Como começar a estudar para concurso público?

A vida de concurseiro demanda foco e determinação. O Concursos no Brasil reuniu dicas para te ajudar a começar a estudar para concurso sem muitas dificuldades.

Começar a estudar para concurso: imagem mostra mão segurando caneta anotando algo em papel

Você deve começar mesmo antes do edital. - Foto: Nappy

A parte mais difícil em se tornar um concurseiro é, provavelmente, começar a estudar para concurso público. Isso porque, para quem não está acostumado, é bastante difícil começar algo novo e se impor uma nova rotina. Sendo assim, é necessário ter foco e determinação para transformar os estudos em hábitos.

Existem algumas dicas que você pode seguir para facilitar esse processo. Veja alguns passos que o Concursos no Brasil separou para você:

1. Escolha uma área

Saber em qual área você quer trabalhar é essencial para evitar frustrações no futuro. Sendo assim, você deve escolher concursos que ofereçam cargos relacionados à sua formação acadêmica, porque é próximo da sua realidade. Logo, você se sentirá mais confortável estudando conteúdos que fazem sentido para você e sua vivência e assim terá mais afinidade com as atribuições do trabalho a ser desenvolvido.

Ou seja, você precisa começar a estudar para concurso por matérias que se encaixem com o seu perfil profissional. Dessa forma, você ficará mais interessado e se esforçará mais para alcançar seu objetivo.

“Mas eu não tenho graduação superior? Como eu faço?” Muitos órgãos abrem oportunidades para candidatos de níveis fundamental, médio e técnico. Tudo o que você precisa fazer é conferir se as atribuições do cargo que você quer pleitear fazem sentido para você. Por exemplo, se a função requer que o servidor faça relatórios. Se você acha que ficará confortável realizando esse trabalho, então pode começar a estudar focado na área administrativa.

Sendo assim, considere as seguintes áreas:

  • Administrativa: bastante abrangente, essa área pode abrir inúmeras vagas em tribunais, institutos, autarquias, prefeituras, secretarias de município e estado, empresas públicas e universidades;
  • Bancária: disponível nos bancos como Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Banco Central do Brasil (Bacen);
  • Policial: oportunidades na Polícia Federal – PF, Polícia Rodoviária Federal – PRF, Polícias Civis e Militares, Guardas Municipais, além de órgãos de inteligência como a ABIN;
  • Fiscal: voltada para fiscalização e auditoria fiscal, podem haver cargos que combinem com você na Receita Federal do Brasil e demais órgãos municipais, estaduais e federais;
  • Tribunais: existem várias ofertas nos Tribunais de Justiça do Trabalho, Eleitoral e Militar. Geralmente, são abertos dois cargos: Técnico Judiciário (nível médio) e o de Analista Judiciário (nível superior em diversas especialidades);
  • Jurídica: tem oportunidades específicas para pessoas com superior em Direito, como cargos de Juiz, Promotor, Defensor Público e Procurador;
  • Legislativa: vagas em órgãos como Senado Federal, Câmara dos Deputados, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais. Os principais cargos ofertados são o de Consultor Legislativo (nível superior) e o de Técnico Legislativo (nível médio ou técnico);
  • Controle e Gestão: oportunidades para órgãos de todas as esferas públicas, como Tribunal de Contas da União (TCU) e Controladorias.

Saber a área que você pretende prestar é importante, porque é provável que, mesmo em órgãos diferentes, sejam cobrados os mesmos conteúdos. Por exemplo, concursos da Caixa e do Banco do Brasil provavelmente irão abordar matérias similares para determinados cargos, por serem da área bancária. Já no caso das Polícias, é provável que sejam realizadas etapas parecidas.

De maneira geral, tentar concursos em diferentes áreas pode ser um erro, uma vez que provavelmente você não irá aproveitar disciplinas.

2. Não espere o edital ser publicado

O concurseiro precisa já estar preparado quando o concurso for confirmado, sendo assim, é necessário começar a estudar desde cedo. As etapas de um concurso público são:

  • Solicitação e autorização do concurso público: para o certame acontecer, primeiro ele precisa ser autorizado pelo Ministério da Economia;
  • Definição da banca organizadora: depois de confirmado o concurso, é contratada uma empresa ou formada uma comissão que ficará responsável por criar o edital, definir o conteúdo programático e organizar as provas;
  • Divulgação do edital: é liberado o documento com todos os detalhes acerca da seleção;
  • Abertura das inscrições: momento dos candidatos realizarem a solicitação para pleitear os cargos;
  • Etapas de um concurso: são as formas de seleção dos candidatos, como provas escrita, prática e/ou de títulos;
  • Estudando para as provas: hora de adaptar seu cronograma para estudar exatamente os conteúdos que estão previstos nos editais;
  • Resultado, recursos, homologação e convocação.

