Como escolher um concurso público para fazer?

Não sabe como escolher um concurso que seja ideal para você? Acompanhe o passo a passo em nosso artigo e conheça as suas possibilidades!

Como escolher um concurso: mulher de costas olhando para uma parede cheia de papéis. Em cima e ao redor, também é possível ver prateleiras

Os concursos se tornaram uma maneira segura de se manter financeiramente estável. - Foto: Pixabay

Todos nós cultivamos sonhos ao longo de nossa vida. É o que nos move para frente e faz com que consigamos nos organizar melhor. Ter um propósito em mente pode reestruturar quaisquer planos a curto, médio e longo prazo. Para os concurseiros, por outro lado, tudo começa com uma pergunta crucial: como escolher um concurso?

Seguir no funcionalismo público tem os seus altos e baixos, assim como qualquer outro plano de carreira. Algumas pessoas, mesmo assim, arriscam todas as suas fichas para conquistar estabilidade financeira e benefícios que só a carreira pública pode proporcionar.

No entanto, atenção: é importante avaliar uma série de fatores antes mesmo de tomar a decisão final, porque isso influenciará em toda a sua trajetória de estudos. O primeiro ponto a ser analisado, antes mesmo de escolher um concurso público, é a viabilidade dentro de seu próprio contexto.

Você tem o nível de escolaridade compatível com o cargo desejado? Está disposto a mudar de cidade para ingressar na área? Quanto tempo você tem à disposição para estudar e se aprofundar no conteúdo programático?

Para quem está começando, pensar em tudo isso ao mesmo tempo pode ser mais complicado do que aparenta. A jovem concurseira Bethânia Teles, de 25 anos, decidiu investir em uma carreira de nível médio para manter uma estabilidade enquanto avalia outras alternativas de certames públicos.

A estratégia de “escada de concursos”, em que a pessoa vai ingressando em carreiras proporcionais à sua experiência, é um recurso interessante. Entretanto, é sempre bom analisar todas as cartas da mesa com base na sua rotina e no que você quer conquistar ao longo do tempo.

Para te ajudar nessa missão, elencamos um passo a passo para os concurseiros iniciantes. Levantamos questões fundamentais que precisam ser levadas em conta na hora de tomar a fatídica decisão.

Em nosso artigo, você poderá refletir sobre:

  • Por que prestar um concurso público?
  • Como escolher um concurso público para fazer?
  • Por que é importante focar em áreas de interesse, antes mesmo de entender como escolher um concurso específico?
  • Por que é importante pesquisar sobre remuneração e plano de carreira?
  • Onde encontro concursos abertos no Brasil?
  • Como se inscrever e estudar para um concurso público em específico?

Acompanhe o artigo até o final e fique por dentro de todo o passo a passo que disponibilizamos para os concurseiros iniciantes. Não se esqueça de conferir outros conteúdos de nosso site, como simulados e artigos. Temos certeza de que existe um material feito especialmente para você!

Por que prestar um concurso público?

Muitas pessoas almejam ingressar em carreiras de órgãos municipais, estaduais e federais. E isso não acontece por acaso: existem muitas vantagens ligadas ao funcionalismo público no Brasil.

É possível perceber que os cargos efetivos, disponibilizados por meio de concursos, se tornaram uma maneira segura de se manter financeiramente estável.

Ao contrário da iniciativa privada, em que você pode ser demitido a qualquer momento e por qualquer motivo, o setor de serviços públicos garante segurança no cargo pleiteado após três anos de estágio probatório.

O funcionalismo brasileiro, com base na Constituição Federal, não permite que os trabalhadores efetivos sejam demitidos por razões particulares. Dessa maneira, a dispensa do cargo só acontece nas situações em que os servidores cometam uma falta grave após sentença judicial. O desvio de conduta é um dos principais motivos de demissão em carreiras públicas.

Todos os profissionais, mesmo assim, estão resguardados pelo direito ao contraditório e à ampla defesa. Além do mais, é possível crescer na carreira e alcançar melhores remunerações ao longo do tempo.

