O jogo dos sete erros dos concurseiros

Quais as desculpas que você utiliza para se dedicar aos estudos apenas nos momentos finais de um certame?

Por que você deixou para estudar na última hora? Certamente nove em cada dez ingressantes na seara dos concursos públicos terão uma resposta ensaiada na ponta da língua para dar, quer a consideremos justa ou não. Todos já sabemos que os benefícios de se sacrificar com antecedência suplantam a maioria das dificuldades futuras, mas parece que muitos concurseiros ainda consideram difícil encarar esse jogo como se fosse um treino exaustivo. Muitos ainda confiam em um possível potencial próprio que virá à tona na "hora H" e acabam relaxando na trajetória, embora exista toda uma gama de estímulos que os impulsionem a não agir assim.

Pensando em responder à pergunta inicial, resolvemos listar didaticamente pelo menos sete erros que cometemos em uma preparação, com objetivo de levar o concurseiro a refletir um pouco sobre a necessidade cada vez mais urgente de se antecipar aos acontecimentos. Assim sendo, consideramos que muitos deixam para estudar nos últimos momentos de um processo seletivo por conta de fatores como:

1.    A mania do brasileiro de deixar tudo para a última hora.

Por mais irônico que possa parecer, é fato que os discursos conduzem sobremaneira as nossas condutas. Não precisaríamos imergir muito profundamente nas teorias da Análise do Discurso para entendermos isso. A veiculação do discurso de que o brasileiro deixa tudo para fazer quando quase não sobra mais tempo é tão arraigada em nossa sociedade quanto a ideia de que "todo baiano é preguiçoso", a de que "o Brasil é um país que já nasceu na corrupção" (então, se for assim, qualquer pode se corromper à vontade, só porque é brasileiro?), ou mesmo a de que "o Brasil é o país do futuro" (então, a gente pode ficar sossegado, acomodado, porque o nosso dia vai chegar?).

Não deixemos que determinadas práticas sociais nossas sejam contaminadas por essas construções discursivas supostamente estabelecidas e que por vezes buscam assumir a forma de uma verdade até absoluta. Não são. Com os estudos para concursos vale a mesma orientação: não sejamos tão imprudentes ao ponto de esperar o edital ser publicado para tomarmos a decisão final de estudar, a não ser que nossa intenção seja somente a de se aventurar na empreitada, sem compromisso.

2.    A falta de informação (ou o desinteresse por ela).

Se estivéssemos vivendo no Brasil - aliás, no mundo - de 10 ou 15 anos atrás isso poderia até ser aceitável, em parte, porque até hoje é muito difícil encontrar alguém que goste de passear por bibliotecas, ler diários oficiais ou acompanhar a imprensa especializada em concursos públicos. Mas hoje, em plena era da comunicação instantânea, é indesculpável alguém utilizar do argumento de que não estudou antes para o certame dos seus sonhos porque não estava sabendo. Será que nem um rumor de que o edital desse concurso conseguiu chegar aos seus ouvidos bem antes?

Com a disseminação livre das informações desse setor, cada vez mais temos condições de nos programar com considerável antecedência para a seleções. Então, basta um clique para termos acesso a fartos materiais na internet. Por isso é que podemos concluir que o problema pode não ser mais o de falta de informação, mas sim de desinteresse por ela. Não devia ser assim.

3.    O comodismo

Aqui se encaixa uma categoria de gente que não serve para participar de seleções. Lembremos que "concurseiro" não é uma profissão, mas um estado transitório da vida (inclusive decisivo para muita gente) e, assim sendo, não há lugar para os sem-iniciativa...

4.    Dificuldade em abandonar o método aleatório de estudo

Existem pessoas que não conseguem se concentrar nos estudos para uma disciplina, pelos motivos mais variados possíveis. Outras, até estudam, mas de forma aleatória, ao longo do ano: ou pegam o livro para estudar, mas não resolvem provas anteriores, ou anotam o conteúdo de editais antigos mas passam um bom tempo apenas resolvendo questões.

Não basta ter acesso aos editais, às provas, aos simulados, não basta ter ciência prévia de que o certame vai cobrar, se você não se disciplina minimamente para aproveitar os recursos que estão à sua volta. Ninguém é tão autossuficiente assim em uma matéria ao ponto de descartá-la do seu cronograma de estudos. Se o edital informa que ela será cobrada, é preciso levar isso em consideração e não confiar somente nos seus "conhecimentos prévios"

5.    O trabalho

Sem dúvida, a desculpa de muitos é o trabalho e, consequentemente, a falta de tempo. Mas mesmo assim, trata-se de uma desculpa relativamente perigosa: afinal, se o trabalho tem tomado tanto o seu tempo, chegando a não lhe sobrar sequer uma hora livre por dia ao longo de todo um ano, dentre as 16 horas úteis do seu dia, então pode ser o momento de tomar uma atitude radical. Ou você busca conciliação ou esquece os concursos públicos. E veja que mencionamos somente 16 horas por dia, e não as 24, porque já demos o desconto das 08 horas diárias de descanso - teoricamente falando...