Assim como está indicado na listinha acima, o edital é o documento onde estão descritas todas as informações que o concurseiro precisa saber. Nele há a explicação de como a seleção será realizada, com todas as datas referentes a inscrição, provas, recursos e resultados. Ele é divulgado pelo menos 45 dias antes da primeira etapa classificatória.

Esse documento irá te indicar como você deve focar para se preparar, adequando o seu cronograma de estudos de acordo com o conteúdo que será abordado. Contudo, o ideal é começar a estudar para concurso antes do edital ser publicado. Mas como fazer isso? É bastante simples: busque os certames anteriores realizados pelo órgão que você está prestando, confira o que caiu nas últimas provas e estude a partir daí.

Todo órgão público deve realizar seleções com certa frequência para suprir a necessidade de funcionários. Assim, mesmo que não haja concurso confirmado, você pode verificar certames passados e se preparar com bastante antecedência. Logo, quando for aberto um novo concurso público no órgão desejado ou para o cargo pretendido, você já estará acostumado à rotina de estudos e poderá apenas adaptar seu cronograma.

Além disso, provavelmente seu cérebro já terá guardado muitas informações importantes que precisarão ser apenas revisadas. É como correr uma maratona: você precisa deixar seu organismo adaptado ao exercício físico para, no dia da prova, sair na frente e conquistar seu objetivo.

3. Conheça a banca de concursos anteriores

Você já escolheu a área e já verificou quais órgãos possuem certames que costumam abrir vagas nas quais você se encaixa. Agora é hora de conhecer a banca organizadora. Mas por que isso é importante? Normalmente, as empresas responsáveis pelos concursos têm estilos próprios e seguem padrões de metodologia para aplicar as etapas eliminatórias e classificatórias.

Portanto, ao começar a estudar para concurso é importante saber quais critérios costumam ser utilizados para seleções do órgão que você quer pleitear. Por exemplo, os tipos de provas, conteúdos a serem abordados, como são realizadas as provas e os critérios que podem eliminar um candidato. Esses pontos variam muito de banca para banca.

Entretanto, ao verificar que uma mesma empresa costuma ser escolhida para organizar certames de determinado local:

  • Encontre as provas antigas e organize os arquivos;
  • Encontre padrões e tendências nos editais e nas provas;
  • Entenda como a banca pontua as provas;
  • Reorganize seu cronograma dando prioridade às disciplinas consideradas mais importantes pela banca.

4. Organize os estudos

Já sabe qual o concurso que você quer prestar e como foi a banca anterior? Começar a estudar. Mas estudar sozinho para concurso não é tarefa fácil, principalmente se você estiver acostumado a assistir aulas com muita gente. Pode ser complicado no começo, mas transformando o horário de estudos em hábito, logo você se acostuma. O primeiro passo é definir um lugar confortável e silencioso para não se distrair. Então:

Monte um cronograma de estudos. Crie uma tabela semanal com todos os seus afazeres e defina quanto tempo você irá estudar e quais matérias ficarão em cada dia:

  • Defina técnicas de estudo: existem várias formas para estudar para concurso, mas você precisa descobrir qual delas funciona para você;
  • Tire um tempo para revisar conteúdos: no seu cronograma, defina horários semanais para revisar aquilo que você já estudou.

Uma boa forma de estudar e também de revisar é por meio de resumos para concursos. Basta seguir passos como:

  • Destacar o texto com marcadores coloridos;
  • Montar um esquema usando palavras-chave, como mapas mentais ou lista de tópicos;
  • Escrever com as próprias palavras para garantir uma melhor memorização.

Se o edital já saiu e o concurso está batendo na porta, você precisa ficar ainda mais focado, porque terá pouco tempo para estudar. Por isso:

  • Leia o documento com atenção antes de começar;
  • Coloque uma data final no seu cronograma;
  • Separe o conteúdo programático na sua tabela semanal;
  • Deixe o celular de lado para não se distrair;
  • Estude todos os dias com maior foco nas disciplinas mais importantes;
  • Faça pausas de 5 a 15 minutos durante o período de estudos;
  • No dia anterior à prova, faça uma revisão e descanse bastante.