Algumas pessoas que ingressaram em cargos de nível médio podem receber mais do que o dobro dos rendimentos iniciais, dependendo da progressão e benefícios extras. Quer um exemplo? O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ RJ) garante remunerações iniciais de R$ 3.870,06 aos profissionais de nível médio técnico, mas os rendimentos finais podem alcançar o valor de R$ 6.373,89!

O concurso Banco do Brasil, realizado no ano de 2018, proporcionou valores de R$ 2.718,73 mensais para o cargo de Escriturário (nível médio). Esses vencimentos devem ser ainda maiores para os próximos certames da autarquia, ultrapassando o valor de R$ 4.036,56. E ainda mais: os funcionários do Banco do Brasil terão direito a participação nos lucros, vale-transporte, previdência privada e auxílio-creche, além de ajuda com alimentação e refeição.

Outras vantagens na carreira pública, de uma maneira geral:

  • Vários concursos para nível médio não requerem experiência prévia no cargo pleiteado. Ao contrário da iniciativa privada, determinados certames abrem oportunidades para pessoas em busca dos primeiros empregos;
  • Progressão de vencimentos por tempo de serviço;
  • Em certos concursos de nível superior, não há exigência de formação específica. É o caso da maioria dos cargos abertos na Receita Federal e no INSS, bem como o cargo de Investigador de Polícia. Basta ter graduação em qualquer área, desde que reconhecida pelo MEC;
  • Os funcionários públicos possuem uma carga horária fixa, conforme informações disponíveis nos próprios editais de abertura. Há exceções para determinados cargos, mas o órgão público informará com antecedência para evitar imprevistos de logística.

Como escolher um concurso público para fazer

Como já mencionamos no início do artigo, não é nada simples escolher o concurso público pelo qual você vai depositar todos os seus esforços. A decisão envolve planejamento prévio, análise de seu próprio contexto e de quais as possibilidades reais para pleno ingresso no cargo pleiteado.

Os sonhos precisam entrar em acordo com a realidade para que não aconteçam frustrações que te inibiam de continuar tentando e se empenhando.

Para que você não entre num caminho sem volta, tenha sempre em mente qual a sua real intenção ao estudar para determinado certame. É necessário colocar o pé no chão e não idealizar a profissão almejada, sempre estabelecendo prós e contras.

De nada adianta sonhar com uma carreira em que a competição é extremamente acirrada se você não tem muito tempo disponível para se dedicar aos estudos.

Não basta entender como escolher um concurso: você precisa ter consciência de quais são os seus sonhos pessoais, se vai ser feliz na área e se existe a possibilidade em ser contratado com as ferramentas que estão ao seu alcance.

Faça com que o seu sonho se torne realidade, no sentido de criar metas que possam ser atingidas. No entanto, mais do que isso: saiba exatamente em qual caminho está entrando e vire o jogo ao seu favor.

Para isso, o primeiro passo é filtrar a sua escolha com base em perguntas muito bem delimitadas. O maior erro dos concurseiros é tentar abraçar o mundo, sendo que é possível conseguir aprovação ao intensificar as forças em uma área específica.

Pense o seguinte: você quer simplesmente passar em um concurso público sem analisar o panorama geral ou já sabe exatamente qual caminho quer seguir?

É difícil responder a essa pergunta e está tudo bem! Com o tempo, ao longo de sua jornada de concurseiro, você aprenderá a se conhecer melhor e a enxergar suas limitações de maneira positiva.

1. Você já definiu quais são os seus planos iniciais?

Os seus objetivos precisam ser delimitados desde o momento inicial, mesmo que acabem sendo modificados ao longo do tempo. Para começar com o pé direito, é extremamente importante definir as suas metas imediatas e as que precisam de mais tempo para sair do papel.

Você não precisa escolher apenas uma carreira e traçar somente um plano específico. Tenha em mente o seguinte: alguns concursos públicos são bastante demorados. Por isso, saiba como você pode investir o seu tempo enquanto espera pelo lançamento oficial daquele certame dos sonhos.

Bethânia Teles se tornou Auxiliar de Atividades Educacionais (nível médio), mas já sabia que essa não era a sua linha de chegada.

