Existe vida profissional após os 50 anos

Que não reproduzamos o o discurso malicioso da "imprestabilidade dos mais velhos". Se for para fazer concurso após os 50, por que não?

Uma das apreensões da modernidade reside no modo como as pessoas geralmente encaram o ato de envelhecer. Vivemos em um mundo que não só banaliza a velhice, tratando-a até como uma espécie de doença, como também faz certa apologia à juventude e à beleza. As pessoas não reconhecem os valores que os mais avançados em idade possuem e têm cada vez mais dado valor à "cultura jovem", esquecendo-se, porém de que, tão certo como a morte, a velhice um dia chegará.

(Por favor, não atribuam à palavra "velhice" uma conotação pejorativa. Não é esta a nossa intenção aqui).

No mundo profissional essa barreira é ainda mais acentuada, já que não se precisa muitas vezes chegar a uma idade considerada como "avançada" para sentir alguns dos efeitos da "exclusão social". Assim, já existem pessoas gozando do pleno vigor dos seus 35, 40, 50 ou 60 anos que hoje estão se considerando "ultrapassadas" ou excluídas do mundo do trabalho - isso por causa de tanto se repetir o discurso malicioso da "imprestabilidade dos mais velhos".

Isso é um grande engano e triste é o fim de uma sociedade que exclui os mais experientes, independente da idade que possuam! Hoje, é possível conquistar uma colocação profissional acima dos 50 anos sim! Dá para ser muito feliz em qualquer idade, desde que saibamos construir um pouco dessa felicidade a cada dia vivido.

Dentre os vários pontos a favor da valorização da maturidade, um deles está no fato de que nosso país avançou pelo menos no quesito expectativa de vida, que prossegue evoluindo. Sabemos que não estamos no melhor dos países, mas nos últimos 20 anos têm surgido boas oportunidades no mercado para pessoas acima dos 50. Isso é inquestionável.

Sem fazer pré-julgamentos etários, acreditamos que o que todo homem ou mulher que se considere numa idade um pouco avançada para os padrões atuais do mercado deve fazer passa por algumas das seguintes direções práticas:

- Buscar sempre está conectado (tanto off quanto online) aos conhecimentos de sua área de formação;

- Atualizar suas plataformas de trabalho, começando por manter em dias o seu currículo físico e considerar (se ainda não pensou nisso) ter alguns perfis virtuais para contatos.

- Não fugir de oportunidades de emprego (permanente ou temporário) para as quais a pessoa se considere apta a participar do recrutamento.

- Jamais utilizar a "maior" idade (experiência/maturidade) para impor alguma visão de mundo ou desagregar-se de grupos, simplesmente por achar que tem razão. Seja dialético, prefira o diálogo e a convergência de ideias no ambiente profissional.

E se dentre as possibilidade de trabalho existentes essas pessoas vislumbrarem a participação e aprovação em um concurso público, por que não? Embora muitos revelem não ter mais aquela empolgação para os estudos que a juventude possui, isso não significa que seja necessário evitar os processos seletivos. Tem muita gente acima de 45 anos, por exemplo, demonstrando o contrário: que é possível sim enfrentar os estudos e ser aprovado num concurso, sem precisar até de ser beneficiado com o tal critério de desempate por idade! No mais, o que vai diferenciar uma pessoa mais velha de uma mais nova na carreira pública deverá ser apenas o menor ou maior tempo de serviço até alcançar a aposentadoria compulsória, aos 70 anos.

Encerramos, portanto, essas breves considerações, dizendo algo sobre essa questão da competitividade com o intelecto dos mais jovens. Tal problemática deverá ser sempre enfrentada, e não colocada como uma desculpa para não fazer as coisas. Por exemplo, há quem ingressou em um curso superior acima dos 30 anos e tem estudado com um relativo  sentimento de que não tem mais aquele "pique" dos mais jovens (na faixa dos 22 anos).

Mas isso jamais poderá ser empecilho para estudar. Ter consciência das limitações não significa que a pessoa acima dos 35, dos 45 ou dos 55 anos é imprestável. É preciso se dar valor, mesmo que não se consiga acompanhar o "ritmo" dos outros colegas. Exemplo disso é o senhor Eliseu Garcia, de 53 anos, que atualmente está em dois empregos. "Um dia pensei: devo voltar a estudar. Terminei meu ensino médio em 2014, em seguida, fiz o Enem para me avaliar e vi que estava a altura para um vestibular. E foi o que fiz, e passei! Hoje faço Letras e ainda tiro tempo para ir à academia. Não pretendo parar por aí, quero continuar estudando, adquirir mais conhecimento". Mas Eliseu Garcia alerta: "é preciso ter muita força de vontade".

