Trabalho + estudos + concursos: como conciliar?

Não existe uma fórmula fechada para essa equação que deve atormentar uma em cada três pessoas interessadas por concursos públicos. Então, o que dá para ser feito?

Imagine uma pessoa que trabalha das 08 às 18 horas, durante cinco dias por semana, sem contar o sábado até meio dia e ainda está na faculdade à noite. Imagine que essa mesma pessoa pensando em organizar seu tempo para prestar um concurso público cujo edital está prestes a ser publicado, mas ainda não encontrou a "fórmula do tempo" que lhe dê a motivação necessária.

Analisando essa situação hipoteticamente, e bem de longe, você poderia recomendar que ela faça o óbvio: "estabeleça prioridades", "organize o tempo", "trace metas de curto e médio prazo", "registre suas intenções no papel", etc e tal. Até aí, nada de mais, afinal de contas a gente precisa fazer tudo isso mesmo, mesmo de uma maneira bem nossa, todos os dias, ainda mais tendo uma rotina desse tipo. Mas será que o sistema funciona assim, na prática?

Essa rotina, apesar de ilustrativa aqui, não está fora da realidade, faz parte da vida de muita gente hoje em dia, é mais comum do que possamos imaginar. O difícil mesmo é encontrar uma saída que seja satisfatória para o dilema de conciliar nosso trabalho, com nossos estudos na faculdade e a perspectiva de achar espaço na agenda para estudar minimamente para um concurso público. Não diria que estou tão longe assim do "estilo de vida" ilustrado acima e por isso tenho consciência de que as opções que vou dar podem não ser vistas com bons olhos. Porém, o melhor exemplo às vezes não é aquele idealizado, e sim aquele vivido. 

Tenho lido muitos bons conselhos sobre quais os caminhos mais razoáveis para solucionar a equação "trabalho + curso superior + estudos para concursos".  Então, tomando como base tudo o que já li/ouvi até agora a este respeito, acredito que possam existir pelo menos duas saídas possíveis:

1.      Para conciliar trabalho, estudo e preparação para concursos só mesmo muita força de vontade.

Digo isto porque, de antemão, acredito ser extremamente difícil conciliar trabalho, faculdade e preparação para concurso público, mas sei que muita gente tem demonstrado que a vontade de ser feliz é mesmo mais forte. Mas, convenhamos, quem conhece a rotina de uma graduação e ainda encara a lida diária, sabe que partir para uma terceira linha de ação (estudar para concursos) é uma tarefa que vai requerer mais do que uma radical força de vontade.

No plano das ideias é muito elegante uma trajetória dessas. Chega a ser romântico o fato de que tem gente que vive essa situação e consegue "tirar leite de pedra" até alcançar uma aprovação. É louvável, com certeza. No entanto, na prática, isso vai significar o sacrifício de esmiuçar metodicamente a quantidade de tempo que ainda sobra nas 16 horas produtivas de um dia (excetuando as 8 horas de sono). Portanto, o indivíduo terá que se educar para fazer prodígios como por exemplo:

  • Acordar mais cedo e aproveitar pelo menos uma hora intensiva de estudos antes do trabalho;
  • Aproveitar o horário do almoço no serviço, com pelo menos mais uma hora de estudos;
  • Aproveitar o espaço de tempo que restar nos intervalos de aulas, na chegada em casa vindo da faculdade até o momento de dormir;
  • Aproveitar parte do final de semana para estudar as matérias da graduação e outra parte para as matérias do concurso;
  • Dividir rigorosamente aquilo que é estudo do curso superior daquilo que seja estudo para o concurso almejado e ainda
  • Abrir mão da maioria dos lazeres e prazeres costumeiros.

Ou seja, além da força de vontade (de quem matará um leão por dia), da paciência e da disciplina, o candidato terá que ter muito equilíbrio emocional para não se perder em tantas ocupações - e acabar  até estressado! E mais do que isso: ele terá que ter a convicção de que algo vai "passar batido", ou seja, não dará tempo de explorar algumas dificuldades do percurso, da maneira como deveriam ser exploradas.

Portanto, se a pessoa não for tão metódica ao ponto de contar horas, minutos  e segundos do seu dia, não deve entrar nessa empreitada. Vai sofrer bastante e o sentimento de incapacidade pode sobrepujar o de heroísmo, embora eu torça pelo contrário.

2.      Uma boa alternativa é ficar com duas dentre as três opções.

Não estou dizendo que esta é A MELHOR opção, pois cada um leva a vida no seu ritmo próprio. Estou apenas dizendo - até por experiência própria - que pode ser uma BOA opção. Afinal de contas, alguém reconhecer que não consegue juntar trabalho, com preparação para concursos e com tudo aquilo que envolve os estudos numa graduação, é alguém que está atestando incapacidade?

Lógico que não! Nem perca tempo sofrendo com esse dilema! Faça como muitos, que estão optando ou bem pelo trabalho atual e o concurso, ou bem pela faculdade e o trabalho, ou bem pelo concurso e a faculdade. Ou então faça como essa geração que prefere focar primeiro nos estudos para os concursos (até passar) e depois focar nos vestibulares e pensar no nível superior.

Por mais que os críticos digam que essa gente está desperdiçando talento, atrapalhando a "economia nacional" na verdade ela estão sendo é oportunista - no sentido absolutamente positivo da palavra.

Por Alberto Vicente

Compartilhe

Comentários

Mais Dicas