“Minha estratégia foi sempre essa: começar em carreiras de níveis mais baixos para conseguir estabilidade ao mesmo tempo em que estudo para passar em concursos mais difíceis e concorridos. No começo, eu investi na área administrativa por ter mais vagas e ser mais tranquilo de passar. No entanto, acabei mudando de opinião e, agora, quero investir mais no campo da educação”, a jovem relata.

Cada um pode seguir o seu próprio caminho e alinhar estratégias, desde que sejam adaptadas ao perfil profissional. Outras pessoas preferem trabalhar na iniciativa privada enquanto estudam e está tudo bem.

Por outro lado, certos concurseiros precisam cuidar de demandas familiares e não contam com muito tempo para se dedicar aos estudos. E adivinha? Está tudo bem também!

O importante é reconhecer suas limitações e manter uma estratégia que te beneficiará a curto, médio e longo prazo. Não se esqueça de se manter com o pé no chão e trabalhar com as suas próprias possibilidades momentâneas. Porém, não deixe de lado aquele sonho que te motiva a seguir adiante. Esse é o seu pontapé inicial e é nele que você deve se fortalecer.

2. Em quais órgãos você deseja ingressar?

Como escolher um concurso? Bem, um ótimo ponto de partida é filtrar a sua decisão com base na esfera pública em que pretende ingressar. Você está interessado em ser funcionário na sua cidade ou tem condições de se mudar para outra região? Muitos concurseiros se preparam incessantemente para certames do INSS ou no Banco do Brasil, por exemplo.

Eles podem fazer diversos outros concursos ao longo de suas vidas, mas nada impede de se dedicar em carreiras que realmente desejam passar. Por isso, é importante ter uma instituição em mente para facilitar a rotina de estudos.

Se a sua intenção é a de ser contratado no órgão público de sua cidade, como prefeitura e câmara municipal, busque materiais de concursos passados. Avalie os detalhes constantes em editais regulamentadores e se prepare com a antecedência necessária, levando em consideração a estimativa para a abertura do próximo certame e as etapas eliminatórias.

É necessário refletir sobre a regularidade com que os concursos são anunciados para o órgão público que deseja ingressar. Afinal, não adianta nada se dedicar nos estudos se a última seleção aconteceu em pouco menos de um ano. Enxergue as possibilidades palpáveis e descarte quaisquer “sonhos impossíveis”.

Alguns concursos grandes, como o da Caixa e do IBGE, são frequentemente autorizados pelo governo federal. No entanto, os lançamentos dos editais de abertura podem demorar mais do que o esperado. Tenha isso em mente ao traçar seus objetivos e busque alternativas viáveis nesse intervalo de tempo.

3. Em qual área você sonha em trabalhar?

Você já tem noção em quais órgãos públicos deseja investir os esforços? Compreendeu como geralmente esses concursos funcionam? Sim? Então, está na hora de entender qual seria a área pleiteada!

Muitos concurseiros apostam em diferentes carreiras, independentemente de sua formação acadêmica. Isso, contudo, pode ser um erro crucial que ocasionará em sucessivas frustrações. Não há necessidade de fazer todos os concursos que vão surgindo, ainda mais se eles não contemplam o campo de sua atuação ou não são compatíveis com suas habilidades.

Existe maior probabilidade de sucesso se você focar a rotina de estudos em áreas específicas e que te interessem mais. Com isso, será possível estudar para matérias dentro do seu perfil profissional e aproveitar todos os esforços em diversos certames de uma mesma área. Lembre-se que os concursos podem ser divididos por setores nos quais os servidores públicos executam atividades correlacionadas.

De uma maneira geral, existem seis grandes áreas para escolher:

