Como revisar matérias para concursos

Confira as melhores dicas sobre como revisar matérias para concursos e saiba como organizar suas revisões.

Como revisar matérias para concursos, pessoa fazendo anotação

Veja como revisar de forma produtiva e rápida. - Foto: Pixabay

Um dos principais métodos para ser aprovado em um certame é saber como revisar matérias para concursos. A revisão é a principal aliada do estudo e proporciona um melhor entendimento do conteúdo que se deseja aprender. Sendo assim, é essencial revisar da maneira correta, tendo acima de tudo, uma organização sobre suas tarefas.

Pode parecer repetitivo, mas é importante deixar claro que revisão é o ato de revisitar algo, ver novamente. Ou seja, é preciso que você tenha tido contato com aquilo previamente. Outro ponto que nós iremos abordar, porém, é que revisar não é ler ou ver tudo aquilo que você estudou novamente.

A revisão tem que ser uma ferramenta que te auxilie na fixação de novos conteúdos ou te ajude a relembrar algo que já faz um tempo que você não estuda. Se você está gastando muito tempo na revisão, você pode estar fazendo algo errado. Portanto, tenha isso em mente ao prosseguir no texto.

Importância da revisão

Você está lendo esta matéria porque quer saber como fazer uma boa revisão. Seria muito fácil se a gente começasse a despejar um monte de conteúdo aqui e mandasse você se virar. Porém, no Concursos no Brasil, nós acreditamos que é preciso que você entenda a razão daquilo que estamos te apresentando.

Para falarmos de revisão, é fundamental falarmos de memória. De forma bem resumida, o nosso cérebro trabalha com diversos tipos diferentes de memórias, das quais duas se destacam: a de longo prazo e a de curto prazo. Elas também podem ser chamadas de memória semântica e memória episódica, respectivamente.

Memórias de longo prazo são aquelas que você jamais esquecerá. Elas estão gravadas na sua mente. Já as memórias de curto prazo são aquelas que você esquece com o passar dos anos ou se for bem irrelevante, em dias.

Muitos psicólogos e professores utilizam o termo “curva de esquecimento” para quando esquecemos de algo ou temos aquele famoso branco de informação. Este conceito que possui até mesmo pesquisas na área, foi desenvolvido inicialmente por Hermann Ebbinghaus, um psicólogo alemão nascido em 1850 e que ficou famoso por desenvolver testes de inteligência e estudos sobre como funciona a memória humana.

Entre os estudos do psicólogo, estava a retenção de um novo conhecimento e como que, com o passar do tempo, nós esquecemos o que foi aprendido de forma episódica, com pouco aprofundamento. Se lembrou da memória episódica? A grosso modo, é praticamente isso mesmo.

Sendo assim, ao longo de suas pesquisas, Ebbinghaus percebeu que nós não conseguimos reter informação por muito tempo. No prazo de um dia você esquece metade do que aprendeu. Em uma semana esse número gira em torno de 70%. Depois de um mês você já perdeu quase todo o conhecimento que tinha adquirido.

Se você fizer um gráfico com a quantidade de informação que você ainda consegue se lembrar em relação aos dias passados terá a famosa curva do esquecimento. Isso demonstra que a memória de curto prazo costuma ser falha com o passar do tempo.

A revisão é justamente a técnica que transforma a memória de curto prazo em memória de longo prazo. Ou seja, quando você revisita algo que aprendeu, o conceito vai se tornando parte do seu dia a dia. E assim como a data do seu aniversário, você jamais esquecerá de algo que revisou de forma periódica e organizada, eliminando ou pelo menos diminuindo, a curva do esquecimento.

Ah! Não pense que vamos deixar de falar do Ebbinghaus por aqui. Lá na frente você vai ver que ele vai voltar com tudo na nossa matéria te mostrando como revisar periodicamente a matéria desejada.