6.    O descrédito

Esse descrédito pode ser visível, por exemplo, na opinião velada ou revelada de muitos acerca de concursos destinados a formar cadastro de reserva, tais como o da Caixa e o do Banco do Brasil, para citarmos dois casos recentes. Pairam em muitas cabeças pensantes a ideia de que tais certames são "máquinas de fazer dinheiro", beneficiando ao final apenas as organizadoras, as editoras, os cursinhos preparatórios, enfim, as estruturas que, direta ou indiretamente, têm participação nesses processos. Se for este o motivo que tem lhe feito adiar os estudos até o último momento, reveja seus conceitos e analise a história de cada um dos certames tidos como "suspeitos".

7.    A falta de visão em médio ou longo prazo

Por fim, separamos este fator apenas para lembrar que a preparação para concursos exige de cada um de nós um planejamento que vislumbre uma recompensa muitas vezes maior do que a que poderia ser atingida daqui a apenas dois ou três meses (considerando este o período médio que os retardatários costumam aproveitar para suas preparações). Sem essa perspectiva, correremos sempre o risco de nunca satisfazer parte significativa de nossos anseios profissionais.

alberto@concursosnobrasil.com.br

Comentários

  1. Neiva Vidal disse:

    Achei maravilhoso o jogo de erros dos concurseiros. Estudei apenas 30 dias para o concurso do INSS e fiquei com media 38, com mais tempo de estudos poderia ter a media que ficou entre 55 a 60?
    Obrigada pelas dicas.
    Neiva

    Responder
  2. Alyson José disse:

    Prezados, Concursando. Concurso público estuda atá passar e não para passar. Já estou na Batalha dos concursos públicos para valer a dois anos, cada um resulatado é um aprendizado....

    Responder
  3. Ilda Magnani disse:

    Concordo com esta dica, só passa mesmo os dedicados e não os preguiçosos!

    Responder
  4. Joanna disse:

    Obrigada.

    Responder
  5. Josete disse:

    Bom noite!

    Adorei a materia, estou nesta fase tentando estudar e sem conseguir. Os consekhos me abriram os olhos!

    Responder
  6. Hernando Lima disse:

    Idem neiva vidal. sendo que eu fiz 37

    Responder
  7. Luiz Marcelo disse:

    Corretissimo, fiz sete concursos, passei em cinco fui chamado em dois, adorando o atual emprego pro estado do parana, agora com a visao pra frente e para cima, agora rumo ao federal haha, abraços

    Responder
    • Manuel Tomé De Sousa Araújo disse:

      Amigão...sou obrigado a concordar com você. Quer passar em concurso? Vou te dar tres dicas:
      1ª - Estude;
      2ª - Estude;
      3ª - Estude;

      Aí é aguardar o resultado positivo.

      Responder
  8. Luemir Santana disse:

    Honestamente me vi em várias dessas dicas, por isso vou mudar minha forma de pensar os concursos!!! obrigado !!

    Responder
  9. Americo disse:

    boa noite resolvi fazer a prova ja estava bem perto da data mas contei com meu conhecimento , e quando eu vi o resultado da prova pensei se estivese comesado antes dava para passar pq eu achei muito facil a prova do inss ate onde eu vi a pontuaçao maior foi 58pontos eu pensei q a maior pontuaçao seria entre 80 pontos e 95pontos ja q a media foi muito baixa mostra q quem passou estou so um pouco mais entao isso serve para nos estudarmos um pouco mais e vou continuar tentando

    Responder
    • Ana disse:

      é que a prova só tinha 60 questões; Quem tirou 58 errou apenas 2!

      Responder
    • Edmundo Luiz disse:

      sabemos dessa verdade mais as vezes relutamos em supera-la.E isso torna mais dificil o objetivo pretendido.

      Responder
  10. Tania Braga disse:

    gostei dos sete erros dos concurseiros, sao dicas espetaculosa para termos mais atenção e dedicação nos estudos. eu também estou tentando um dia chego la.

    Responder
  11. Lucinira disse:

    valeu, porem essa dica e muito boa pra levantar o animo de qualquer um e ir a luta, não existe vitória sem sacrifico...

    Responder
  12. Maisa Costa disse:

    Sou concurseira a mais ou menos 03 anos e meio e tirei notas acima de 50% em dois últimos concursos, ficando na suplência em um. E eu incorria nesses mesmos erros citados na matéria. Contando com a minha "capacidade", desculpando-me pela falta de tempo, entre outras desculpas, que digamos, eram esfarrapadas. Agora não. Agora vou me dedicar em todas minhas horas supostamente vagas para dedicar-me aos estudos para concurso, é que também faço curso de inglês aos sábados, faculdade à noite durante a semana...kkkkkkkk! Lá se vão o meus domingos! Obrigado por esse alerta!

    Responder
  13. Leoneide disse:

    amei essa materia pra mim é mais um encentivo bjs

    Responder
  14. Robson disse:

    Meu Deus, vi que me encaixo em várias desculpas...Abs a tds!