  • Administrativa: área bastante abrangente, sendo possível encontrar inúmeras vagas em tribunais, institutos, autarquias, prefeituras, secretarias de município e estado, empresas públicas e universidades. Exemplo de cargos: Agente Administrativo e Assistente Administrativo (ambos de nível médio);
  • Bancária: disponível nos bancos propriamente ditos, como Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Banco Central do Brasil (Bacen);
  • Policial: oportunidades em concursos da Polícia Federal – PF, Polícia Rodoviária Federal – PRF, Polícias Civis e Militares, Guardas Municipais, além de órgãos de inteligência como a ABIN;
  • Fiscal: área voltada para fiscalização e auditoria fiscal, com oportunidades disponíveis na Receita Federal do Brasil e demais órgãos em todas as esferas públicas;
  • Tribunais: existem ofertas de inúmeras vagas nos Tribunais de Justiça do Trabalho, Eleitoral e Militar. Geralmente, é possível encontrar dois tipos de cargos: Técnico Judiciário (nível médio) e o de Analista Judiciário (nível superior em diversas especialidades);
  • Jurídica: oportunidades específicas para quem tem superior no curso de Direito. É possível ingressar nos cargos de Juiz, Promotor, Defensor Público e Procurador;
  • Legislativa: oportunidades em órgãos de todas as esferas, como Senado Federal, Câmara dos Deputados, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais. Os servidores auxiliam nas atividades parlamentares e os principais cargos ofertados são o de Consultor Legislativo (nível superior) e o de Técnico Legislativo (nível médio ou técnico);
  • Controle e Gestão: oportunidades órgãos de todas as esferas, como Tribunal de Contas da União (TCU) e Controladorias. Essas entidades atuam com o exercício do controle externo sobre os atos praticados pela administração pública. No caso das Controladorias, o objetivo é o de realizar o controle interno. Cargos: Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental.

Como deu para notar, os concursos podem ser divididos por diversas áreas. Alguns órgãos executam atividades parecidas e possuem correlação nos atributos necessários.

Dessa maneira, não é possível concorrer na carreira policial e ao mesmo tempo querer aproveitar os estudos na área de fiscalização. As disciplinas cobradas são diferentes e, por isso, o desempenho do concurseiro pode ser bastante prejudicado.

Tenha em mente o que realmente corresponde ao seu perfil para garantir mais objetividade na hora dos estudos. Ao selecionar as áreas de seu interesse, você se dedicará em matérias das quais realmente gosta. Pense assim: eu me interesso pela área bancária? Pretendo ser policial? Tenho habilidade na área bancária? Me vejo trabalhando em tribunais?

4. Qual é seu nível de escolaridade?

Outro ponto importantíssimo a ser levado em conta sobre como escolher um concurso: a carreira pretendida está de acordo com o seu nível de escolaridade? Afinal, de nada adianta se dedicar para um cargo de nível superior se você ainda não possui certificação do curso.

A área jurídica, por exemplo, é estritamente relacionada aos profissionais que já têm graduação completa em Direito e, até mesmo, registro ativo na OAB.

Mas não sofra com antecedência! Existem vários órgãos públicos que ofertam oportunidades para profissionais com nível médio completo, como INSS, Receita Federal, Caixa e Banco do Brasil. Além do mais, muitos cargos também podem demandar apenas a formação superior em qualquer especialidade cursada.

Percebe que filtrar a sua escolha conforme seu nível de escolaridade pode prevenir possíveis frustrações ao sair o edital regulamentador do concurso? É necessário ficar atento a esses detalhes logo de cara para que você invista seu tempo em carreiras que te contemplem enquanto profissional.

Por isso, também leve em consideração as etapas classificatórias do concurso desejado. Alguns órgãos públicos pedem a comprovação de títulos complementares. Se você não tem pós-graduação, mestrado e cursos que atestem sua qualificação acadêmica, vai deixar de ganhar pontos em relação aos outros candidatos.

5. Eu tenho condições de me dedicar para todas as etapas do concurso?

Sabemos que a primeira etapa da maioria dos concursos é composta pelas provas objetivas e/ou discursivas, no sentido de fazer com que o candidato se adeque às exigências inerentes ao cargo.

Entretanto, o teste de aptidão física (TAF) e demais provas práticas também são bastante comuns nas carreiras como as da Polícia Militar, de Bombeiro, da Polícia Federal, de Agente de Trânsito e de Guarda Municipal.

Assim como o candidato precisa se dedicar com antecedência à prova de múltipla escolha, o mesmo deve ser feito para as provas de cunho prático. O erro reside em subestimá-las ou não ter confiança o suficiente para se preparar, mesmo sem saber o resultado da prova objetiva.