Defina o seu tempo, vá mais devagar, curse menos matérias, porque você de certa forma já chegou em uma fase da vida em que reconsidera o tempo da correria plena para os estudos... E percebe que existe um lado vazio em toda essa corrida frenética... Ainda não que seja possível fugir do sistema, será que não existem algumas válvulas de escape? Procure-as, na medida do possível.

Que possamos respeitar a escolha daqueles que ultrapassaram a relativa metade da vida, tendo a consciência de que existe vida profissional, cultural, intelectual, sentimental, amorosa, religiosa, financeira e outras após os 50.

E que essas simples reflexões inspirem a confiança dessas pessoas em si mesmas.

Antes de escrever um comentário maldoso sobre o modo como as pessoas escrevem, apontando os "erros de português" e querendo dar uma de "dono da gramática", leia este artigo

Comentários

  1. Albertocatro disse:

    Ótimo Artigo.
    Tenho 56 anos e me sinto capaz de fazer qualquer concurso. Trabalhei a minha vida inteira na área de engenharia civil e agora quero mudar de ares. To achando muito legal estudar de novo (embora seja aluno de Arquitetura e Urbanismo na UFRR). Quem sabe não posso ser bancário?
    Tenho muita disposição para estudar e buscar um novo rumo.

    Responder
  2. Salete disse:

    Tenho 54 anos, sou aposentada pelo estado de S.P como Peb II e gostaria muito de mudar de profissão, não pq não gosto, na verdade amo,porém pra mim não dá mais como professora. Quero muito fazer um concurso quem sabe para os correios. Será que tenho chances?

    Responder
  3. Rai disse:

    Muito legal essas dicas.Da uma boa empolgação para os estudos.E voltar a pensar na recolocação no mercado de trabalho.Porque não!.Enquanto há vida ,há esperança . Abraços

    Responder
  4. Jose Silva disse:

    No pais que vivemos, depositar esperanças em um futuro melhor após os 50 anos. Estudar nunca dever ser obstáculo. A preparação intelectual deve ser para todos os seguimentos da vida.

    Responder
  5. Eliseu Garcia disse:

    Tenho 53 anos, trabalho em dois empregos. Um dia pensei, devo voltar a estudar. Terminei meu ensino médio em 2014. Em seguida fiz o Enem para me avaliar, e vi que estava a altura para um vestibular, e foi o que fiz, passei. Hoje faço Letras e ainda tiro tempo para ir a academia. Não pretendo parar por ai, quero continuar estudando, adquirir mais conhecimento. obs: têm que ter muita força de vontade, como um desafio a ser enfrentado, sinto-me um vencedor.

    Responder
  6. Adriana disse:

    Tenho 36 anos, e não me considero "velha". Como descrito, me valorizo, e se eu me esforçar, consigo acompanhar o ritmo de meus sobrinhos de 19 e 21 anos de idade. Sou uma pessoa bastante ativa, sempre trabalhei e estudei, e fóra minhas atividades extras. O cansaço é natural p/ qualquer idade, após um dia corrido, pois ninguém é de ferro; Até criança depois de ter brincado, pulado bastante cansa..... Existem muita garotada na faixa etária dos meus sobrinhos, que estão cheios de problemas de saúde, infelizmente até hospitalizados, e muitas pessoas da minha idade, e até mais experientes que estão c/ mais saúde física do que alguns jovens. Na minha opinião, isso depende muito do tipo de vida que a pessoa tem levado.

    Responder
  7. Alex disse:

    Tenho 55 anos ja estou aposentado e segundo algumas pessoas, tenho aparência de 40. Nesse período pós aposentadoria só consegui colocação como porteiro, fiscal de posto e controlador de acesso. Mesmo tendo trabalhado em metalurgia e tendo cargo de encarregado geral de um grande condomínio, só entrei nessas empresas através de indicação de colegas, pois se dependesse de currículo estava parado até hoje. Há poucos dias fui demitido da ultima e como justificativa: VOCÊ é APOSENTADO.. Alguém tem alguma sugestão??? Aceitarei com maior prazer, e se for emprego então...?!?!?!?

    Responder
  8. Ronaldo disse:

    Infelizmente depois de vários curriculos em meu segmento em vendas sinto que é discriminação pela idade de 51 anos porém aparencia jovem, comunicativo, experiente, procuro sempre estar antenado no mundo web e enconômico, ou seja estou em dificuldade de recolocação, se não tiver saída terei que partir para algo diferente, me sinto muito jovem e com excelente disposição. A mentalidade de contratantes tem que mudar.