5. Separe um tempo para resolver simulados

É super importante colocar o conhecimento em prática quando você começa a estudar para concurso. Ficar apenas lendo ou assistindo videoaulas não é o suficiente. É comprovado que fazer exercícios ajuda na fixação do conteúdo, então responda questões relacionadas àquilo que você estudou. Aqui no Concursos no Brasil nós temos vários simulados para diferentes cargos que compõem um dos maiores bancos de questões gratuitas.

Depois de estudar determinada matéria, tire um tempo para resolver simulados e colocar aquilo que você aprendeu em prática. Uma disciplina muito importante é Língua Portuguesa que é abordada em praticamente todos os concursos. Por isso, estude e faça exercícios mesmo que o edital não tenha sido lançado ainda.

Você também pode procurar provas antigas e resolvê-las. Depois pegar o gabarito e identificar quais você acertou e quais você errou. Dessa forma, vai saber em que é preciso melhorar e qual conteúdo precisa ser focado. Você também pode baixar aplicativos para estudar para concurso que demarquem o que já foi estudado, te notifiquem de tarefas e atividades para serem feitas.

6. Mantenha o foco e a calma

Ao entrar para a vida de concurseiro, é preciso ter em mente que isso precisa fazer parte da sua rotina, ou seja, o estudo precisa ser um hábito diário. Assim como escovar os dentes, tomar banho e se alimentar, por exemplo, você deve estudar para concurso todos os dias. Mesmo aos sábados, domingos e feriados é ideal que você tire um tempo para se dedicar às seleções.

Para isso, você deve ter foco, garra e determinação, bem como vislumbrar o objetivo final que é passar na prova e ser chamado. Desse modo, defina:

  • Metas diárias que precisam ser atingidas, como concluir um determinado conteúdo ou revisar uma matéria;
  • Metas a médio prazo, como finalizar um curso ou uma apostila;
  • Meta final que é a aprovação no cargo que você quer em órgão específico.

É claro que estudar demandará muito esforço e às vezes você ficará cansado, mas não desanime. Quando você for convocado, tudo terá valido à pena. Por isso, evite pensamentos negativos e não tenha medo da reprovação. Eventualmente acontecerão coisas que podem te chatear e, quando isso acontecer, faça algo para relaxar e depois retome de onde você parou.

O medo do fracasso gera ansiedade e afeta a autoestima, podendo te fazer pensar que você é incapaz. No entanto, isso não é verdade! Caso você demore a ser aprovado em concurso, não desista. Perceba por que você não foi aprovado ou quanto faltou para você ficar entre aqueles que serão convocados. Use isso como motivador para continuar, encontre seus erros e estude esses pontos para não errar novamente.

Para controlar a ansiedade, mantenha:

  • Planejamento de rotina: conseguindo controlar o que você faz todos os dias, não precisará ficar preocupado com o que acontecerá amanhã e poderá se adaptar facilmente em caso de imprevistos;
  • Equilíbrio de demandas: não se deixe sobrecarregar. Da mesma forma que você tem marcado os horários para trabalhar e estudar para concurso, deixe reservado um momento para descansar;
  • Atividades físicas e hábitos de alimentação: seu cérebro funcionará melhor se o seu corpo também estiver bem preparado para a rotina. Defina hábitos para melhorar sua produtividade;
  • Estilo de aprendizagem: descubra quais métodos de estudo funcionam melhor para você;
  • Higiene do sono: ao anoitecer, desacelere. Leia um livro, diminua a intensidade das luzes e evite ficar usando o celular. Assim seu corpo irá entender que é hora de dormir.

Lembre-se que essas dicas, para serem eficazes, dependem do esforço que você colocar para essas ações serem realizadas. Então, se empenhe em manter o foco todos os dias e não perder seus horários de estudo. O sucesso pode não ser imediato, mas irá compensar.

Isadora Tristão
Redatora
Nascida na cidade de Goiânia e formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás, hoje, é redatora no site "Concursos no Brasil". Anteriormente, fez parte da criação de uma revista voltada para o público feminino, a Revista Trendy, onde trabalhou como repórter e gestora de mídias digitais por dois anos. Também já escreveu para os sites “Conhecimento Científico” e “KoreaIN”. Em 2018 publicou seu livro-reportagem intitulado “Césio 137: os tons de um acidente”, sobre o acidente radiológico que aconteceu na capital goiana no final da década de 1980.

Compartilhe

Comentários