O intervalo entre o resultado da primeira etapa e a convocação para o TAF, por exemplo, é de geralmente cinco ou seis semanas. Isso é muito pouco se formos levar em consideração o tempo para garantir um bom condicionamento físico, hábitos alimentares saudáveis e constantes práticas de exercícios.

Dessa maneira, é importante conhecer e dominar todas as etapas que compõem o concurso em questão. O concurseiro precisa ter em mente como é possível equilibrar a balança do esforço e do retorno pretendido, bem como deve estar ciente dos demais certames que já foram anunciados.

6. Posso mudar de cidade?

Decidiu se dedicar para algum concurso na esfera federal? Então, é necessário estar disposto a morar em outro estado para desempenhar as atividades inerentes ao cargo.

Caso não seja possível, vale a pena rever as opções de certames e optar por outras oportunidades que estejam disponíveis na cidade em que você mora.

As prefeituras também abrem concursos para profissionais com diversos níveis de escolaridade, bem como as câmaras municipais. Entenda as suas limitações e leve-as em consideração antes de se dedicar nos estudos.

7. Pesquise a remuneração e crescimento da carreira

Além de planejar sua rotina com base no conteúdo programático do concurso, também é interessante analisar outros fatores relacionados ao cargo escolhido.

Avalie se é possível garantir benefícios adicionais para além de vencimento básico e se há possibilidade de crescer na carreira desejada. Dessa maneira, você contará com boas perspectivas ao longo do serviço e isso influenciará em planos futuros.

Todas essas informações pontuais geralmente já constam no edital de abertura ou no regulamento interno do órgão público. Vale a pena investir um pouquinho de tempo para comparar carreiras nas áreas de seu interesse.

Onde encontro os concursos abertos no Brasil

Já traçou seus planos iniciais e conseguiu definir quais as áreas em que deseja atuar? Sim? Está na hora, então, de se planejar com o máximo de eficiência possível. Para isso, é importante ficar atento aos concursos com inscrições abertas ao redor do país. Além disso, programe seus estudos com base em certames que já foram oficialmente autorizados pelo governo federal.

Todos esses detalhes podem ser diretamente acessados em nosso site. Os concurseiros podem filtrar suas buscas com base na seção de cargos, de concursos abertos e de concursos previstos. Use e abuse das ferramentas que estão ao seu dispor para que você invista seus esforços nos certames feitos especialmente para as suas metas a curto, médio e longo prazo.

Como me inscrevo em um concurso público?

Quando um concurso público é anunciado, as inscrições geralmente acontecem por meio do site da banca organizadora. Contudo, isso não é uma regra absoluta para todos os certames.

Até porque alguns órgãos públicos estabelecem outras maneiras para entrar na disputa, como preencher formulários online em links específicos. Fique atento ao edital de abertura, porque é por ele que você deve sanar todas as suas dúvidas.

Detalhe importante: os interessados, salvo exceções, devem realizar o pagamento de uma taxa para deferir o pedido de inscrição. Os valores são proporcionalmente calculados conforme o nível de escolaridade inerente para cada cargo. Apesar disso, é possível solicitar a isenção da taxa em alguns casos.

Como estudar para concurso público

Estudar para concursos públicos envolve uma série de fatores, mas todos eles estão interligados com a maneira em que você organizar a sua rotina. O primeiro passo é avaliar o conteúdo programático do cargo escolhido, fazer uma busca pelas questões que já caíram nas provas anteriores e se atualizar sobre os conhecimentos específicos da área que será pleiteada.

Não há uma fórmula mágica para o sucesso, porque cada um pode encontrar maneiras diferentes e que sejam eficazes. No entanto, é extremamente recomendado encontrar métodos que já foram testados e comprovados.

Você pode:

Está pronto para entrar no universo dos concursos públicos? Como é possível perceber, a jornada é longa e depende de processos e de bastante paciência. No entanto, com um objetivo muito bem delimitado, os frutos podem ser colhidos e a aprovação tende a se tornar realidade.

Continue acompanhando o site do Concursos no Brasil e se informe por meio de nossos artigos, notícias e matérias sobre concursos abertos ou previstos. Nós temos conteúdos feitos para qualquer tipo de concurseiro: do iniciante ao experiente!

Compartilhe

Comentários