    Responder
    • Dénison disse:

      AMEI, SHOW DE BOLA, ME ENQUADRO PERFEITAMENTE NESSA SITUAÇÃO, SOU BANCÁRIO APOSENTADO(BANCO DO BRASIL), TENHO 53 ANOS. APOSENTEI POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO. ATUALMENTE ESTOU EM CURSINHO PREPARATÓRIO PARA O CONCURSO DO INSS. PRETENDO, TAMBÉM, FAZER OUTROS CONCURSOS, TAIS COMO OS DOS TRIBUNAIS .O IMPORTA NA VIDA E ALEM DE ESTAR VIVO, SENTIR-SE BEM, E ACIMA DE TUDO, SER ÚTIL A SOCIEDADE. TODOS NÓS SOMOS CAPAZES, BASTA QUERER. E TODO AQUELE QUE ULTRAPASSOU A CASA DSOS 50 ANOS, TEORICAMENTE TEM MUITO O QUE APRENDER, E MUITO MAIS AINDA O QUE ENSINAR. POIS ACREDITO MUITO EM NUNCA DESISTIR DO NOSSO SONHO, VAMOS A LUTA, E BOA SORTE PARA NÓS TODOS. ABRAÇOS.

      Responder
  9. Selma disse:

    Tenho58 anos, e nao arrumo trabalho de forma alguma ja tentei tudo, gostaria de saber setem algo p mim na minha idade é muito dificil ficarei muito grata selma

    Responder
    • Giovana disse:

      O jeito é estudar para algum concurso público amiga. O mercado de trabalho está complicado, as pessoas acham quem tem acima de 5o anos velho, como se nunca fossem chegar aos 50...

      Responder
  10. Xavier disse:

    Tenho 58 anos e pretendo voltar ao mercado de trabalho, cursei a EEAr, habilitado em administração. Eu pretendo fazer um concurso em busca de melhor salário, pois como sargento da Aeronáutica, agente fica aposentado e vem as expectativas, não podemos usufruir desse benefício, visto que o salário não favorece. A família necessita de apoio, então agente abdica de muitas viagens para dar uma melhor qualidade de vida aos nossos entes queridos. Como fazer se apenas consegui o ensino médio? Como conseguir melhora antes que venha os 70 anos?

    Responder
  11. Fernando disse:

    Muito bom saber que existem pessoas que têm uma visão previlegiada da vida após seus 50 anos, enquanto outros sentem-se mais "velhos" antes dos 40. Tenho 53 anos e trabalhei por muito tempo como corretor de imóveis, quando decidi aos 49 voltar pra sala de aula. Recentemente, colei grau em Administração e já estou inscrito em uma pós-graduação. Concordo com o que já foi mencionado nos comentários anteriores, determinação e planejamento é importante! vou realizar meu sonho de ser professor universitário e desejo sucesso a todos.

    Responder
  12. Betânia disse:

    Tenho 50 anos, e achava q ñ ia acontecer mais nada pra mim,mas em 2014 td mudou participei de um processo seletivo na prefeitura e fui chamada.Assistindo uma palestra na internet sobre concursos, o Dr. William Douglas dizia q ¨concurso ñ se faz pra passar,mas até passar¨isso serviu como uma alvanca pra mim. Veio o edital pra agente de sáude, fiz a inscrição, e pelo pouco tp achei q ñ ia passar,mas pasmem passei entre as 331 vagas. Imaginem como fiquei feliz com a noticia, e ainda tinha a segunda etapa:capacitação fisica:corrida,flexão abdominal e de braço. e no final reprovada.Decepcionada com as leis dos concursos mas continuo. Sim já ia esquecendo, fiz Enem e fui aprovada,ñ quero parar vou continuar procurando oportunidades:estudar e ser funciónaria publica. È sempre saber q outras pessoas superam tb suas dificuldades e limites. Abs

    Responder
  13. Zelia disse:

    Boa tarde,
    Acabei de fazer 50 anos e estou de bem com a vida. Vou fazer o enem em outubro e com certeza vou passar.Quero estudar ,fazer concursos . novas amizades,viver cada dia com intensidade.
    bjs.

    Responder
  14. Joana disse:

    Tenho 57 anos bem vividos e cheio de atividades, pois continuo estudando e hoje faço pedagogia a noite e termino agora em dezembro de 2016 com louvor! Sinto -me preocupada em não conseguir mais emprego, apesar de ser aposentada e com outra graduação , a qual fora concluída em 1983 (psicologia).Acreditar no meu potencial eu acredito sim, mas o empregador duvida da capacidade e elimina literalmente o candidato antes até de fazer uma entrevista.Verifico que ainda há preconceito. beijos!!!

    Responder
  15. Maria Teresa Pereira Dos Santos disse:

    Estou desempregada á mais de 5 anos e precisando muito trabalhar para sobreviver. Sei que ainda tenho capacidade mas não consigo arrumar porque tenho 58 anos de idade.

    Responder

Mais Dicas