Revisão é uma técnica de estudo

No começo do texto, falamos que saber como revisar matérias para concurso era um dos métodos para obter a aprovação. Não custa ressaltar que, apesar de ser importante, ela não é a única ferramenta. A revisão é uma das dez principais técnicas de estudo para que você saia bem em uma prova. As dez técnicas são:

  • 1. Estudo intercalado e distribuído;
  • 2. Marcações nos textos;
  • 3. Criação de resumos;
  • 4. Mapas mentais;
  • 5. Fazer perguntas e dominar o conteúdo;
  • 6. Memorização;
  • 7. Gravar uma aula sua;
  • 8. Fazer testes práticos;
  • 9. Revisar o conteúdo;
  • 10. Ter bom senso quando for estudar.

Gostou de alguma das técnicas apresentadas? Saiba que temos um artigo completo detalhando cada uma delas no Concursos no Brasil. Algumas são tão importantes que decidimos até mesmo expandir o conteúdo (caso da revisão e dos mapas mentais).

Como revisar matérias para concursos

Finalmente chegamos ao momento que você tanto esperava. Como revisar matérias para concursos!

A revisão serve tanto para conteúdos que você acabou de estudar como para matérias que você já leu ou viu há algum tempo. Como existem essas duas variações, vamos dividir este tópico em dois.

Matérias recentes

Imagine que você terminou de estudar uma disciplina teórica, como por exemplo legislação. Ao voltar para o material, se atente às anotações que você fez. Por isso que, durante o seu estudo, é de suma importância marcar as partes principais, fazer anotações e criar resumos. Eles te guiarão em uma espécie de atalho e te impedirão de ler o conteúdo completo outra vez.

Além disso, se possível, faça questões relacionadas à disciplina que você esteja revisando. Se você se sair bem, quer dizer que tanto o seu estudo quanto a revisão foram bem feitos. Caso haja muitos erros, isso significa que existem falhas em um dos processos e é preciso identificá-las para poder corrigir.

Matérias antigas

Pode ser que você tenha estudado uma matéria há muito tempo atrás e que não esteja com ela tão fresca na sua cabeça. Se este for o seu caso, ainda há uma solução. Não vamos aqui falar que esse é o cenário ideal, pois não é. Porém, é possível fazer revisão de algo bem antigo.

Para isso, é preciso que você tenha feito bons resumos, anotações ou mapas mentais durante o tempo em que você estudou a matéria antiga pela primeira vez. Além disso, a sua leitura deve ser um pouco expandida, já que pode ocorrer de você ter simplesmente esquecido alguma parte. Ou seja, às vezes será preciso ler um capítulo da apostila ou ver o vídeo de uma aula específica sobre o tema.

E é para evitar essa revisão mais pesada que se recomenda que você retorne ao que aprendeu de forma mais constante. Existem modelos que podem te guiar nisso.

Método de revisão

Não existe somente uma maneira de como revisar da forma certa. Na realidade, existem métodos que foram criados ao longo dos anos por psicólogos, pedagogos, professores e mesmo estudantes. A ideia é que você encontre aquele que você considere mais satisfatório.

Porém, a mais utilizada e que costuma ser indicada por professores é o método de Ebbinghaus. Se lembra que eu prometi que falaria dele novamente? Olha ele aqui! Entre os seus estudos sobre como funciona a memória, o psicólogo desenvolveu um método de aprendizado que foi replicado e adaptado para estudos.

Apesar do nome Ebbinghaus ser um pouco complicado de falar ou mesmo escrever, o importante aqui é o método. Em resumo, nele é apontado que para que uma revisão funcione, você necessita revisar no período de 24 horas, sete dias, um mês e seis meses. Pode parecer confuso, mas nós vamos te explicar.

Imagine que você terminou de estudar a matéria de legislação hoje. Obrigatoriamente, dentro do prazo de até 24 horas você precisa revisar o que você estudou. Isso porque você não pode deixar que a curva do esquecimento atue em seu cérebro e prejudique os seus estudos. Essa primeira revisão é a mais importante de todas e vai deixar você bem preparado para a segunda.

