Administrando o tempo

Saiba como dividir melhor o seu tempo para se preparar bem

Ler apostilas, livros, assistir aulas, fazer revisões, estudar as provas anteriores, se informar sobre atualidades são as principais atividades de um concurseiro que se preze.  Mas como realizar tantas atividades com o tempo nem sempre contando a favor? E mais: como realizar tais tarefas se o concurseiro trabalha? Pois é. Um dos maiores desafios para os concurseiros é saber administrar melhor o tempo. E para quem ainda tem que trabalhar, o dia às vezes parece mesmo deixar de ter 24 horas, não dando tempo sequer para a metade das tarefas que cabiam ser feitas. Acompanhe algumas dicas de profissionais consultados pelo portal Concursos no Brasil.

Carpe diem

A expressão latina Carpe diem, tão propalada pela mídia, ainda precisa ser levada mais a sério. A frase é atribuída o poeta romano Horácio (65 a.C. - 8 a.C.) e o significado mais clássico dela é "aproveite o dia presente". Para o poeta, o homem deveria colher sempre o dia presente e ser o menos confiante possível no futuro, já que este não passa de uma hipótese ou probabilidade, tamanho o seu grau de incerteza. De acordo com o professor Alberto Vicente,  que também atua na área de concursos, guardadas as devidas diferenças, a recomendação do poeta se aplica aos concurseiros, com a ressalva de que no caso dos candidatos, o futuro, embora não possa ser exatamente previsto, necessita pelo menos ser idealizado ou projetado, retirando-se dele o máximo das incertezas.

Concordando com Vicente, a psicóloga Patrícia Boaventura, formada pela Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), nos diz que o grande problema da maioria dos concurseiros é querer estudar tudo de uma vez, tentar sem sucesso assimilar o máximo em conteúdos. "Aprenda a fragmentar seu tempo de estudo, pois isso além de ajudar na assimilação vai lhe livrar de um stress", completou a profissional.

Cronogramas de estudo funcionam

Revisando a dica anterior, o que a psicóloga chama de fragmentar o tempo é mais ou menos aproveitar aquele momento vago da hora do almoço, do lanche ou a hora da pausa nos trabalhos para estudar os conteúdos ou as provas anteriores dos concursos. Tudo isso precisa ser previsto em um cronograma equilibrado, que não precisa ser necessariamente sufocante, pois sabemos que não será em todo o momento vago que a disposição para os estudos vai estar do seu lado. Ao chegar do cursinho preparatório, recomponha as suas forças físicas e volte para ler as apostilas e livros, conforme a sua programação de motivação. Sabemos que, em certos momentos, voltar aos livros depois de uma aula ajuda muito a afixar os conhecimentos. "Tudo tem que estar dentro do seu cronograma de estudo para aquele dia, determinando que matéria será estudada e como será estudada", aconselha Patrícia.

É erro é querer abraçar o máximo de conteúdos com as mãos e com os pés. O candidato precisa ter elaborado os dias para estudar as disciplinas gerais, as específicas e também ter tempo para ele mesmo, afinal ter disciplina nos estudos não significa abrir mão de si mesmo. "Com tantos concorrentes bem preparados, que já dominam as técnicas de estudo, não vai dar para se manter no páreo sem organização e uma mente equilibrada. Estudar é essencial, mas saiba como dividir o tempo de estudo, não se sufoque, faça tudo com muita calma", completa a psicóloga.

Cuidado: determinadas opções de tempo para estudos podem não ser tão produtivas

O professor de escola preparatória João Ricardo Marques Melo ratifica o que foi dito até aqui, ao afirmar que muitos concurseiros, principalmente os iniciantes, criam certa situação de sufoco para eles mesmos, tentando estudar tudo ao mesmo tempo como se isso fosse ajudar. "Pelo contrário, causa sérios prejuízos tanto nos estudos do conteúdo como no próprio dinamismo do candidato. Organizar o tempo é o melhor a ser feito nestas horas". 

Uma outra precaução do candidato deve ser concernente ao tempo real de estudos que ele efetivamente possui, uma vez que esse tempo pode acabar não sendo o mais produtivo (ele poderá estar cansado, sentir sono, achar que está tendo sono de má qualidade, etc). Assim, determinadas opções de tempo para estudos podem não ser tão produtivas e esse fator precisa ser avaliado, pois o candidato terá que ter ainda mais motivação para transformar esses momentos em boas oportunidades de concentração. Claro que isso não é fácil e envolverá novamente uma característica muito lembrada por todos: a disciplina.

Este pareceu ser o caso do estudante Diego Muller de Oliveira, que, se viu prejudicado no concurso do INSS que fez em 2010. Ele nos relatou que deixava para estudar todas as disciplinas à noite, quando chegava do trabalho, o que acabou não lhe trazendo bom resultado. "Me cansava demais neste ritmo. Não absorvia o conteúdo direito. A sensação era que joguei o dinheiro da inscrição fora. Mas no concurso do INSS para 2013 comecei a fazer diferente, otimizando meu tempo e separando um tempo determinado para revisar cada matéria".

Compartilhe

Comentários

Mais Guia do Concurseiro

Especial Concurso BB

Veja mais »