem os pronomes pessoais oblíquos átonos (me, te, se, lhe(s), o(s), a(s), nos e vos) em relação ao verbo. Trata-se de um dos assuntos popularmente "espinhosos" da língua portuguesa, os quais somos "forçados" a entender na escola. Mas basicamente, basta lembrar que as posições dos pronomes pessoais oblíquos átonos em relação ao verbo ao qual se ligam denominam-se:

  • Ênclise (depois do verbo)

É a posposição do pronome átono ao vocábulo tônico ao que se liga. Ex: Empreste-me o livro de matemática.

  • Próclise (antes do verbo)

É a colocação do pronome quando antes do verbo há palavras que exercem atração sobre ele, como:

- Não, nunca, jamais, ninguém, nada. Ex: Não o vi hoje.
- Advérbios, locuções adverbiais, pronomes interrogativos ou indefinidos. Ex: Sempre te amarei.
- Pronomes relativos. Ex: Há filmes que nos fazem chorar.
- Orações optativas, aquelas que exprimem desejo. Ex: Deus te ouça!
- Com gerúndio precedido da preposição ‘em’. Ex: Em se tratando desse tema...

  • Mesóclise (no meio do verbo)

É a colocação do pronome quando o verbo se encontra no futuro do presente ou no futuro do pretérito desde que não haja palavras que exerçam atração. Ex: Entregar-lhe-ei as informações. Na linguagem falada brasileira, o uso é quase inexistente.

Crase

Crase é mais um assunto "espinhoso" do português, mas dito de forma simples é o nome que geralmente se dá à fusão da preposição 'a" com o artigo "a(s)" ou com os demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo. É representada graficamente pelo acento grave (`).

Continue lendo estas dicas aqui e aproveite para adquirir as Apostilas completas para as provas do IGP/RS

Concursos RelacionadosVagas
CREMERSNível Médio/Técnico20
IBGE: Censo Agropecuário (24.984 vagas)Níveis Fundamental e Médio24.984
Câmara de Barracão Auxiliar legislativo1
Câmara Municipal de ViamãoTodos os níveis de escolaridade9
ELETROSULJovem aprendiz4
Ministério Público do Rio Grande do Sul (Carlos Barbosa)EstagiárioVárias
Prefeitura de ArvorezinhaTodos os níveis de escolaridade22
Prefeitura de Caçapava do SulNível Superior2
Prefeitura de CapitãoMédico e Médico ESF 1
Prefeitura de Nova Roma do SulFisioterapeuta1
Veja todos » Concursos Abertos