Sete dias depois é a hora da segunda revisão, que coincidentemente é a segunda mais importante. Por fim, as demais revisões devem ser feitas de 30 em 30 dias até você atingir o prazo de seis meses. Algumas pessoas indicam sete ou até mesmo oito meses. Mas, seis meses tá de bom tamanho.

Outro aspecto relevante é que a cada revisão, o seu tempo gasto tem que ser menor. Caso isso ocorra, quer dizer que você realmente está conseguindo reter as informações.

Mas aqui vem a dúvida que muitos podem ter: e se eu não conseguir seguir as regras desse método? Isso vai atrapalhar minha revisão?

Não vai! Claro que o ideal seria seguir o conceito, porém a nossa vida não segue os padrões ideais. Temos muitos imprevistos e assuntos para serem resolvidos. Portanto, a nossa dica é que você tenha bom senso e se mantenha o mais dentro possível do método.

Pode ser que você tenha uma grande quantidade de matérias para estudar ou mesmo pouco tempo para a prova do concurso. Nesse caso, recomendamos que você adapte este método ao seu cotidiano.

Lembre-se que a primeira revisão é a mais importante e que a segunda também tem um grande impacto. Se você conseguir se organizar para manter pelo menos as duas primeiras, já terá uma grande vantagem.

Junto ao método, existem dicas que podem ser utilizadas durante a revisão para facilitar a sua compreensão do tema e ajudar a agilizar o processo. Esse é o assunto do próximo tópico.

Dicas de revisão

Para fazer uma revisão, existem dicas que ajudam você a reter melhor o conhecimento e estimular o seu cérebro. Entre as dicas de como revisar, estão:

  • Faça anotações e resumos;
  • Marque no texto com marcadores coloridos o que você achou relevante;
  • Se quiser, utilize post-its;
  • Utilize os mapas mentais (temos uma matéria sobre como criar mapas mentais para concursos);
  • Faça flash cards;
  • Crie tópicos;
  • Grave pequenas aulas suas, fazendo um resumo do conteúdo;
  • Utilize a técnica de pomodoro durante a revisão;
  • Lembre-se de que a primeira revisão deve ser feita em até 24 horas;
  • Faça um esforço para tentar lembrar o que aprendeu antes de revisar. Assim terá noção em quais matéria você tem mais dificuldade;
  • Tenha um cronograma organizado com as matérias a serem revisadas e as matérias que serão estudadas.

Quais materiais eu utilizo para revisar um conteúdo?

Pode parecer repetitivo, mas vamos deixar bem claro para que não reste nenhum pingo de dúvida. Para revisar, você utilizará justamente as anotações, os resumos, flash cards, mapas mentais e marcações que você fez quando estava aprendendo a matéria nova. Se existem poucos resumos ou anotações, sua revisão poderá ficar incompleta e algum ponto importante pode passar despercebido.

Ao mesmo tempo, não exagere ou transcreva trechos da apostila ou livro que você está lendo. As anotações servem para ajudar a lembrar dos conteúdos e, se possível, simplificar os conceitos. Não se trata de uma releitura completa. Assim, uma boa dica é, enquanto estiver estudando, leia toda uma página ou um trecho longo antes de decidir quais anotações irá fazer ou as frases que você gostaria de destacar.

Qual melhor horário para fazer revisão?

Não existe um melhor horário para se revisar uma matéria. O que existe são oportunidades. Isso quer dizer que você precisa ficar atento às melhores condições para poder fazer a revisão. A primeira condição é revisar a matéria logo após você ter estudado, naquele esquema de 24 horas que nós te explicamos anteriormente.