    Responder
  15. Cris disse:


    Adorei as dicas.

    Realmente, é necessário uma dedicação,
    vi que me encaixei nesse perfil.

    mais um dia chegarei pra fazer a diferença.

    Responder
  16. Nivalda Pereira disse:

    Concordo plenamente com as dicas.Eu, não estudo só na época do concurso e sim para estar sempre me atualizando não gosto de estudar já na semana da prova eu tenho uma séria dificuldade em memorizar os assuntos.Um dia eu chego lá em nome de JESUS.

    Responder
  17. Rúben Reis disse:

    Sim, galera! Pode parecer verborrágico, mas há 3 coisas q todo concursando sério deve aprender: É preciso sofrer para ser realmente bom em alguma coisa. Se vc se acha tão bom q vai responder sem ter estudado, vc tá caindo no erro mais patético q há. Quem ñ abre mão de outras coisas para ser aprovado ñ merece e provavelmente nunca terá sua aprovação.
    Concurso é guerra! Se vc ñ é um guerreiro ou torne-se um ou caia fora!

    Responder
  18. Ralino Malaquias disse:

    As dicas são de extrema importância pra qem quer estudar e passar em concursos. Com relação à pontuação no concuso do inss so foram 60 questões e não se fala neste caso em percentual, pois a nota mãxima neste caso é 60, viu NEIVA VIDAL.
    OBS: a média dos aprovados classificados ficou entre 93 e 98 % KKKKKKKK

    Responder
  19. Alex disse:

    BOA TARDE GALERA! ESTOU NESTA BATALHA NÃO FAZ MUITO TEMPO E O RESULTADO ESTA SEMPRE NO QUASE,E ESTE MOTIVO ME DEIXA OBSECADO PELO CONHECIMENTO... POREM CONCORDO COM A FRASE QUEM LUTA SEMPRE ALCANÇA E NÃO QUEM ESPERA SEMPRE ALCANÇA. BOTEM ESTE CONSELHO EM SUAS CABEÇAS (QUEM LUTA SEMPRE , EU DISSE SEMPRE ALCANÇA).

    Responder
  20. Siria Schirmann Martins Dos Santos disse:

    GOSTEI DA INFORMAÇÃO OBRIGADO POR POSTAREM PS: HOJE E FESTA

    Responder
  21. Siria Schirmann Martins Dos Santos disse:

    GOSTEI DA INFORMAÇÃO OBRIGADO POR POSTAREM PS: HOJE E FESTA

    Responder
  22. Helen disse:

    Gostei tem tudo ver isso comigo as vezes eu relaxo com os estudo .

    Responder
  23. Evandro disse:

    Gostaria de estudar para a receita e gostaria dessas dicas porfavor.

    Responder
  24. Maria De Jesus disse:

    Muito obrigado pela motivação é desta forma que ganhamos animo para nos esforçarmos a sermos melhor pela tragetórias evitando a menor margem de erros.

    Responder
  25. Mauro disse:

    Eu acho que estes concursos do Brasil, a maioria, são de cartas marcadas, ou seja, tem pessoas que nem estudam e já tem a vaga garantida, como eu li, nessa reportagem "Operação prende suspeitos de fraude em concursos públicos na Paraíba".

    Responder
  26. Solimar disse:

    Gostei dos 7 erros estou dentro de quase todos. A minha maior dificuldade é encontrar material para estudo.

    Responder
  27. Carmen disse:

    EU PENSAVA IGUALZINHO. MAS DE UNS TEMPOS PARA CÁ VENHO MUDANDO MEU PENSAR.

    Responder
  28. Ismael De Castro Alves disse:

    É verdade muitos deixam para estudar na ultima hora ´ja fiz varios concursos fui classificado em alguns, porém nunca tive o privilegio de ser chamado para posse porque vence. Agora pretendo estudar + preparando pra ficar entre os primeiros. obrigado pelas dicas.

    Responder
  29. Emanuelle disse:

    Oi boa tarde eu sou uma brasileira e estou morando na Italia ja a 12 anos!confesso com a crise fiquei sem trabalho e infelismente nao vejo nenhuma oportunidade de futuro aqui!!Acabei de controlar a dita (bacheca de trabalho )da Italia e logo atras olhei aquela de oportunidade de trabalho no Brasil!O Brasil ta crescendo muiiiiiiiiiiiiitoooooooo e confesso tambem que to querendo patricipar de algum concurso publico porque vejo bastante probalidade de voltar a viver no meu paìs sem razismo e toda esse crise que estou vivendo aqui!Entao quem ta ai que tem a oportunidade de entar e participar de concursos publicos,-gente nao deixem pra ultima hora!!aproveitem as dicas do site concurso non Brasil! e acreditem!acreditem em si mesmo!e estudem!Queria estar ai:-(eu dava minha vida pra ta ai de novo e podendo participar de concursos.Emanuelle 29 anos

    Responder
  30. Clarice disse:

    Ola galera estou terminando o ensino medio e não sei oque fazer por favo alguem me se uma sugestão.

    Responder

Mais Dicas