Outro aspecto é sobre o ambiente em que você se encontra. Ele precisa estar adequado para se fazer a revisão. Se em certo horário há muito barulho da rua ou mesmo distrações dentro de casa, evite revisar. Busque momentos mais tranquilos, sem distrações.

E por fim, não podemos esquecer das suas condições físicas e mentais, não é mesmo? Revisar a matéria com sono, muito cansado, estressado ou, por exemplo, com dor de cabeça não irá lhe dar os benefícios necessários. Portanto, fique atento aos sinais do seu corpo e faça a revisão quando você estiver bem.

O importante aqui é fazer um equilíbrio entre a sua disposição, os barulhos e distrações em volta, além de cumprir com a periodicidade da revisão.

Quanto tempo devo separar para fazer revisão de matérias?

Não existe um tempo correto e preciso para se fazer uma revisão. Vai depender muito do tamanho e da complexidade da disciplina que você estudou. Matérias mais simples podem ser revisadas em questão de minutos. Agora, se o que você estudou é muito grande, pode ser que leve um pouco mais de uma hora.

Fique atento ao tempo que você está gastando durante a revisão. Revisões são curtas. Se você gastar muito tempo revisando, é sinal de que seu estudo não foi bom. Inclusive falamos sobre isso no próximo tópico que trata sobre o que você não deve fazer ao revisar um conteúdo.

Como não revisar matérias para concursos

A primeira dica do que não fazer durante uma revisão é: não gaste muito tempo. A ideia por trás disso é muito simples. Se você gastar muito tempo durante uma revisão, na realidade você não estará revisando, e sim estudando. Revisões são rápidas, com o objetivo de reter a sua memória e transformá-la em conhecimento.

Outro erro comum de vários concurseiros é pecar pelo excesso. Tem muita gente que acredita que quanto mais você ler a mesma coisa, mais conteúdo irá reter, mas isso não é verdade. Ler a mesma apostila várias vezes não vai fazer você absorver o conhecimento. Além de ser algo extremamente maçante, você desperdiçará um tempo valioso que poderia ser utilizado aprofundando seu conhecimento.

Não deixe que a revisão se torne algo esporádico. Como dissemos, a revisão é uma das principais ferramentas de auxílio em seus estudos. Ela colabora na retenção do que você aprendeu e te dá uma visão mais ampla sobre o conteúdo. Por isso, se organize e faça revisões periodicamente.

Não esqueça de anotar, fazer resumos ou marcações ao longo dos textos que você utilizou para aprender. É preciso você ter um referencial na hora de fazer a revisão.

Revisão requer organização

Ao longo do texto, falamos muito sobre periodicidade e sobre seguir técnicas de revisão. Todas as nossas dicas têm a ver com uma coisa fundamental: a organização. Para se fazer uma revisão é preciso que o concurseiro seja organizado desde o começo.

A organização começa na montagem do cronograma de estudo, passa pela produção de anotações e resumos para a revisão e termina na regularidade com que o indivíduo segue as dicas e dispõe o seu tempo e força de vontade para revisar o que foi estudado. Sem organização, revisar é impossível.

Portanto, se organize da melhor forma possível, com prazos e objetivos que você consiga cumprir. Ao fazer a revisão de maneira correta, você estará dando um grande passo rumo à aprovação.

Este conteúdo faz parte do Guia do Concurseiro, uma página especial com os passos para você entender como o universo dos concursos públicos funciona. Continue sua jornada, clicando aqui!

Veja mais:

Carlos Rocha
Redator
Jornalista formado (UFG), atualmente redator no site Concursos no Brasil. Foi roteirista do Canal Fatos Desconhecidos (YouTube) por um ano e meio. Produziu conteúdo de podcast para o Deezer. Fez parte da Rádio Universitária (870AM) por três anos e meio como apresentador no Programa Fanático e como repórter, narrador e comentarista da Equipe Doutores da Bola. Fã de futebol, NFL e ouvinte de podcast.

Compartilhe

Comentários